Batman: Através dos Tempos

silêncio

A Saga Silêncio

Infelizmente não acompanhei a época em que BW namorou Vesper Fairchild e nem o desenrolar com as sagas Bruce Wayne: Assassino e Bruce Wayne: Fugitivo (por isso me concentro na saga seguinte).

 Lembro que fiquei puto da vida pela história vir diluída em várias edições, mas tentei acompanhar o máximo que pude. O roteirista Jeph Loeb e o artista Jim Lee (ambos consagrados por diversos trabalhos nos gibis).

Nos mostraram uma engendrada trama com o Homem-Morcego em 2003, pois foram 12 edições já pela Panini Comics. Era angustiante ter apenas 11 páginas pra ler de um material tão instigante enquanto o resto do mix variava entre histórias ruins e outras péssimas.

Na história quando estava perseguindo a Mulher-Gato Batman teve sua corda cortada em pleno ar e o Morcego caiu inconsciente no Beco do Crime.

Os bandidos já se preparavam pra tripudiar sobre o herói com bastão de ferro e armas, até que avisada pela Oráculo, que estava monitorando o Morcegão, salva-o da morte certa.

Detalhe é que eles se tratam apenas pelas iniciais exemplo: Oráculo é O, Caçadora é C e assim vai. Neste período a Caçadora era mantida sob vigilância pelo Morcego (por causa de sua forma extremamente violenta de agir). Enquanto isso num galpão Hera Venenosa entrega uma mala repleta de dinheiro a um cara enfaixado e muito misterioso.

Ficamos conhecendo Thomas Elliot, um amigo de infância de Bruce. Há até uma suposição de que “talvez” sejam irmãos de verdade (acho que Thomas andou pulando a cerca, safadinho!).

Thomas ensinou ao Bruce estratégia num tabuleiro de xadrez, principalmente, a antecipar e pensar nas atitudes do seu inimigo (estando um passo á frente). A falha neste retcon foi  mostrar que Bruce nunca teve nenhuma motivação sozinho sempre pela ajuda de Elliot (retirando a mítica que havia sobre o BW original).

Depois de adulto salvou Bruce que estava com uma fratura craniana quando agia como vigilante.

Apesar de termos que ler pedacinho por pedacinho e isto tornou tudo desgastante. A trama de Jeph Loeb é instigante nos conduzindo pelo universo do Morcego e também envolvendo-nos com o mistério de quem conhece tão bem a vida pessoal de Batman a ponto de querer destruí-la totalmente?

E a arte de Jim Lee completa nossa ambientação mostrando BW estiloso e um Morcegão atlético. Sem contar pelo desfile de lindas mulheres sejam principais ou coadjuvantes que de uma maneira natural estão lânguidas, esguias e sensuais.

Destaco Lois Lane, Mulher-Gato e Hera-Venosa (como diria nosso amigo narigudo Luciano Huck: “loucura, loucura, loucura!”).

Voltando, Batman e Mulher-Gato engataram um romance a coisa ficou tão séria que ele até revelou sua identidade secreta (um passarinho ficou todo chateado, hummm…).

A eterna briga de gato e rato entre os dois foi bem explorada em Crise de Identidade e pra notarmos o nível de envolvimento de Bruce. Numa visita a Metrópolis avalia o relacionamento de Lois e Clark com o que estava vivendo com Selina.

É um daqueles raros momentos que vemos Bruce desejando ter uma vida comum e não o caminho daquela vingança eterna contra o mal que enveredou.

Na  cidade do Amanhã temos um confronto perigoso entre Selina e Pamela Isley, mas o pior ainda estava pra acontecer. O Superman  estava sob controle da Hera Venenosa e a luta entre os heróis é focada apenas em Batman agindo. Seja usando o anel de kriptonita, bomba de luz, energia elétrica da cidade inteira ou ainda uma pressão psicológica.

O Morcegóide venceu simplesmente, porque Selina arremessou Lois do alto do Planeta Diário ou então iria virar patê na rua.

E não acaba por aí depois no teatro Selina, Bruce, Leslie e Thomas estava assistindo tudo tranquilamente. Quando a Arlequina surge pra estragar tudo levando as jóias da galera, mas de repente Batman tenta salvar o dia (só que não se recuperou da cirurgia).

A Mulher-Gato até tenta ajudar, porém leva um tiro no ombro e no final surge o Sr. C matando mais uma pessoa importante na vida do Morcego. Batman reage com toda sua fúria relembrando tudo que o Coringa destruiu e quase matou o Palhaço do Crime (pena que não foi adiante).

Quem salva o Coringa de ser morto por Batman é Jim Gordon e pelo que diz “sabe” quem se esconde sob o capuz.

Temos um desfile de diversos personagens tanto da galeria de vilões somente os mais importantes como: Crocodilo, Espantalho, Charada, Cara de Barro, Mulher-Gato, Hera Venenosa, Coringa e Arlequina.

Mais também seus secundários mais importantes como: Alfred, Robin, Oráculo, Jim Gordon e Leslie Thompkins.

Houve até uma capa dupla na edição n° 20 com todos os heróis e aliados do Morcego de um lado e no outro os vilões da trama.

A parte interessante é que a atenção de Batman vai sendo desviada para outros acontecimentos com seus aliados e ressaltando que os vilões ganharam novas perspectivas modificando o M.O. que tinham. Este ardil foi usado para que não descobrisse que das sombras estava alguém manipulando tudo e conclusão é surpreendente.

A Saga Silêncio é marcante por detalhar tudo aquilo que o Homem-Morcego é, acredita e mostra por que sua vida é tão sofrida. Seja combatendo o crime, deixando de vivenciar um grande amor ou erguendo o fardo de proteger os inocentes temos uma verdadeira história do… Batman (e que vale a pena ser lida).

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Batman: Através dos Tempos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s