Arquivo da tag: avião

Crítica

planes

Aviões

O universo de Carros se expandiu, então o que vemos na tela não é mais nenhuma novidade.

Infelizmente já vimos tal situação com Relâmpago McQueen, pois estão repetindo apenas mais do mesmo (uma corrida feita por um personagem simpático que almeja mais do que é).

E pra dizer a verdade esta história de avião que precisa superar o medo já foi feita antes.

Basta assistir ao clássico Alô Amigos feito em 1943, aonde alguns artistas da Disney percorrem a América do Sul mostrando trajes e características de alguns países.

Na animação temos 4 segmentos muito bem trabalhados no primeiro o Pato Donald visita o Lago Titicaca, que fica na fronteira do Peru com  Bolívia, em sua aventura conhece os nativos e tem problemas com uma lhama.

No segundo é a vez de Pedro um simpático aviãozinho que parte do Chile em sua primeira viagem enfrentando o assustador Monte Aconcágua (e ainda passando por uma terrível tempestade para pegar uma correspondência área).

Com Pedro era de onde eu havia visto esta história de avião tendo que superar o medo pra chegar aonde deseja.

No terceiro Pateta está em Buenos Aires usando trajes típicos dos pampas argentinos numa aventura muito engraçada.

E no terceiro, temos novamente o Pato Donald, que viaja pra cá, isto é, no Rio de Janeiro conhecendo alguns pontos turísticos da capital (como Copacabana). É aonde temos duas coisas muito importante a primeira aparição do Zé Carioca ensinando o pato a sambar com belas e lindas imagens de fundo.

E a segunda delas tudo embalado ao som de Aquarela do Brasil e Tico-Tico no Fubá (duas canções famosas e clássicas do repertório nacional).

Eu ia comentar só sobre Pedro, mas Alô Amigos é sensacional e vale a pena ser visto pelos detalhes sobre os lugares que a equipe técnica da Disney visitou.

Voltando, Dusty é um avião pulverizador que trabalha numa plantação de milho na pequena cidade de Propwash Juction que fica praticando manobras acrobáticas em seu tempo livre (sonhando em se tornar um piloto de corrida).

A única coisa realmente inusitada é que Dusty tem muito medo de altura. É algo super estranho um avião ter medo de voar por grandes altitudes (mais deixa pra lá!).

Até que auxiliado por Skkiper Riley consegue entrar no famoso Rally Asas pelo Mundo que vai de Nova Iorque até a Islândia (mostrando cenas de voo são sensacionais).

Infelizmente o roteiro peca por não apresentar nada de novo já que fala de conquistar um sonho e persistir para lutar por aquilo em que se acredita.

Os personagens secundários são todos simpáticos justamente pra ajudar a criançada a se divertir (e também a vender camisas, brinquedos e outras quinquilharias).

O avião Carolina tem a dublagem da cantora Ivete Sangalo, mas a presença do seu sotaque baiano ficou chato demais (destoando do que víamos na tela).

Se quiser assistir algo diferente não veja Aviões, pois as coincidências com Carros são enormes demais (e para apreciar melhor aventura temos que deixar isto de lado).

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica

Super Séries

a-ilha-da-fantasia

A Ilha da Fantasia

A série foi produzida por Aaron Speling e Leonard Goldberg durando de 1978 a 1984 (num total de 157 episódios).

E nela temos o misterioso Sr. Roarke (Ricardo Montalban) que tinha o incrível poder de fazer nossos sonhos tornarem-se realidade.

Eu gostaria de passar minhas férias num lugar como este, mas sinceramente se eu fosse nunca mais pensaria em voltar.

Seu auxiliar era o pequeno Tattoo (Hervé Vilechaize) lembro que sempre ficava tocando um sino e gritando: “Olha o avião! Olha o avião…”.

Então o Sr. Roarke aparecia no cais para saudar os convidados depois explicava pro Tattoo como seria a fantasia de cada hóspede. Para descansar na ilha uma pessoa deveria desembolsar a quantia irrisória de apenas 50 mil dólares (eu consigo fácil-fácil esta grana).

A parte interessante é que em cada episódio tínhamos duas histórias acontecendo e normalmente os desejos sempre terminavam de uma forma diferente do que a pessoa imaginava (tirando uma lição de vida pra quando fossem embora).

Nunca foi explicado porque o Sr. Roarke tinha o poder de  fazer sonho virar realidade, mas a série conseguia me fazer viajar naqueles momentos (uma vez até sonhei que estava na ilha).

O ator Ricardo Montalban  interpretou outro personagem que tornou-se mito pros trekkers, o vilão Khan de Star Trek, série clássica. Benedict Cumberbatch caracterizou Khan de uma maneira tão singular que não consegui ver nele um vilão (apenas o aspecto humano de como eu enfrentaria aquela situação).

E Hervé Vilechaize deu muito trabalho pra James Bond, pois fez Nick Nack como auxiliar do Francisco Scaramanga, em 007 contra O Homem da Pistola de Ouro (o baixinho é muito nojento neste filme).

Muitos episódios tiveram a presença de atores conhecidos como Dick York e Dick Sargent, ambos fizeram James, marido de Samantha em A Feiticeira. E também Roddy McDowell, Sammy Davis Jr., Julie Newmar, Adam West entre vários outros.

A atriz Wendy Schaal interpretava Julie, a afilhada do Sr. Roarke e Lawrence (Christopher Hewett) que substituiu Tattoo na última temporada.

Uma história trágica e triste acompanhou a vida de nosso querido Tattoo, pois devido aos fato de seus órgãos internos crescerem igual ao de uma pessoal normal ( causando-lhe muitas dores). Infelizmente não aguentando mais o sofrimento Hervé Vilechaise se suicidou em 1993, mas antes escreveu um bilhete e gravou uma fita exibindo uma mensagem de despedida (o ator deixará saudade).

A Ilha da Fantasia foi exibida pela Rede Globo na década de 80 durante a noite.  E algum tempo depois a Rede Manchete reexibiu a série de madrugada.

Deixe um comentário

Arquivado em Super Séries

Musas de Tinta

z

Dale Arden

A heroína também foi criada por Alex Raymond surgindo na mesma edição que Flash Gordon. E como foi mostrado era a passageira que sobreviveu á queda de avião junto a Flash Gordon.

Ambos acabaram caindo direto na propriedade do cientista Dr. Zarkov que devido a exaustiva procura de um resultado a iminente rota de colisão do planeta Mongo com a Terra ficou louco.

Dale Arden também fora sequestrada  indo assim numa viajem  ao planeta desconhecido.  O pouso turbulento acaba deixando o trio preso e descobrem que além de ser habitado Mongo é comandado pelo cruel Ming, o Impiedoso.

Então, Flash Gordon após procurar ajuda entre o restante dos habitantes do planeta lidera uma rebelião contra o ditador. E nesse meio tempo Dale Arden apaixona-se pelo herói.

Inicialmente o Imperador Ming havia se encantou por Dale Arden e por isso vivia sequestrando-a para torna-la sua esposa. Mais  nosso herói sempre a socorria das garras do vilão.

A parte mais interessante de sua personalidade é ser tão forte e corajosa quanto nosso herói. A primeira atriz a encarnar a heroína foi Jean Rogers no serial Flash Gordon, de 1936.

Sendo que ela também trabalhou na continuação Flash Gordon no Planeta Marte (1938).

Porém no terceiro seriado Flash Gordon Conquista o Universo (1940) temos a atriz Carol Hughes interpretando a personagem.

A primeira série televisiva sobre o herói espacial foi ao ar em 1954 e a atriz Irene Champlin interpretou nossa musa. Como curiosidade seu grande diferencial foi ser uma produção feita em Berlim Ocidental.

Durante a década de 1980 no longa cinematográfico a personagem foi interpretada pela atriz Melody Anderson.

Na série animada Os Defensores da Terra (1986) a heroína fora sequestrada por Ming e morre, mas sua essência fica retida num cristal (algo muito estranho mais deixa pra lá!).

Em 2007 o canal americano Sci-Fi Channel exibiu a  série Flash Gordon aonde Gina Holden fez o papel de Dale Arden.

Confira na galeria abaixo algumas imagens de Dale Arden que consegui na web.

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 Alex-Raymond austin briggs dale arden 1 dale arden 2 dale arden-melody-anderson dale_arden___melody_anderson dale-arden-carol-hughes dale-arden-gina-holden dale-arden-jean-rogers Frank Cho overlander paul-renaud princess-aura-ornella-muti wallpaper 2 wallpaper 3 wallpaper 4

Fonte de Pesquisa: Wikipedia.

Deixe um comentário

Arquivado em Musas de Tinta

Superman: Através dos Tempos

color-broadway1

Superman – Bob Holiday – 1966

Dos vários atores que já interpretaram o herói este eu não conhecia. E para reparar este erro pesquisei rapidamente na internet. Pena que infelizmente não havia muita coisa.

Ele foi o protagonista da peça “É um pássaro, é um avião … é o Super-Homem!”, de 1966 que estreou na Broadway e teve 129 apresentações.

Foi um musical bem humorado, onde Superman passa por várias sessões com um psiquiatra, que diagnosticou um complexo de inferioridade enorme no super-herói.

O ator e cantor Bob Holiday nasceu em 1933, e realizaria ainda várias apresentações relacionadas ao ídolo dos quadrinhos.

2 Comentários

Arquivado em Superman: Através dos Tempos