Arquivo da tag: bacana

Memória Brasil

 armacao-ilimitada

Armação Ilimitada

Surgiu na telinha da Rede Globo em 1985, pois sua linguagem voltada pro público jovem fez um sucesso tremendo quando foi ao ar.

O tema de abertura foi retirado da música “Say What You Will”, do Fastway.

A dupla interpretada pelos surfistas Kadu Moliterno (Juba) e André de Biase (Lula) tinha até um bordão: Juba & Lula hoooooo! (no melhor estilo Thundercats).

O título do seriado Armação Ilimitada era uma empresa prestadora de serviços na qual a dupla fazia de tudo. Desde competições esportivas, cenas de dublê pra telinha, agentes secretos entre outras loucuras.

Historicamente apresentou um formato inovador pra época inspirada em elementos da cultura pop (filmes de ação, aventura e ficção científica) mostrados num estilo de videoclipe.

Outro aspecto importante do seriado era a locução da narradora Black Boy (Nara Gil) que de uma forma muito envolvente contava tudo que acontecia durante os episódios (dentro de um estúdio de rádio).

Juba & Lula eram amigos de infância que moravam juntos num estúdio de TV abandonado. Tudo ia bem entre eles até que surge Zelda Scott (Andréa Beltrão).

Zelda era uma repórter que trabalhava no jornal Correio do Crepúsculo. A partir do momento que começa a conviver com a dupla forma um triângulo amoroso com eles. Como não consegue se decidir por nenhum dos rapazes (gosta de ambos ao mesmo tempo).

Eu me amarrava quando Zelda falava no seu “Chefe” interpretado pelo saudoso Francisco Milani.  Sempre aparecia de uma maneira diferente dependendo da forma como Zelda comentava sobre ele.

Ronalda Cristina (Catarina Abdala) era a melhor amiga de Zelda e moravam juntas. Se não me falha a memória ela tinha um bebê paranormal. Só pra constar Catarina interpretou a Cuca do Sítio do Pica-Pau Amarelo.

Ainda tinha o Bacana (Jonas Torres) que eu também gostava, pois na época tínhamos a mesma idade. Ele foi adotado pela dupla e pra nossa diversão acompanhava as aventuras deles. Seu bordão: “ai meu saquinho!” eu vivia repetindo diversas vezes.

Armação Ilimitada foi um seriado inesquecível, pois havia muito humor, ação desenfreada e aventura durante os seus episódios no melhor estilo dos enlatados americanos.

Foram apresentadas 4 temporadas, num total de 40 episódios e terminando em 1988.

E realmente pra fechar depois de Armação Ilimitada Juba & Lula retornaram com um seriado próprio, mas não era a mesma coisa.

Deixe um comentário

Arquivado em Memória Brasil

Desenho Antigo

manda-chuva

Manda Chuva

É um gato que vive num beco na cidade de Manhattan, em Nova York (aqui no Brasil mudaram a cidade pra Brasília).

A dublagem brasileira da AIC-São Paulo é histórica, pois o ator Lima Duarte emprestou sua voz pro Manda Chuva.

Dizem as lendas que o desenho da Hanna-Barbera surgiu inspirado no seriado antigo The Phil Silvers Show. No qual  o Sargento Bilko tenta arranjar dinheiro utilizando vários tipos de golpe e pra isso faz seus soldados ajudarem-no nessas tramóias.

Então o enredo pro desenho segue totalmente essa situação, pois Manda Chuva (Top Cat, no orginal) sobrevive dando golpe nas pessoas pra arranjar dinheiro.

Eu gosto de seu jeito inteligente e sagaz, pois sempre através de muita lábia consegue o que almeja.

É óbvio que como se trata de um desenho ele causa e também encontra muita confusão.

Quem sofre com as besteiras do gato é o Guarda Belo, um policial honesto, mas dono de um temperamento forte. Belo tenta colocar juízo no Manda Chuva só que geralmente é passado pra trás.

Junto com Manda Chuva temos sua turma de amigos: Batatinha, seu braço direito (é o meu preferido de todos). Tem um temperamento gentil, muito inocente e faz tudo o que seu “Chefe” ordenar.

Já seu braço direito é o Chu-Chu fica agindo como vigia do beco pra algum eventual problema.

Espeto demonstra um sotaque nordestino engraçado, Bacana é o conquistador e aparece dando encima das gatas e o coitado do Gênio não é muito inteligente.

Manda Chuva mora numa lata de lixo e na abertura do desenho vemos as inicias TC nela. A parte engraçada é que a lata parece pequena por fora mais nessa mesma abertura ele entra, liga a TV ou vai dormir.

Esse interior enorme me lembro a casinha do Snoopy que tem o mesmo mistério.

Continando, o Guarda Belo é o policial designado pela segurança da área e devido aos problemas que Manda Chuva causa fica perseguindo pra retirar sua turma do beco.

A lata de lixo aonde TC mora tem uma cabine telefônica da polícia e o gato a usa pros seus interesses.

Devido as suas falcatruas, Manda Chuva normalmente está devendo dinheiro pra todos os comerciantes da região (Schultz da mercearia, Lou da alfaiataria entre outros).

Um episódio que eu não me esqueço é o do milionário entediado que resolve doar 100 milhões de cruzeiros. Manda Chuva tinha a intenção de vender rifas e o Batatinha recebe esse cheque com a soma vultuosa.

Quando Batatinha vai descontar o cheque no banco o alfaiate fica sabendo. E espalha a novidade pra todos os outros comerciantes do bairro.

O detalhe importante é que passam a paparicar o Mand Chuva (dando-lhe roupas, carro, buffet de comida entre outras coisas).

Só ele não sabia que havia ficado rico então Manda Chuva sem saber rasga o cheque daquela dinheirama. Entrando em desespero ao saber da verdade é um episódio muito divertido.

Bom, na década de 70 a Editora O Cruzeiro lançou alguns gibis do gato malandro, mas ao longo dos anos também tivemos edições da Editora Abril, RGE, Cedibra e Paninni Comics.

E pra fechar, o desenho do Manda Chuva teve uma temporada com 30 episódios e terminando em 1962.

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo