Arquivo da tag: DC Comics

Herói

All-Story Tarzan 1912

Tarzan

No início do século vinte as pessoas eram ávidas por novidades e alguns escritores conseguiram criar personagens que tornaram-se mitos modernos e por consequência parte do inconsciente coletivo. As adaptações através dos anos transformaram estes heróis em ícones mundiais como exemplo: Superman, Batman, O Fantasma, Lone Ranger, Flash Gordon, Zorro e Tarzan.

Pra quem não sabe Tarzan também é um herói antigo e foi criado pra revista pulp All-Story Magazine com o nome de Tarzan of the Apes (ou Tarzan dos Macacos) pelo escritor Edgar Rice Burroghs, em 1912 (sendo publicado no formato de livro em 1914).

Dizem as lendas que antes de tentar a sorte como escritor Edgar arranjou outras ocupações como policial, mas infelizmente fracassou em todas elas. Então com família para cuidar e praticamente falido enveredou na carreira de escritor. Vendo uma chance nos pulps (revistas de literatura que eram muito baratas e populares na época).

Outro fato marcante foi que o escritor enriqueceu bastante, porque detinha os direitos autorais de seu personagem e ficava com a  maior parte dos lucros das vendas (tanto dos livros quanto das tiras diárias e posteriormente dos gibis até 1950 quando faleceu).

A parte mais interessante é que o escritor nunca esteve na África, mas sua imaginação era tão grande que conseguiu criar um mundo na selva repleto de mistérios, com criaturas estranhas e civilizações antigas para que seu personagem pudesse agir.

O escritor afirmou que se baseou na lenda romana de Rômulo e Remo, dois irmãos gêmeos criados por lobos para poder criar nosso herói.

Na história John Clayton, o Lorde Greystoke e sua esposa Alice, são aristocratas ingleses que estavam num navio que sofreu motim. Ambos são abandonados na selva africana e lá Alice que se encontrava grávida dá a luz, batizando seu filho de John Clayton II (as vezes também vemos John Clayton III).

Logo depois seu marido é morto por grandes macacos manganês que invadiram a cabana onde moravam. E Tarzan é criado por sua “mãe” Kala que havia perdido o bebê e decidiu adota-lo (o nome do herói significa “pele branca”).

Tarzan cresce demonstrando habilidades fora dos padrões normais para qualquer outro ser humano (e possui a grande habilidade de poder se comunicar com os animais).

Tarzan conhece sua verdadeira origem ao descobrir a cabana onde nasceu, pois era um local proibido de visitar pelos macacos. E lá encontra além dos esqueletos de seus pais uma caixa com livros e fotos (aprendendo a ler e escrever associando imagens e letras).

Alguns anos depois de desaparecido Tarzan é resgatado voltando pra Inglaterra e aprendendo todos os costumes do mundo civilizado. Apesar disto tudo não consegue se adaptar e volta pra selva (local onde realmente se sente em casa).

Tarzan é um herói que começou nos livros, mas já teve diversas adaptações através dos anos. Incluindo teatro, TV, rádio, cinema, desenhos e gibis vamos conhecer “algumas” delas?

O primeiro ator a dar vida ao herói foi Elmo Lincoln, na produção do cinema mudo Tarzan of The Apes, de 1918 (considerado bastante gordo pro papel).

Essa primeira versão do herói arrecadou mais de um milhão de dólares tornando-se um marco na história do cinema, pois foi o primeiro filme que alcançou esta marca.

A narrativa seguia toda história original de Edgar R. Burroghs outro fato interessante é que o ator usava uma peruca, pois tinha pouco cabelo.

Só que o mais impactante é que Elmo matou um leão de verdade numa sequência do filme (hoje é inaceitável para nós, mas na época deve ter sido um ato incrível).

Quanto ao fato de Elmo Lincoln ser o primeiro ator a encarnar o herói há uma controvérsia, pois alguns pesquisadores que dizem ser o ator Stellan Windrows quem supostamente foi  o primeiro Tarzan. Apesar de Stellan ter gravado algumas cenas como o herói, infelizmente foi convocado pra Primeira Guerra Mundial, sendo substituído por Elmo Lincoln.

Lincoln fez também O Romance Tarzan ainda em 1918. E também atuou no seriado As Aventuras de Tarzan, de 1921 (que teve 15 episódios).

Em janeiro de 1929, o herói ganhou sua tira diária, que era distribuída pela The Metropolitan Newspaper Service (que virou United Feature Syndicate algum tempo depois).

Hal Foster foi o primeiro artista dos gibis a trabalhar com Tarzan e sua arte é marcada por nunca usar balões e sim textos incorporados aos quadrinhos. A melhor parte é que nesta época haviam os textos originais de Burroghs (tendo uma fidelidade incrível com o herói dos livros).

Já, em 1937 Burne Hogart, assumiu o lápis do herói sendo considerado o Michelângelo dos quadrinhos. O artista usou seu extenso conhecimento em anatomia para criar um Tarzan mais realista, musculoso e repleto de movimentos.

Durante as décadas diversos artistas nos mostraram sua concepção das tiras do personagem como: Rex Maxon, Rubens Moreyra, Russ Manning e Mike Grell entre outros.

E praticamente ao mesmo tempo diversas editoras migraram as aventuras de Tarzan para os quadrinhos como: Charlton Comics, DC Comics, Marvel Comics e a mais recente Dark Horse Comics.

Em 1932, o ator Johnny Weismuller, trabalhou no filme Tarzan, O Filho das Selvas. Weismuller viveu o melhor Tarzan dos antigos pra mim, mas era evidente que a personalidade do herói foi modificada.

Se no original de Burroghs tínhamos um personagem inteligente infelizmente de maneira grosseira na adaptação era demonstrado como semianalfabeto e burro (grunhindo algumas palavras e falando apenas: “me Tarzan, you Jane”).

É claro que o grito do Tarzan ajudou a consolidar a fama de Weismuller, mas como curiosidade o grito era uma mistura de um barítono, uma soprano e cães treinados mixados de forma que produzissem aquilo que ouvíamos.

Depois o ator afirmava que foi ele mesmo quem criou o grito em sua juventude, mas era uma mentira para poder promover seus filmes (após tanto imitar o grito Weismuller fez todos acreditarem que era mesmo ele que fazia).

Johnny Weismuller atuou durante 16 anos como o herói de 1932 a 1948. Outro fato curioso foi que Johnny era um recordista nas Olimpíadas de 1924 e 1928 (ganhando cinco medalhas de ouro e batendo diversos outros recordes mundiais).

Foi só após isso que o nadador ganhou convite para trabalhar no cinema sendo mais uma vez imortalizado como Tarzan e algum tempo depois como Jim das Selvas (outro herói esquecido pelo tempo).

Tarzan, O Filho das Selvas além de ser o primeiro filme sonoro do personagem marca também a primeira aparição do chimpanzé Cheeta, que era interpretado por Jiggs, um macho (coitado que vergonha!).

Há alguns anos atrás a Rede Globo passou na Sessão da Tarde o filme Tarzan’s New York Adventure, de 1942. Boy, o filho do herói é raptado por Buck Rand na intenção de leva-lo pro seu circo em Nova York. Tarzan, Jane e também Cheeta vão atrás dele para liberta-lo. Durante o julgamento da custódia do menino Tarzan se exalta e é preso.

Em sua fuga salta da Ponte do Brooklyn no East River e ao localizar seu filho pede ajuda aos elefantes. Foi o último filme de Tarzan produzido pela MGM e era realmente estranho vê-lo de terno e gravata, mas uma cena inesquecível foi ele se assustando com o chuveiro. Contando com uma imagem limpa e cenas divertidas é um dos melhores filmes do herói que já vi mesmo retirando Tarzan da selva seu lugar comum.

Em 1933, o ator Buster Crabbe trabalhou no seriado Tarzan, O Destemido (lembrando que o ator também interpretou Flash Gordon). Nesta história o herói resgata o Dr. Brooks, um cientista, que foi preso pelos seguidores de Zar de uma cidade perdida. A bela Mary Brooks (Julie Bishop) e Bob Hall também são capturados pelos vilões além dos guias do safari.

Tarzan surge para salvar Mary e consegue salvar quase a todos. No final Mary e seu pai decidem ficar na selva ao invés de retornar para a cidade.

A grande diferença é que Jane foi deixada como par romântico do herói e em seu lugar colocaram Mary Brooks. Apesar do personagem ser o mesmo  a produtora era diferente e a personagem foi evitada para não esbarrar nos direitos autorais.

Tarzan and The Valley of Gold, de 1966 marcou a estreia de Mike Henry como Tarzan. Ele era um ex-jogador de futebol americano que tinha uma semelhança incrível com o personagem feito por Hal Foster. Mike Henry ganhou também o papel, porque o diretor achou que lembrava o ator Burt Lancaster.

Ron Ely foi o 15° ator a encarnar o personagem num seriado televisivo de 1966 (substituindo Mike Henry que se desentendeu com o diretor do programa). Como curiosidade algumas cenas foram gravadas aqui no Brasil nas Cataratas do Iguaçu outro fato interessante é que Ely gravava suas cenas de ação sem dublê.

Em Tarzan e o Grande Rio, de 1967 temos uma aventura que acontece aqui no Rio de Janeiro. Tarzan é interpretado por Mike Henry numa história que lembra bem o estilo James Bond.

Chamado por seu velho amigo Professor (o saudoso ator Paulo Gracindo) Tarzan vem ao Brasil para enfrentar o culto do Jaguar, uma seita que é liderada pelo guerreiro Barcuma. Além de hostilizar algumas pessoas o vilão atrapalha o trabalho da Dr. Ann Phillips que pretende usar uma vacina para ajudar os nativos do Rio Amazonas.

Tarzan conta com a ajuda do leão Baron, da Cheeta e também do barqueiro Capitão Sam Bishop e seu ajudante o garoto Pepe.

Ron Ely é marcado como o segundo melhor Tarzan de todos da história (ficando atrás somente de Weismuller), pois seu herói é culto, inteligente e educado. Trazendo uma personificação que é bastante fiel ao herói dos livros.

No filme Greystoke: A Lenda de Tarzan, o Rei da Selva, de 1984.  Temos Christopher Lambert vivendo o herói e toda premissa da história original é mostrada.

Pra mim é a melhor versão feita com o herói, pois tratou de uma forma realista os animais da selva e como diferença temos uma ambientação na Inglaterra da Rainha Vitória (pra quem curte o personagem vale a pena).

O desenho Tarzan da Filmation foi exibido nos anos 80 pelo SBT. É uma versão magnífica que já na abertura possui todo clima do personagem transmitindo a história original. Eu gostava demais de sua habilidade ao viajar de cipó pela floresta e uma inteligência acima do normal (e também poder falar com os animais).

A parte boa é que o herói faz muito feitos atléticos como correr, saltar e lançar. A parte mais incrível é que na maioria das vezes em que aparece luta de mãos vazias e além disso Tarzan é dono de um olfato bem desenvolvido, pois assim descobre qual direção seguir.

O famoso grito convoca os animais para ajudar sempre que necessário. Suas aventuras são na companhia do pequeno N’kima (felizmente deixaram a Cheeta de lado), do leão Jad-Bal-já e também do elefante Tantor.

São desenhos simples que obviamente ensinam alguma lição de moral (a marca registrada da Filmation), mas pra quem assistiu quando mais novo vale a pena recordar no Youtube.

Em 1999 como não poderia deixar de ser a Disney fez uma superprodução com o Homem Macaco trazendo seu estilo tradicional repleto de canções.

A história ficou bastante diferente numa adaptação que mudou o fato do pai de Tarzan não ser morto por Kerchak, que foi morto por um leopardo, e Kerchak adota Tarzan como filho.

Só que realmente chamou minha atenção foi o fato de ver  o herói “surfando” nas arvores em emocionantes cenas de ação. A parte engraçada ficou com o inteligente, mas destrambelhado Professor Archimedes, o aparvalhado do Tantor e a perspicaz Terk.

Uma aventura que conseguiu demonstrar Tarzan o mais fiel possível de sua concepção original com todos os trejeitos dos animais em seu modo de agir.

A animação ganhou uma série animada, A Lenda de Tarzan na qual explorou melhor o cotidiano do herói (em aventuras que levavam direto pras histórias do escritor)

Lembro que houve um episódio no qual o próprio Edgar conhece Tarzan e ao voltar pra Inglaterra relata tudo que aconteceu (pra mim foi o melhor de todos).

E agora temos a mais recente versão do herói Tarzan: A Evolução da Lenda. Na história após seus pais serem mortos, um bebe foi criado por um gorila que passou a trata-lo como filho.

Quando cresce Tarzan torna-se, o rei da selva é quando precisa enfrentar um grupo de mercenários que foi enviado a floresta por um executivo da Greystoke Energies (uma empresa que pertenceu aos pais de Tarzan).

Decidindo enfrenta-los Tarzan consegue ajuda de Jane Porter, uma jovem que sofreu um acidente de avião na floresta. Apesar de manter a premissa original é óbvio que deram uma atualizada na história (espero que esteja bom).

Confira na galeria abaixo algumas imagens que encontrei do Tarzan na web

Edgar Rice Burroughs

1 2.1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Tarzan of the Apes 14 15   18 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 29 30 31 32 BATTLE_IN_THE_BAOBAB_by_JoeJusko Burne Hogarth 1937-1950  filmation frank frazetta 0 frank frazetta 1 frank-frazetta hal-foster joe jusko joe kubert joe-jusko lucio-parrillo Manchess_Jane Marvel Tarzan paul renaud tarzan-570x330 Tarzan-a evolução da lenda tarzan-buster crabbe tarzan-casper van dien Greystoke 1983 real : Hugh Hudson Christophe Lambert COLLECTION CHRISTOPHEL tarzan-denny miller tarzan-glenn morris Tarzan-Gordon Scott tarzan-herman brix tarzan-jock mahoney tarzan-joe lara Tarzan-john-weismuller Tarzan-lex barker Tarzan-Mike Henry tarzan-miles o'keeffe tarzan-ron ely tarzan's new york adventure  wallpaper 2 Wallpaper-tarzan-disney

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Herói.

Wallpapers

z

Girls

Guarde em sua coleção alguns dos melhores wallpapers que consegui garimpar na web. Nesta galeria temos diversas personagens tanto da DC, Marvel e de outras editoras.

Veja Feiticeira Escarlate, Margie Simpson, Emma Frost, Betty Boop, Vampirella, Jill Valentine, Batwoman entre várias outras que valem a pena guardar no seu computador.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 anime_girl Arisia_by_Bakanekonei Bakuretsu_Tenshi batwoman betty-boop cartoon-swim-suit catwoman catwoman_wonder_woman charmed comics_girls_aspen_ comics-marvel_00412037 darna dc girls emma-frost fantasy 1 Fantasy 2 fathom Faye_Valentine_Wallpaper_by_artguyjoe feiticeira escarlate g_i_joe_danger_girl_girls_j. scott campbell gina-carano harley_quinn_arkham_asylum jade jean grey jill-valentine-resident-evil Kill Bill kof2 leela-futurama Marge_Simpson meninas-superpoderosas MsMarvel psylocke Resident_Evil sailors she-hulks-by-frank-cho simpsons-loira Sininho spider-woman sue storm supergirl tank-girl The_Bulleteer tifa-final-fantasy valkyrie vampirella wallpaper-by-j.-scott-campbell

wallpaper-by-sinhalite

 

wallpaper 1 wallpaper 2

Deixe um comentário

Arquivado em Wallpapers.

HQ

morcego-de-aço

Super-Homem: Morcego de Aço

É mais uma história da linha Túnel do Tempo (no original, Elseworlds), dos anos 90.

Nesta aventura o foguete de Kal-El foi encontrado por Thomas, Martha Wayne (e também Alfred que dirigia a limousine).

“Bruce Wayne” presencia a morte dos pais após a ida ao cinema, mas a cena brutal faz com que mate Joel Chill com intensas rajadas ópticas.

Bruce cresce com esta lembrança reprimida até que sua casa é invadida por bandidos (ele vivia recluso na mansão) e após confrontá-los suas lembranças daquela fatídica noite retornam.

Então na caverna Alfred conta-lhe toda a verdade sobre seu passado e Kal-El decide assumir o manto do Homem-Morcego ao vê-los voando na caverna.

Em Morcego de Aço temos uma daquela raras ocasiões de podermos entender as motivações do que levou Bruce Wayne a se tornar Batman sendo contadas por outra pessoa, pois a aventura é narrada por Lois que está linda (uma de suas melhores versões).

Lex Luthor tenta dominar Gotham City e aqui assume o papel de Coringa (é ridículo ver o bolo fofo usando um helicóptero nas costas mais deixa pra lá).

O roteiro de J. M. DeMatteis é bastante simples, porque não vemos nada de extraordinário nele.

Só que a arte de Eduardo Barreto é que chama bastante atenção por ser detalhada, variando contraste entre luz e sombras na medida certa (e também as expressões dos personagens conseguem demonstrar seus sentimentos).

É uma HQ que mescla a mítica de ambos os heróis apenas misturando-os, porém podemos notar que também revela mais uma vez que Superman significa esperança.

Não há nada de sensacional nela, mas é uma boa leitura para quem curte tanto o Homem-Morcego quanto ao kriptoniano.

HQ: Super-Homem: Morcego de Aço

Editora: Abril Jovem/DC Comics

Ano: 1994

Deixe um comentário

Arquivado em HQ.

Wallpapers

alex ross 1

Heroes

Guarde em sua coleção alguns wallpapers tanto de heróis da DC Comics quanto da Marvel e outros que encontrei na web. Temos Capitão América, Batman, Thor, Homem-Aranha, Hulk, Liga da Justiça entre outros

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 techmynd.com 19 20 alex ross 1 alex ross 2 batman-1 batman-2 Capitao-America fantastic_four Green-Arrow hulk 1 hulk jla john byrne justice league lja and avengers marvel heroes marvel_heroes marvel-superhero marvel-super-hero-squad spider-man-by-greg-horn spider-man-by-scott cohn thor thor-vs-loki wallpaper by caio cacau wallpaper by george pérez wallpaper-Ultimate_spiderman wolverine x-men x-men-jim lee

Deixe um comentário

Arquivado em Wallpapers.

Artista

z

Raffaele Marinetti

Seu trabalho vem se destacando atualmente  por mostrar personagens femininas  do universo DC e Marvel de uma forma muito sensual.

A parte mais interessante é que suas expressões faciais transmitem uma delirante carga emocional para suas pin-ups.

Confira na galeria abaixo e no Deviantart  sua arte impressionante

37

36

0 1.1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14.1 14 15 16 17 18 19 OK 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 38 39 40 41

Deixe um comentário

Arquivado em Artista

Super Séries

greatest-american-hero

O Super-Herói Americano

É uma óbvia paródia ao Superman misturando super-herói,  comédia e drama. A série  foi criada pelo lendário produtor Stephen J. Cannell.

Sendo lançada em 1981 pela rede americana ABC e por incrível que pareça aqui no mesmo ano nós assistimos pela TVS (atual SBT).

Dizem as lendas que a DC Comics processou a Stephen J. Cannell Productions por causa do uniforme ser uma cópia do Superman e do Flash, mas a editora perdeu a causa.

Durante a segunda temporada houve um outro processo no qual alegaram que os poderes do professor eram idênticos aos do kriptoniano e a editora ganhou a causa (a solução foi criar novos poderes para Ralph).

Algo muito significativo pra mim é a música “Believe it or not”, interpretada por Joey Scarbury que tornou-se inesquecível conectando minha memória afetiva a série.

Na história o professor Ralph Hinkley (William Katt) estava com problemas em sua vida pessoal. Porque além do recente divórcio ainda lutava pela guarda de seu filho Kevin nos tribunais.

Então em seu primeiro dia de aula resolveu levar um grupo de alunos problemáticos para um passeio que tinha como tema geologia no deserto. Só que durante a viagem o ônibus quebra no meio da estrada e Ralph decide descer para buscar ajuda.

No meio do deserto depois de muito andar consegue encontrar um carro no qual estava o agente especial do FBI Bill Maxwell (Robert Culp), pois teve que parar ao atropelar o professor.

Felizmente Ralph sofreu ferimentos leves, mas Bill ficou desacordado. Um fato estranho aconteceu já que o carro do agente parecia ter força própria e não funcionava mais.

Exatamente pouco tempo depois aparecem luzes no céu e eles queriam deixar o carro e fugir, mas as portas são travadas deixando-os presos no carro.

Em seguida descobrem que as luzes eram de uma nave alienígena que se comunica com eles através do rádio incumbindo-os de uma missão para salvar o planeta Terra ( de uma destruição causada pelos próprios seres humanos).

E então Ralph recebe uma caixa com o uniforme vermelho e a capa preta que lhe concederia superpoderes, mas o professor perde o manual de instruções. Sendo a partir desta infelicidade que a série tornou-se memorável pra mim.

Ao vestir o uniforme Ralph podia voar, ter super força, visão de raio x, ser imune a balas, invisibilidade, telecinese, supervelocidade  entre outras habilidades. Mais teve que aprender a utiliza-los com muita força de vontade e de forma atrapalhada.

Nos primeiros dias após ganhar a roupa Ralph estava com  receio quanto seu uso para assumir uma identidade heroica. Então uma vez preso no trânsito Ralph encontrou-se atrasado para estar na audiência da guarda de seu filho.

E num ato de puro desespero criou coragem vestindo o uniforme notando que estava cometendo uma loucura e ao sair voando todo estabanado bateu de cabeça num prédio.

Conclusão acabou ficando desacordado, foi preso pela polícia e pior perdeu a guarda do filho para sua ex-mulher. Isto era o que me deixava mais triste, pois dava pra perceber que Ralph fazia de tudo pelo garoto, mas como era desajeitado demais sempre se encrencava.

Uma vez ao tentar voar não estava  conseguindo nada e um menino que assistia a tudo tranquilamente pede para que faça igual ao Superman dar três passos e saltar. Então Ralph aproveita a dica conseguindo galgar os céus , mas se enrolou todo voando desequilibrado e sem controle nenhum.

Aliás a graça era realmente essa, pois ao tentar usar seus poderes Ralph batia num muro, parede ou até outdoors. Geralmente o herói era um desastre absoluto, mas conseguia resolver os problemas que surgiam.

Quando Max descobriu os poderes do “pijaminha” pede a Ralph que o auxilie nas suas investigações só que de maneira discreta. Isto acabou consagrando o agente que não tinha uma fama muito boa com seus superiores antes do professor surgir.

A parte interessante eram as constantes discussões entre Ralph e Max para qual seria a forma ideal de usar o uniforme. Enquanto Ralph queria realmente ajudar as pessoas em contrapartida Max desejava obter um lucro pessoal e isto acabava gerando algumas brigas, mas ao decorrer das aventuras eles tornaram-se grande amigos.

Outra coisa boa era nos momentos em que Ralph precisava se “transformar” em super-herói, pois demorava um tempão para trocar de roupa. Sendo num beco,  banheiro ou atrás de alguma coisa sempre surgia alguém para pega-lo no flagra (tendo que  justificar de qualquer maneira aquela roupa vermelha).

Ralph ganhou uma namorada a bela advogada Pam Davidson (Connie Selleca) que estava cuidando de seu divórcio (formando um trio no combate ao crime). E mais tarde eles romperam o relacionamento, mas acabaram reatando e casando.

Seu filho Kevin (Brandon Williams) reaparece a partir da segunda temporada já como adolescente, mas ele não sabe de nada quanto ao uniforme. Permanecendo o segredo guardado entre Pam e o agente Bill.

O Super-Herói Americano é uma série que deixou muita saudade por abordar um tema aonde os heróis sempre são mostrados como altivos e poderosos. Mais Ralph era uma pessoa comum que de repente viu sua vida se transformar drasticamente ao ganhar o uniforme alienígena. E pra piorar ainda mais situação sem o manual de instruções teve que penar se esborrachando várias vezes para aprender a usar seus poderes especiais.

1

 Em 1986, o produtor Stephen J. Channell criou uma continuação da série a rede ABC aprovou o projeto, mas William Katt recusou voltar ao papel que o tornou famoso.

Surgiu a ideia de substitui-lo por uma protagonista mulher na nova série Greatest American Heroine e teve até um episódio piloto gravado. Só que o projeto não foi aprovado pelos executivos da emissora sendo infelizmente engavetado.

A série teve um total de 43 episódios divididos em três temporadas que foram exibidos de 1981 até 1983 nos Estados Unidos. Stephen J. Cannell é famoso por produzir algumas séries televisivas de muito sucesso da década de 80 como Esquadrão Classe A e Anjos da Lei.

Na web há vários sites que disponibilizam a venda desta saudosa série clássica que deixou saudade no coração dos fãs.

Fonte de pesquisa, InfanTV e MSH.

Deixe um comentário

Arquivado em Super Séries