Arquivo da tag: Desenho Antigo

Desenho Antigo

flintstones

Os Flintstones

É um dos melhores desenhos feito pela dupla Hanna-Barbera, pois as situações mostradas são muito engraçadas.

Como curiosidade, Os Flintstones surgiram inspirados no sitcom “The Honeymooners” e também nas animações da série “Stone Age Cartoons”.

Outro fato legal é que foi a primeira série animada indicada ao Emmy de melhor série cômica (1961).

A grande sacada dos Flintstones são os costumes do “mundo atual” (diga-se logo 1960) transportados para a Idade da Pedra. Adaptaram coisas que nós usamos no dia-a-dia no formato de animais como elefante-chuveiro, dinossauro-escada rolante, pterodátilo-avião entre outras que sempre achei esta parte engenhosa.

Fred Flintstone  na verdade é um pai trabalhador e esforçado, mas também na maioria das vezes torna-se um turrão, cabeça dura e como defeito é um enorme comilão, mas é bonachão e não deixa de ser um dos personagens mais carismáticos que já vi.

Trabalha numa pedreira com um dinossauro-guindaste e seu chefe é o chato Sr. Pedregulho.

Do outro lado do muro temos Barney Rubble, um baixinho narigudo e de bom coração que está sempre disposto a ajudar seu melhor amigo. Mesmo quando estão nas piores enrascadas. Eles funcionam como amigos e contrastam tanto em personalidade quanto em estatura.

Wilma e Betty são as dedicadas e respectivas esposas que ajudam seus maridos quando estão com problema e tentam tirar alguma lição moral da história. Seu famoso grito de guerra: “as compras” acontecia quando encontravam dinheiro, principalmente Vilma, que Fred escondia para usar em outra coisa.

Sempre que Fred dizia: “Wilma cheguei.” Dino começava a latir e saia correndo para então pular encima de seu dono.  O que sempre achei estranho é o fato deste dinossauro se comportar feito um cão, mas vamos deixar isto de lado.

Nos ano 70 e 80 foram criadas outros desenhos baseados nas séries originais aonde Bam-Bam e Pedrita casam ou Os Flintstones viram crianças que eu detesto.

Há um especial que adoro  é O Homem Chamado Flintstone aonde Fred aceita uma perigosa missão substituindo um superagente machucado muito parecido com ele.

Sua tarefa: encontrar o vilão Ganso Verde e impedi-lo de completar seu plano de dominar o mundo. Esta aventura ao estilo de James Bond é algo realmente marcante.

Ao final da desenho tradicional Fred põe o Tigre Dentes de Sabre pra fora de casa e o bichano volta, deixando nosso amigo do lado de fora gritando:“Wilmaaaa…” É uma viajem nostálgica que foi aproveitado no filme.

A primeira adaptação live action do desenho foi Os Flintstones: O Filme feita em 1994.

Na trama o executivo Cliff Vandercave e Ágata Cristal (Halle Berry), sua secretária promovem um teste de aptidão na Pedregulho & Cia.Quem se sobressai é Fred Flintstone (John Goodman) que se torna vice-presidente da empresa.

A dupla se aproveita pra usar Fred como bode expiatório num esquema de fraude. Wilma e Fred ficam maravilhados com estilo de vida suntuoso. Porém quando mais precisam são salvos por seus amigos Barney (Rick Moranis) e Betty (Rosie O’Donnell).

O segundo filme é Os Flintstones em Viva Rock Vegas (2000) sua história acontece antes do filme sitado acima.

Após sair da faculdade, Fred (Mark Addy) conheceWilma Slaghoople (Kristen Johnson). Na companhia de seu melhor amigo Barney Rubble (Stephen Baldwin) e sua noiva Betty (Jane Krakowski) partem num passeio romântico pra Rock Vegas.

Lembrando que as duas adaptações cinematográficas não despertaram grande interesse do público. Isto é fracassaram em  não render uma vultuosa bilheteria, mas conseguiram captar a essência da série animada.

Eu quase ia me esquecendo de Os Flintstones nos Anos Dourados, feito em 1986.

Neste spin-off vemos Fred, Barney, Wilma e Betty ainda crianças vivendo aventuras em Bedrock.

Ainda temos os animais de estimação, Dino e Fang e também os amigos Philo Quartz, Dreamchip Gemstone e Nate Slade. Pra complicar o bad boy, Rocky Tatrock, é apaixonado pela Wilma e está sempre na companhia do seu cão Stalagmutt e pelo seu grupo de amigos.

Haviam outros segmentos: “Os Dilemas do Dino” mostrando aventuras protagonizadas pelo dinossauro. “Flintstone Funnies” com sonhos e fantasias envolvendo Fred, Betty, Wilma e Barney.

E  As Aventuras do Capitão Caverna e Caverninha mostrado como uma série de TV que as crianças adoravam assistir. Nela o atrapalhado do Capitão Caverna salvava o dia ao lado de seu filho Caverninha (o menino era mais inteligente que o pai).

E pra fechar temos Os Jetsons e os Flintstones se Encontram, uma excelente animação que reúne as famílias mais famosas da Hanna-Barbera lançada em 1987.

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Desenho Antigo

snoopy

Snoopy

É um simpático e narigudo beagle, criado por Charles M. Schutz.

Snoopy tem uma personalidade muito forte, uma imaginação enorme e é um engraçado dançarino. Não é raro vê-lo como o Ás Aviador voando pelos ares combatendo o Barão Vermelho em voos mirabolantes recheados de tiros de metralhadoras e histórias de guerras sensacionais.

Várias vezes está na companhia do inseparável amigo Woodstock (que têm o nome igual do  festival de rock ao ar livre acontecido durante os anos 1960).

Woodstock é um canário atrapalhado e engraçado que desempenha diversas passagens como ajudante de Snoopy aonde  representam  algumas das melhores cenas desta animação.

Charlie Brown é o dono de Snoopy dá para notar que sofre de um extremo complexo de inferioridade, pois não é raro vermos uma nuvem de chuva por sobre sua cabeça.

Isto fora suas declarações. Não sei se lhe falta sorte ou vontade de realmente conseguir o que deseja, mas fora isso Charlie é um fanático por Beisebol e infelizmente nunca consegue vencer uma só partida sequer. Sempre perdendo para qualquer adversário que lhe confrontar. Bom, fora CB e Snoopy há outros personagens bastante legais nesta animação.

Linus é o melhor amigo de CB, mas vive com um cobertor azul a tira colo que não larga desde quando era bebê. Sempre aconselha o amigo injetando-lhe coragem para prosseguir.

Outra que acho muito estranha é a Patty Pimentinha que manda sempre na Márcia.

E a Márcia faz tudo que Patty lhe manda de uma maneira subserviente que é chata até demais. Patty nutre uma paixão recolhida por CB que só tem olhos para a Garotinha Ruiva. Sempre gostei desta paixão que Charlie Brown demonstrou e eu sonhava encontrar uma menina que me deixasse assim feliz.

Confesso que nunca gostei da Lucy acho-a antipática e tenta sempre ser a dona da verdade. Quando ela vinha dando uma de psicóloga era a parte que eu menos gostava.

Eu admiro o Schroeder por ser um pianista tão jovem que gosta de música clássica. São tantos personagens carismáticos quanto engraçados, porém nota-se que a turma do Peanuts serve de coadjuvante para o Snoopy brilhar como personagem principal.

E os adultos além de praticamente não aparecerem sua voz é como se fosse de corneta. É um mundo infantil mais com questões profundas e filosóficas. Nunca me esquecerei do Snoopy que ficará guardado pra sempre em minha memória.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Desenho Antigo

amazingchanchanclan

As Aventuras de Charlie Chan

Esse pra mim é uma dos melhores desenhos da Hanna-Barbera.

Seu nome original é The Amazing Chan and the Chan Clan, a parte interessante é que seu surgimento foi inspirado no detetive chines Charlie Chan.

Dizem as lendas que seu surgimento também foi inspirado tanto em Scooby-Doo, quanto na Turma do Archie.

Na série animada acompanhamos as viagens da família ao redor do mundo. Charlie Chan é o patriarca deles um detetive famoso que sempre é convidado pra resolver algum caso misterioso.

A grande curiosidade é que Chan tem 10 filhos entre adolesccentes, pré-adolescentes e crianças que são: Henry Chan, o mais velho e líder da turma, Stanley Chan, segundo mais velho, mestre dos disfarces e mais engraçado deles, Suzie Chan, a mais velha das meninas, Alan Chan, engenheiro e mais inteligente, Anne Chan parece moleca, Tom Chan faz o tipo intelectual, Flip Chan, líder dos pequenos, Scooter Chan, mais novo e braço direito do Flip, Nancy Chan é a comilona e Mimi Chan típica menininha.

Como não poderia deixar de ser havia uma animal de estimação Chuchu, cão da família.

Qunado Charlie saia pra investigar a turma dava sempre um jeito de “ajudar” seu pai, mas na verdade o que realmente causavam era muita confusão.

Lembro que a van deles se transformava em diversos veículos diferentes usando um painel com números (tipo caminhão, bombeiro, trator entre outros).

O desenho seguia a mesma fórmula do Scooby-Doo com perseguição, aventura, investigação, correria e música, pois a garotada tinha uma banda. Só pra constar as vozes dos cantores eram da mesma banda do desenho A Turma do Archie.

Durante as piadas feitas por Stanley podíamos ouvir o artifício do som de risadas pra nos entreter.

No final de todas as aventuras Charlie surgia pra desvendar o mistério solucionando o caso.

O sucesso do desenho rendeu uma revista em quadrinhos que não durou muito, pois foram 4 edições lançadas pela Gold Key, no entanto não sei se tiveram traduções por português.

Foi produzida somente uma única temporada de As Aventuras de Charlie Chan, cada desenho tinha 30 minutos de duração, tendo 16 episódios e terminando no mesmo ano no qual começou (1972).

O desenho já foi transmitido aqui pela Rede Globo, Rede Manchete, Rede Record, Band e Boomerang.

Fonte de Pesquisa: InfanTV.

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Desenho Antigo

os-jetsons

Os Jetsons

É a segunda família mais famosa dos desenhos da Hanna-Barbera. Os Jetsons também surgiram durante os anos 60.

Enquanto que nos Flintstones vemos como seria a vida na Idade da Pedra com os Jetsons estamos na Era Espacial. No desenho a humanidade pode viajar entre os planetas de forma simples e isso é muito comum.

George Jetson é um esforçado pai de família, mas que demonstra ser bastante atrapalhado em algumas situações. Jane Jetson é sua dedicada esposa que organiza a casa, mas quem faz a maioria dos trabalhos domésticos é a robô Rosie.

Lembrei que Jane gosta muito de mudar seu visual num episódio chegou até a ganhar um concurso de beleza.

Os filhos do casal são Judy Jetson, uma adolescente que curte roupas, adora namorar, escuta rock n’ roll, conta sua vida pro dário e estuda na Escola Secundária Orbit. Elroy é o caçula que estuda na Little Dipper School suas matérias preferidas são História Espacial, Astrofísica e Geometria Estelar(demonstra ser muito inteligente).

Na companhia deles está Astro cão de estimação da família (que pode falar). Além de carregar os chinelos de George, Astro adora ficar na cadeira preferida de seu dono.

Depois surgiu outro mascote na família que foi Orbitty, um alienígena fofinho que utiliza as cores pra expressar suas emoções.

George trabalha três horas por dia pro chato do Senhor Spacely, um baixinho folgado dono da companhia Spacely Space Sprockets. Sua função é ligar e desligar o computador R.U.D.I. (sigla em inglês para Referential Universal Digital Indexer).

Quando está de folga George joga Spaceball (tipo de Baseball) com Elroy. Tanto RUDI, quanto Astro são os melhores amigos de George.

Há ainda outros personagens coadjuvantes como Henry, o zelador do prédio que age como faz tudo ajudando em diversas tarefas. Seu robô Mac tem uma queda por Rosie sendo correspondido por ela.

Temos também a Senhora Stella Spacelly esposa de Cosmo, Arthur filho do casal e a Senhorita Galáxia secretária do Spacelly.

Outro chato de galocha é o Senhor Cogswell dono da Cogswell Cogs, uma empresa concorrente do Spacelly. Cogswell e Spacelly ficam brigando direto, pois tentam arranjar meios que a empresa do outro naufrague.

Durante os episódios há um policial que surge regularmente, mas não lembro do seu nome.

A parte mais fascinante dos Jetson é sua tecnologia mostrando carros voadores (com painel de bolha), toda cidade suspensa por sobre o chão tendo até colunas que se ajustam (conforme o clima que estiver fazendo).

Uma comodidade em todos os lugares com botões pra todo tipo de necessidade que houver, videochat (conversando por monitor), transporte de tubo a vácuo (algo que facilitava a movimentação dos personagens).

Como curiosidade enquanto que nos Flintstones o nome das celebridades tinha haver com pedra (ou Stone no original). A mesma situação foi aproveitada com os Jetsons com personagens usando Space ou sobrenome de planetas.

Além dos cenários caprichados e tecnologia citada acima os Jetsons apresentava muto rock em seus episódios. A música “Eep Opp Ork Ah-Ah” composta por Judy pro seu ídolo Jet Screamer é a mais famosa do desenho.

Os Jetsons é um desenho marcante, pois apresenta personagens carismáticos, muito divertidos e uma possível vida futurista que logo estaremos vivendo.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Desenho Antigo

manda-chuva

Manda Chuva

É um gato que vive num beco na cidade de Manhattan, em Nova York (aqui no Brasil mudaram a cidade pra Brasília).

A dublagem brasileira da AIC-São Paulo é histórica, pois o ator Lima Duarte emprestou sua voz pro Manda Chuva.

Dizem as lendas que o desenho da Hanna-Barbera surgiu inspirado no seriado antigo The Phil Silvers Show. No qual  o Sargento Bilko tenta arranjar dinheiro utilizando vários tipos de golpe e pra isso faz seus soldados ajudarem-no nessas tramóias.

Então o enredo pro desenho segue totalmente essa situação, pois Manda Chuva (Top Cat, no orginal) sobrevive dando golpe nas pessoas pra arranjar dinheiro.

Eu gosto de seu jeito inteligente e sagaz, pois sempre através de muita lábia consegue o que almeja.

É óbvio que como se trata de um desenho ele causa e também encontra muita confusão.

Quem sofre com as besteiras do gato é o Guarda Belo, um policial honesto, mas dono de um temperamento forte. Belo tenta colocar juízo no Manda Chuva só que geralmente é passado pra trás.

Junto com Manda Chuva temos sua turma de amigos: Batatinha, seu braço direito (é o meu preferido de todos). Tem um temperamento gentil, muito inocente e faz tudo o que seu “Chefe” ordenar.

Já seu braço direito é o Chu-Chu fica agindo como vigia do beco pra algum eventual problema.

Espeto demonstra um sotaque nordestino engraçado, Bacana é o conquistador e aparece dando encima das gatas e o coitado do Gênio não é muito inteligente.

Manda Chuva mora numa lata de lixo e na abertura do desenho vemos as inicias TC nela. A parte engraçada é que a lata parece pequena por fora mais nessa mesma abertura ele entra, liga a TV ou vai dormir.

Esse interior enorme me lembro a casinha do Snoopy que tem o mesmo mistério.

Continando, o Guarda Belo é o policial designado pela segurança da área e devido aos problemas que Manda Chuva causa fica perseguindo pra retirar sua turma do beco.

A lata de lixo aonde TC mora tem uma cabine telefônica da polícia e o gato a usa pros seus interesses.

Devido as suas falcatruas, Manda Chuva normalmente está devendo dinheiro pra todos os comerciantes da região (Schultz da mercearia, Lou da alfaiataria entre outros).

Um episódio que eu não me esqueço é o do milionário entediado que resolve doar 100 milhões de cruzeiros. Manda Chuva tinha a intenção de vender rifas e o Batatinha recebe esse cheque com a soma vultuosa.

Quando Batatinha vai descontar o cheque no banco o alfaiate fica sabendo. E espalha a novidade pra todos os outros comerciantes do bairro.

O detalhe importante é que passam a paparicar o Mand Chuva (dando-lhe roupas, carro, buffet de comida entre outras coisas).

Só ele não sabia que havia ficado rico então Manda Chuva sem saber rasga o cheque daquela dinheirama. Entrando em desespero ao saber da verdade é um episódio muito divertido.

Bom, na década de 70 a Editora O Cruzeiro lançou alguns gibis do gato malandro, mas ao longo dos anos também tivemos edições da Editora Abril, RGE, Cedibra e Paninni Comics.

E pra fechar, o desenho do Manda Chuva teve uma temporada com 30 episódios e terminando em 1962.

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Desenho Antigo

duck-tales

Duck Tales, Os Caçadores de Aventuras 

Eu já conhecia a maioria dos personagens, pois vivia lendo gibis do Tio Patinhas, Pato Donald, Peninha e Gastão.

Me amarrava na abertura cantada pelo ex-Bozo Luiz Ricardo e confesso que até hoje nunca mais esqueci sua letra.

Duck Tales foi produzido pela Walt Disney Television Animation e foi lançado por aqui em 1988.

Como curiosidade a série animada surgiu baseando-se livremente nas histórias de Carl Barks, um famoso ilustrador da Disney apelidado de O Homem dos Patos. Barks é o responsável por criar a enorme maioria dos personagens de Patópolis.

Acompanhamos as aventuras do Tio Patinhas, um velho riquíssimo e ao mesmo tempo pão duro de primeira categoria (ele passa mal quando o assunto é gastar dinheiro).

Quando precisava investir em algo lucrativo, Patinhas viajava pra qualquer lugar do mundo para conseguir o que queria. Suas expedições atrás de relíquias antigas visavam somente no quanto iria ganhar de posse dos artefatos.

Durante essas jornadas o velho ranzinza ia na companhia dos seus sobrinhos Huginho, Zezinho e Luizinho. Donald havia deixado os meninos em sua companhia tendo que servir na marinha.

Nas aventuras os meninos sempre usavam seu aprendizado como escoteiros-mirins pra resolver alguma situação embaraçosa. Pra mim o mais engraçado era o Capitão Boing, um atrapalhadíssimo piloto particular que geralmente tem problemas durante os voos.

Feito totalmente no melhor estilo Indiana Jones a trupe sempre viajava por todo planeta. Seja procurando civilizações esquecidas, florestas, povoados remotos ou ilha perdidas.

Pra atrapalhar surgia a Maga Patalógica que almejava pegar a Moedinha Número Um, Pão-Duro Mac Mônei, um milionário invejoso que queria provar ser mais rico que o Patinhas e os Irmãos Metralhas, uma quadrilha desastrada que sempre tentava roubar a caixa-forte do Patinhas.

O desenho era tão legal que havia outros personagens carismáticos como Leopoldo, mordomo do Patinhas, Madame Patilda, um tipo de governanta ajudando nos afazeres domésticos da mansão. Patrícia, sua neta que demonstrava ser muito educada.

Ainda tínhamos o Professor Pardal, um inteligente inventor que construia diversas engenhocas. E Lampadinha, seu ajudante, uma lâmpada robô com vida própria.

Só pra constar o Professor Gavião é o principal inimigo do Pardal geralmente querendo roubar suas invenções (se não me engano parece em algum episódio).

Sem contar com Asnésio, um escoteiro gordinho e enrolado amigo dos meninos e Bubba, um engraçado pato das cavernas que entrou na segunda temporada do desenho. Tootsie é um triceratops que ele trata como seu animal de estimação.

Após o termino da série animada surgiu a animação DuckTales – O Tesouro da Lâmpada Perdida. Quando estava procurando o tesouro perdido de Coli Babá no Egito a fim de exibir no clube de arqueologia (Patinhas encontra uma lâmpada mágica).

Obviamente o gênio pode realizar qualquer pedido, mas também havia Merlock, um mago ruim e Dijon seu parceiro que desejam conquistar a lâmpada pra seus objetivos mesquinhos.

Bom pra fechar, Cada episódio de Duck Tales tinha duração de 22 minutos, foram produzidas 4 temporadas num total de 100 episódios e terminando em 1990.

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Desenho Antigo

Super Mouse

O que seria do mundo dos camundongos perseguidos e cercados por gatos  se não fosse a intervenção do Super Mouse?

Engraçado que ao pensar nesta série animada veio na lembrança o bordão: “Super Mouse é seu amigo, vai salvá-lo do perigo.”  SM usava sempre que sua namorada, Zizi, se encontrava ameaçada pelo infame vilão Gato Gatuno (que é muito parecido com Lex Luthor).

O personagem é claramente inspirado no Superman, pois lembro que havia duas versões diferentes do seu uniforme.  Na original havia um azul e capa vermelha.

E depois tem outra versão do uniforme amarelo e  capa vermelha que é mais conhecida. Lembro que Super Mouse tinha uma base na Lua e ficava olhando pra Terra num telescópio tomando conta de tudo.

Super Mouse em sua entrada triunfal demonstrava que quando vinha resolver algum problema era pra salvar o dia. E ao sair voando  tinha um rastro vermelho que se tornava sólido e usava como corda.

Seus poderes incluem super força, super sentidos e poder de voo que eram empregados no combate contra os vilões. A graça da animação era justamente essa o herói que ajuda os pequenos, fracos e indefesos contra os grandes felinos vilanescos.

Particularmente não gosto de As Novas Aventuras do Super Mouse, da Filmation (1987). Infelizmente ficou muito abaixo da versão original. Confesso que até conseguiram levar o personagem para outras gerações, mas a forma lúdica das primeiras animações é sem precedentes.

Super Mouse está  guardado em minha memória afetiva, pois de maneira divertida me faz voltar pra uma época em que minha vida era somente ficar em frente a TV, ir pra escola e nada mais.

Mais detalhes no Wikipédia.

2 Comentários

Arquivado em Desenho Antigo