Arquivo da tag: Era de Ouro

Musas de Tinta

z

Mulher-Gato

Selina Kyle é uma linda mulher, sensual e sexy. Além disso tudo é uma ladra extremamente  habilidosa.

Catwoman foi criada pelos mestres Bob Kane e Bill Finger surgindo pela primeira vez na edição Batman # 1, em 1940.

Na distante Era de Ouro, Selina Kyle tinha uma personalidade bastante introvertida, pois era uma aeromoça que após sobreviver a um acidente de avião sofreu de amnésia. Sendo exatamente isso que despertou seu lado mais sexy e fazendo surgir The Cat, uma mulher sensual, praticamente “sem inibições”.

Só pra constar nessa época a vilã era conhecida dessa forma e algum tempo depois mudaram pra Mulher-Gato.

Essa versão com dupla personalidade de nossa ladra preferida foi abordada durante esse período várias vezes.

Então, a Mulher-Gato sempre agia manipulando a todos os homens que ousam passar pelo seu caminho, principalmente, um certo Homem-Morcego.

Enquanto o herói ás vezes mandava-a pra cadeia e outras pensava apenas em reabilita-la.

Na famosa edição Batman: Ano Um, de Frank Miller. Tivemos aquela versão muito discutida, porque mostrava, Selina retratada como uma garota de programa.

Sua origem havia sido recontada como uma prostituta que após ter sido abusada por um cafetão foi parar num hospital. E o herói Pantera lhe treinou para se defender, lutar e depois ela assume seu codinome de Mulher-Gato como criminosa.

Ainda bem que depois da complicada saga Zero Hora esse passado de nossa vilã foi jogado ralo abaixo.

Atualmente a relação entre eles é como uma enorme montanha russa que fica variando entre amor e ódio.

Durante a Saga Silêncio eles ficaram muito próximos fato que culminou na revelação da identidade secreta do Morcegão, mas a diferença entre os dois acabou rapidamente com o relacionamento.

Neste reboot da DC Selina e Bruce tiveram tórridas cenas de sexo mostradas nos quadrinhos demonstrando que esse sobe e desce dos dois perdurará por um longo tempo.

Um fato curioso é que eles foram casados na Terra 2 (uma Terra Paralela, do Universo DC Pré-Crise) e tiveram até uma filha Helena Wayne, que foi a heroína Caçadora.

No passado várias atrizes brilharam e conquistaram vários fãs ao interpretar a nossa ladra.

A primeira foi a atriz Julie Newmar no seriado dos anos 60 que demonstrava sensualidade de uma forma tão encantadora que era impossível não gostar dela.

A segunda foi a ex-Miss América Lee Meriwether que atuou no longa metragem do Homem-Morcego.

A cantora Eartha Kitt também nos presenteou ao mostrar-se como a vilã, mas sua interpretação na época não tinha agradado aos fãs (eu gostei bastante!).

Depois esperamos algumas décadas para que a Mulher-Gato retornasse para nos seduzir e tivemos a ótima atuação de Michelle Pfeiffer. Apesar de sua origem ter sido modificada. Ela conseguia misturar perversão com sensualidade de uma maneira arrebatadora, cruel e também inesquecível.

No início da década de 90 tivemos o inesquecível desenho Batman: A Série Animada comandada por Bruce Timm e Paul Dini. A série animada surgiu logo após o longa Batman – O Retorno e tivemos uma ladra muito sedutora e loira como no filme.

Eu não poderia esquecer de minha querida e belíssima Halle Berry que apesar de demonstrar ser bastante sexy (infelizmente sua versão foi uma porcaria terrível).

No péssimo seriado Birds of Prey, Selina foi interpretada pela atriz Maggie Baird e nossa musa surge apenas em flashbacks. Nessa versão mostraram a Mulher-Gato como uma meta-humana que infelizmente foi assassinada por ordem do Coringa.

A atriz Ashley Scott interpreta Helena Kyle, ela é filha da Selina com Bruce tornando-se a heroína Caçadora.

E por último temos Anne Hathaway interpretando muito bem a personagem, porém o mais interessante em Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge é que em nenhum momento Selina é chamada de Mulher Gato.

Nolan demonstrou que os vilões não se autodenominam, pois são as pessoas que põe os nomes neles.

Independente disso Selina Kyle é uma das personagens mais fascinantes do mundo dos quadrinhos, porque ela pode até agir como bad girl mais sua personalidade dúbia á torna muito interessante para mim.

Confira nesta galeria alguma imagens da nossa musa

0 1.1 1 2 3.1 3.2 Movie Roles Recast 3 4.1 4.2 4 5 8 9 10 11 12 13 15 16 17 18 20 21 22 23 25 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 adam hughes adam hughes2 adam hughes3 bruce timm bruce timm2 bruce timm3 bruce timm4 cat darwyn cooke1 darwyn cooke2 darwyn cooke3 jscottcampbell Batmans RŸckkehr wallpaper1 wallpaper3 wallpaper5 wallpaper6 wallpaper7.1 wallpaper7.2 wallpaper7.3 wallpaper7 wallpaper8.1 wallpaper8 wallpaper9

2 Comentários

Arquivado em Musas de Tinta

Batman: Através dos Tempos

Batman_cape

A Sombra do Morcego

O Homem-Morcego é um dos personagens mais queridos da DC. Por ser um ícone da cultura pop e dos quadrinhos Batman teve várias releituras e isso o mantém vivo em nossos corações. Acredito que apenas por Bruce um ser humano comum ir utilizando astúcia, dedução e a capacidade de influenciar a mente de outros seja seu grande ás na manga.

O que um crime brutal pode fazer a mente de um garoto de 8 anos? A vingança pode corroer sua alma ou ser um aditivo para algo maior?

Geralmente vemos um Batman sombrio, obsessivo e movido pela vingança, mas a questão principal é que Bruce Wayne faz de tudo para que haja um mundo aonde um garoto não perca seus pais de maneira trágica como ele perdeu. Pra mim o fato de usar esta tragédia como aditivo para ajudar quem precisa torna-o um grande herói.

Batman e Superman são diferentes em seu modo de agir e se comportar, pois Superman mesmo sendo um alienígena entre nós fica á vontade convivendo com as pessoas. Mais Bruce Wayne não relaxa e dificilmente deixa alguém entrar em sua vida com medo de perde-lo. Por várias vezes já pensei em como seria a vida de Bruce  se ele não tivesse perdido os pais e sinceramente (pra nossa infelicidade), talvez não existiria um Batman.

Outra questão é quem existe de verdade? O Batman é uma extensão de Bruce Wayne para poder agir livremente? Ou Batman é quem realmente existe e Bruce Wayne seja apenas sua máscara? Estas e mais outras questões tornam o Morcego fascinante, pois mesmo com toda esta pressão psicológica ele age pelo bem dos inocentes, lutando contra o mal e agindo pelas sombras.

Há algum tempo atrás os fãs norte-americanos decidiram pela morte de Jason Todd, o segundo Robin. E analisando o personagem vemos que na época foi um baque que quase destruiu o Morcego, mas pra mim a única pessoa que é de suma importância na vida pessoal de Bruce Wayne/Batman é Alfred Pennyworth.

Alfred é o único elo entre a família perdida de Bruce.  Além de conselheiro é praticamente um enfermeiro particular costurando Batman sempre quando necessário e auxiliando mesmo com suas frases sarcásticas. Alfred ainda ajuda a solucionar casos, inventa desculpas para Batman poder agir. E do meu ponto de vista é  praticamente um pai de Bruce apoiando-o em quase todos os momentos.

Detective Comics 27

O Batman (original) –

Seu surgimento veio na esteira do sucesso do Super-Homem que estava vendendo muito bem na época. Então, Vin Sullivan, editor da National Periodical (atual DC Comics) encomendou mais heróis pra vender.

A primeira história do Cruzado Embuçado foi publicada em Detective Comics # 27, em 1939. O Morcegão foi criado por Bob Kane e Bill Finger que antigamente não levava crédito pela co-autoria do herói.

Quando a dupla de artistas tiveram a incumbência de criar o Homem-Morcego tiveram como influência as aventuras e o uniforme do Zorro misturando a inteligência de Sherlock Holmes.

Dizem as lendas que o Morcegão também teve influência do Sombra (Lamont Cranston) e do The Bat (Dawson Clade), de 1934.

Como curiosidade ainda lá nos anos 40, Batman foi publicado aqui no Brasil. Na revista O Lobinho, mas sua identidade secreta foi trocada pra Bruno Miller e Gotham City virou Riacho Doce, vai entender!

Na história quando Thomas e Martha Wayne estavam voltando, com seu pequeno filho Bruce Wayne de uma sessão de cinema (estrelando Tyrone Power como Zorro) . Foram abordados por um ladrão armado (Joe Chill) que queria o colar de Martha.

Instintivamente na intenção de proteger sua família, Thomas reagiu e foi assassinado friamente, Martha com medo pediu socorro e morreu também. Tudo isso diante dos olhos do menino que transtornado pela perda jurou vingança devotando toda sua vida combater o crime.

Como a família Wayne era bastante rica, Bruce ao longo dos anos dedicou todo seu tempo estudando química, física, biologia, artes marciais e preparando seu corpo fisicamente para seu maior intento.

E ainda aprendeu algumas técnicas teatrais como disfarces, fugas e ventriloquismo, mas soube  que só isso não seria o suficiente.

Numa cena clássica temos Bruce sentado num quarto divagando que faltava-lhe um disfarce que fosse realmente sombrio e assustador. E como num presságio é exatamente neste momento que um morcego entra pela janela dando a ideia do uniforme e nome de Bat-Man.

Alguns podem até estranhar, mas o Morcegão original tinha um hífen como sinal gráfico (algo que foi abolido pouco tempo depois).

Outro fato interessante é que o herói que de forma invejável já teve várias namoradas em seu currículo tinha um interesse amoroso logo no inicio de suas histórias.

Seu nome é Julie Madison e foi sua primeira namorada. A personagem era uma modelo e atriz e foi noiva de BW, mas ela nunca soube de sua identidade secreta.

Eles se conheceram na universidade e começaram a namorar. Chegaram até a ficar noivos, porém quando Julie soube que Bruce nunca largaria o jeito de playboy irresponsável desistiu do relacionamento.

Julie tornou-se uma grande atriz em Hollywood adotando o nome de Portia Storme (uma referência a Shakespeare).

O Bat-Man original não era mais irascível e obstinado do que vemos atualmente. E pra quem pensa que a maneira como o Morcego foi demonstrado na HQ O Cavaleiro das Trevas (Frank Miller, em 1986) tenha sido alguma novidade.

Está erroneamente enganado, pois deve-se analisar que esta história foi apenas uma volta as origens de 1939.

Um fato interessante é que este Batman original encontra-se na Terra-2 e de uma forma diferente seu mordomo não é o Alfred que conhecemos. O nome dele era Alfred Beagle que trabalhou para BW ajudando com seus dons de detetive.

O Morcego da Era de Ouro foi um membro-fundador da Sociedade da Justiça da América, nos anos 1940.

A Mulher-Gato foi parceira dele e acabaram se casando tempos depois. E também foi dessa união que surgiu Helena Wayne que viria a se tornar a Caçadora.

Durante alguns anos ainda tivemos algumas histórias do personagem original, mas nos anos 70 tudo veio mudar. Quando Selina morreu, Bruce aposentou o manto e a capa.

Tendo que voltar a vestir quando um criminoso (Bill Jensen) ganhou poderes místicos e assim derrotando toda a SJA. Ele e Batman brigaram, porém a máscara do herói rasgou-se revelando sua identidade. Ao ver que Bruce Wayne era Batman ele enlouqueceu de vez (Bruce foi o Comissário de Polícia que prendeu Bill Jensen mandando-o pra cadeia).

A luta foi ferrenha até que a raiva fez Jensen se descontrolar provocando uma explosão que matou a ambos. Diante de um acontecimento  tão pesaroso o Senhor Destino fez todos esquecerem que Batman/Bruce Wayne eram a mesma pessoa, pois somente seus familiares e amigos mais íntimos continuavam a ter  recordações sobre isto.

Fazendo todo resto acreditar que ambos haviam morrido ao mesmo tempo. Esta é uma das poucas mortes de heróis que realmente fazem sentido, porque hoje em dia virou algo sem atrativo algum pra mim.

Só pra fechar, Bob Kane criou o desenho animado O Gato Corajoso e o Rato Minuto (Courageous Cat and Minute Mouse). Uma paródia bastante óbvia sobre a Dupla Dinâmica, os heróis usavam o Catmobile e foram exibidos na telinha durante os anos 60.

Foram produzidos a grande quantidade de 130 episódios indo ao ar até 1962.

Fonte: Mundo dos Super-Heróis e Batman Magazine.

2 Comentários

Arquivado em Batman: Através dos Tempos

Wallpapers

Superman

É o primeiro de todos os super-heróis, pois após o seu surgimento começou uma Era de Ouro aonde hoje temos milhares de heróis ao redor do mundo.

Significativamente, Superman é aquele que nos inspira a nos tornar melhores diante dos problemas que encontramos durante a nossa vida. É este exemplo que tiro pra mim e tento a todo custo levar a diante.

Nascido num planeta moribundo seus pais num sacrifício supremo o colocam numa espaçonave para viajar rumo a um planeta tecnologicamente atrasado.

O que poderia ser basicamente o fim foi o início de tudo para o pequeno Kal-El, pois seu foguete ao cair no meio do Kansas é encontrado pelo simpático casal Kent.

O menino, Clark Kent cresce recebendo uma educação simples, porém repleta dos conceitos mais claros de respeito, amizade e compaixão.

Sob os raios do sol amarelo seu corpo desenvolve-se como uma bateria acarretando grandes poderes ao longo dos anos.

Apesar de ser capaz dos feitos mais incríveis podendo assim dominar e subjugar a humanidade.

Justamente por ter nascido alienígena  Kal servindo de exemplo luta por um mundo mais justo pra todos nós.

Confira na galeria abaixo a evolução do Homem do Amanhã nestes impressionantes wallpapers que encontrei na web

2 Comentários

Arquivado em Wallpapers.

Superman: Através dos Tempos




Superman – O Maior Super-Herói de Todos os Tempos

O kriptoniano é o primeiro herói criado com superpoderes das HQs e se tornou ao longo dos anos um ícone pop mundial.  Seus autores Jerry Siegel (escritor) e Joe Shuster (artista) passaram um tremendo calvário para poder lança-lo nos gibis.

Nosso herói foi criado em meio a Grande Depressão e seu surgimento deu início a chamada Era de Ouro dos gibis. Sua existência foi baseada em mitos como Hércules, Sansão e também inspirado nos heróis John Carter e Doc Savage.

Dizem as lendas que o herói já foi careca isto aconteceu, porque Siegel e Shuster eram fãs dos livros pulp que eram revistas baratas aonde surgiram diversos personagens clássicos (tipo Flash Gordon, Tarzan, The Lone Ranger, Buck Rogers, Zorro entre outros) e também de ficção científica.

O protótipo pro surgimento do Super-Homem surgiu na edição de Science Fiction # 3 (1933), com a história “The Reign of the Super-Man” (O Reino do Super-Homem), no qual eles criaram um vilão com poderes telepáticos que queria obviamente dominar o mundo (tendo como influência os textos do filósofo alemão Friedrich Nietzsche).

Então descartaram essa ideia para depois reformularem tudo e aproveitando o gênero de gibis que vinha crescendo naquele momento criaram um super-herói incluindo apenas o nome Super-Homem.

Outra lenda diz que um editor recusou o personagem dizendo que não iria fazer sucesso por ser muito fantástico e então Siegel destruiu toda revista (sobrando apenas a capa).

Depois reformularam novamente o herói incluindo todas as características clássicas como o planeta condenado, a viagem na espaçonave e sua chegada ao nosso planeta.

Essa versão foi feita pras tiras de jornais, mas também amargaram um longo tempo de espera.  Até irem parar na mesa de M.C.Gaines que as encaminhou para a National Periodical Publications (atual DC Comics) sendo imediatamente aprovada.

Só que haviam sido feitas pra tira de jornal e seus criadores tiveram que adaptar para o formato de gibi. Então o Super-Homem estreou na revista Action Comics #1 (junho de 1938), tornando-se um estrondoso sucesso de vendas.

Após o surgimento do herói pipocaram diversas cópias suas, mas o primeiro foi Wonder Man, criado por Will Eisner pra Fox Feature Syndicate, ainda em 1939.

A única diferença era seu uniforme e também tinha um anel  que lhe dava os mesmos poderes do kriptoniano. Ao longo dos anos surgiram diversos outras cópias e homenagens como: Hipérion, Gladiador, Supremo e Sentinela.

Bom, o Homem do Amanhã era um herói defensor dos fracos e oprimidos mostrava um código moral aonde certo e errado são definições que não deixam meio termo.

Seu forte senso de justiça era inabalável. Aonde levava adiante suas próprias ideias tanto que seus inimigos poderiam ser mortos que ele não se importava.

Seu uniforme era baseado no de um trapezista de circo, a capa era mais curta e indestrutível, a sunga mais parecia um short e a bota era bastante diferente da que vemos.

As cores do seu uniforme original já eram azul e vermelho, mas o escudo era amarelo com um “S” simples.

O Super-Homem original não fazia prisioneiros e tinha seu próprio senso de justiça, que colocava em ação implacavelmente com seus únicos poderes na época: superforça e invulnerabilidade. Á margem da lei, este Homem do Amanhã lutava contra cientistas loucos, criminosos organizados, políticos corruptos ou empreiteiros mal intencionados.

Clark Kent trabalhava no jornal Estrela Diária (Daily Star), do editor George Taylor aonde conheceu a repórter Lois Lane que era apaixonada pelo Super-Homem (e não notava o Clark).

Usando o disfarce do simpático repórter Clark Kent o Super-Homem podia ficar por dentro dos acontecimentos para então lutar conta o mal sempre que precisasse.

Como curiosidade além de ser o primeiro personagem dos quadrinhos a usar capa e superpoderes. O Azulão também foi o primeiro herói a ter uma revista intitulada com o seu nome: Superman # 1, publicada no verão de 1939.

Ao longo dos anos foram feitas diversas releituras de sua origem, mas mantiveram o básico um alienígena que vem pra Terra, cresce com poderes extraordinários e passa a usa-los pro bem da humanidade.

O grande sucesso do Superman é justamente pelo simples fato que Siegel e Shuster criaram um herói que personifica a verdade e a justiça (alguém que podemos seguir como exemplo).

Deixe um comentário

Arquivado em Superman: Através dos Tempos