Arquivo da tag: john stewart

HQ

Brincadeira-de-Crianca

Brincadeira de Criança

Neste episódio de Sem Limites Morgana Le Fey encontra um artefato  mais poderoso do mundo. O amuleto de Magia Primal. Só que  Mordred está cansado de esperar que sua mãe lhe arranje um reino só seu para governar.

E enfurecido pega o amuleto das mãos dela exilando todos os adulto do mundo numa espécie de limbo. Morgana diante daquela situação pede auxilio de John Stewart, Diana, Batman e Superman transformando-os em criança para retirarem o artefato das mãos de seu filho.

Longe do controle dos adultos as crianças estão bem a vontade, mas a parte engraçada é ver Diana dando encima de Bruce descaradamente e John dizer para Clark que apesar de possuir vários tipos visões não consegue enxergar o que acontece ao seu redor.

Brincadeira de Criança termina com Mordred virando um velhinho gagá por toda eternidade e sua mãe cuidando dele com maior carinho. O fato dos adultos serem banidos da Terra me lembrou a HQ Melhores do Mundo n° 30 na qual acontece algo semelhante.

os-melhores-do-mundo-n-30

Um Mundo Sem Adultos

Na primeira história temos a presença de Robin (Tim Drake), Superboy e Impulso (Bart Allen) que após agirem tem respectivamente sua atenção chamada por seus tutores : Batman, Superman e Max Mercúrio.

Robin é mandado de volta pra Batcaverna, Superboy precisa recolher os destroços de sua batalha e Impulso deve voltar pra casa e estudar.

A presença dos heróis jovens tem ligação com o garoto aniversariante Matthem Stuart que ganha de presente, um estranho artefato atlante, de seu pai que arqueólogo.

É lógico que o garoto queria receber outra coisa, um vídeo game, mas o inusitado presente revela ser um gênio malvado que foi preso pelo Mago Árion séculos atrás (o gênio possuiu o corpo do menino).

A primeira mudança a ser notada é o sumiço de todas as crianças do mundo “real” que foram transportadas para o Mundo Infantil.

O roteiro de Todd Dezago é inteligente mostrando que sem a presença dos adultos para impor regras ou cobrar atitudes (a bagunça da criançada é total e geral).

Só que a arte combinada de Mike McKone e Humberto Ramos decepciona. Talvez por querer nos ambientar num estilo cartoon pra mim ficou bastante estranha.

E quem salva as crianças das confusões que elas mesmas aprontam são os heróis adolescentes da DC.

Mary Marvel salva o garoto que pulou do alto de uma casa com guarda-chuva, Superboy ajuda a pousar o avião do jovem piloto na Ferris Aeronáutica, Robin um moleque que dá uma de atirador e Impulso os encrenqueiros que soltaram todos os animais do zoológico.

Os salvamentos fazem os três jovens se encontrarem na busca por resposta pro que está acontecendo. A preocupação da LJA e também do mundo é demonstrada pelo presidente Bill Clinton (desesperado pelo que está acontecendo, porque sua filha Chelsea Clinton também está desaparecida).

E o Flash faz a principal pergunta onde eles não estava procurando era aonde as crianças estavam. A verdade é que o menino Matthew Stuart  passou a se chamar Bedlam e acho que tinha o incrível poder de realizar todos os seus desejos (estava sendo controlado e manipulado pelo gênio púrpura).

Como sempre Batman descobre o que aconteceu, pois foram os adultos que sumiram da face da Terra enquanto as crianças ficaram livres. Deixando o resto da Liga em polvorosa por acreditar que seus assistentes estariam em graves apuros.

A trindade jovem segue pra Fawcett City para convocar Billy Batson  para ajuda-los, mas o rapaz com medo de morrer declina de participar. Depois de muito pensar Billy diz a palavra mágica e de forma preocupante não consegue se transformar no Capitão Marvel, porém fica preso entre os dois mundos.

Quando decide procurar a LJA na outra Terra conta toda situação pra eles citando Happy Harbor. Sendo aí que a equipe descobre o fio da meada que tanto esperavam. Bom, lembrando que Happy Harbor é o primeiro QG da Liga original.

A parte interessante é ver Robin, Impulso e Superboy enfrentando seus maiores temores. Somente Robin pensa no assunto e consegue reverter a situação trocando cada um de oponente (situação clássica que sempre funciona).

Algo que dá pra notar que Impulso por não ser muito inteligente faz o engraçadinho da turma. Sua imaginação fértil me lembrou Bobby Generic, pois eles são exatamente iguais.

O gênio púrpura estava controlando o corpo do Capitão Marvel, que é feito de magia, então era por isso que Billy não podia se transformar.

Um Mundo Sem Adultos não apresenta nada de especial, pois sua narrativa não demonstra o normal que nós estamos acostumados a ler (socos, explosões, destruição e vilãos insanos).

A história é bem fraquinha, porém o roteiro inteligente e similar a animação foi o que me fez lembrar desta história.

A única coisa de relevante é que aqui está o primeiro encontro da futura equipe Justiça Jovem, que iniciou com Superboy, Robin e Impulso, pois o Tornado Vermelho aparece no final.

HQ: Os Melhores do Mundo n° 30

Editora: Abril/DC Comics

Mês/ Ano: Abril/2000

Deixe um comentário

Arquivado em HQ.

HQ

odisseia_cosmica

Grandes Clássicos DC n° 12

Odisséia Cósmica

Já na introdução temos um ótimo texto de Robert Greenberger desfilando seu conhecimento do UDC (explicando desde o surgimento do kriptoniano até sagas anteriores que culminaram nesta edição).

Esta não é uma das minhas sagas preferidas, mas o roteiro de Jim Starlin é muito peculiar. Desenvolvendo uma catástrofe intergaláctica que mistura ciência e  magia de forma impressionante (como se fossem ambas uma coisa só).

Como o próprio nome diz Odisséia Cósmica traz os heróis espaciais da editora mais precisamente focando nos alienígenas que vivem aqui como: Superman, Ajax, Estelar e Adam Strange (também considerado um alienígena em Rann).

Além dos personagens da magia Senhor Destino e Etrigan, que estava separado de Jason Blood, lembrando que isto já havia acontecido com Bruce e o Hulk (sinistro!).

Nisto podemos notar a diversidade de heróis que são convocados pra salvar o universo. É claro que Superman e Batman estavam na lista, porém no período pós-Crise não eram mais amiguinhos como se via antigamente (ficaram diferentes tanto no M.O  quanto em personalidades).

A trama inicia com as tropas de Darkseid invadindo a Terra (sei que não é nenhuma novidade mais vamos lá). A invasão em Gotham é rechaçada por Superman e Magtron (no desenho o cara deu um tapa no bumbum da Mulher-Maravilha, sortudo!).

Os heróis vão embora e sem saber um integrante da tropa inimiga fica perdido na cidade do Morcegóide. Então devido ao sumiço de algumas pessoas descobrimos que  estavam sendo devoradas e convocado por Gordon o Homem-Morcego intervém. A luta entre eles é brutal, mas o herói consegue com muito custo se safar.

Logo somo levados pro Sistema Alfa Centauro e num tubo de explosão Metron em sua Poltrona Mobius está catatônico. Metron é um dos seres mais inteligentes do Universo DC que pode atravessar tranquilamente as barreiras entre os universos(algo que pode ser feito por quem tem inteligência nível 12, infelizmente pra mim não dá!).

Ele é muito parecido com o Vigia da Marvel mais a grande diferença é que Metron geralmente age ajudando os heróis (enquanto o outro fica mais de voyeur observando tudo).

O principal objetivo de Darkseid é conseguir a tal Equação Antivida que lhe traria poderes além de qualquer compreensão para então poder aniquilar todo o universo.

Quando o deus sombrio encontra uma ameaça grande demais até pra ele mesmo precisa deixar seu “orgulho” de lado e pedir ajuda aos heróis.

Na Casa Branca os heróis são convidados a irem pra Nova Gênese, lar dos personagens do Quarto Mundo, de Jack Kirby como: Pai Celestial, Metron, Orion, Magtron e Forrageador entre vários outros.

A arte de Mike Mignola é caricata, com rostos angulares,  expressões angustiantes e recheada de sombras (fato que ajuda a dar densidade ao que lemos). Pena que Estelar a única presença feminina na trama não ficou muito sensual sob seu trabalho.

Fora isso a HQ tem um acontecimento histórico e catastrófico, pois John Stewart fazendo dupla com Ajax não conseguiu destruir a Bomba do Juízo Final (que estava revestida de amarelo).

Em sua completa arrogância em acreditar apenas no poder do anel deixou o Caçador de Marte pra trás e acabou detonando o artefato destruindo o planeta Xanshi inteiro (pra se ter uma noção até Ajax chamou-o de idiota).

Por isso antigamente eu não gostava do herói, porém tudo mudou quando vi sua atuação na animação da Liga.

Outro fato interessante é que o Superman agiu como dupla de Orion, o deus arrogante exterminou vários thanagarianos que estava sendo controlados pelo Espectro Antivida.

Seu discurso de guerreiro que eram apenas mortes necessárias deixou o Super  tão bolado com ele que deu um porradão na cara do Orion (uma das poucas ocasiões em que podemos ver o kriptoniano desta forma).

O pior de tudo é saber que para nosso universo sobreviver tínhamos que confiar em Darkseid (qualquer um sabe que não se pode cogitar pensar nisso). Só que vê-lo sendo derrotado pelo Morcegão não têm preço.

Odisséia Cósmica não é uma das minhas HQs preferidas, mas sua trama é bem construída e desenvolvida no aspecto humano dos personagens. Mostrando suas escolhas, motivações e consequências e isto a torna uma boa pedida pra dar aquela folheada.

HQ: Grandes Clássicos DC n° 12 – Odisséia Cósmica

Editora: Panini Comics/DC Comics

Mês/Ano: Novembro/2007

Deixe um comentário

Arquivado em HQ.

Herói

z

John Stewart

Surgiu como um Lanterna Verde reserva para Hal Jordan (durante os anos 70). John ganhou o posto, porque Guy Gardner – o substituto oficial – estava ferido após salvar um grupo de crianças durante um terremoto.

John foi treinado por Jordan e decidiu não usar máscara, pois não tinha nada a esconder (assumir seu papel de herói com cara limpa foi uma ideia inteligente). Sua primeira missão foi proteger um senador corrupto e racista que estava envolvido num crime forjado para incriminar ativistas negros.

John não só solucionou o crime, mas também protegeu o senador (sendo aprovado para entrar na Tropa).

Antes do envolvimento com a Mulher-Gavião (algo que nunca houve nos gibis) e com Vixen relacionamentos que aconteceram no desenho da Liga. Enquanto nos quadrinhos John foi casado com Katma Tui e se não me falha a memória ela foi assassinada pela Safira Estrela.

Na série animada podemos notar que Katma e John tiveram um affair (ela também foi  sua professora de treinamento na Tropa).

No episódio,  “A Noite mais Densa”, John é levado para o planeta Ajuris-5 para ser julgado por ter destruído o planeta Ajuris-4. A história inicia com o herói andando por seu antigo bairro, lembrando Shaft, e logo surgem os Caçadores Cósmicos (robôs que os anões azuis criaram antes da Tropa para vigiar a galáxia).

Lembrando que em Lanterna Verde: Primeiro Voo eles estavam de conluio com Kanjar Ro (um antigo vilão da LJA) numa versão similar com os quadrinhos, pois os Caçadores Cósmicos também queriam vingança contra seus antigos mestres.

A série animada da Liga trouxe John Stewart como Lanterna Verde ao invés de Hal Jordan, pra dizer a verdade até estranhei, mas depois me acostumei com sua atuação. Já estava na hora de darem uma chance pro cara, pois nunca foi o preferido entre os fãs.

Pra mim ficou bem melhor do que colocar Kyle Rayner (ele é chato pra caramba).

Não sei se alguém notou mais estão sempre arranjando uma forma de lançar um novo Lanterna Verde da Terra. O original foi Alan Scott (anos 40), depois renovaram com Hal Jordan (anos 60), John Stewart com o movimento black power (anos 70), Guy Gardner nosso querido cabeça de cuia ascendeu nos anos 80 (este já existia antes), o desenhista Kyle Rayner ganhou destaque nos 90 e recentemente temos um árabe que nem sei qual é o nome.

Voltando, com o status quo renovado, pois no inicio Stewart era apenas um arquiteto. Durante a animação seu perfil foi mudado para ex-mariner, mas com o sucesso merecido atualizaram para ex-mariner formado em arquitetura (atuando também na LJA dos gibis durante aquele período).

Confesso que John Stewart nunca havia sido um dos meus LV preferidos, pois Alan Scott, Jordan e Gardner encabeçavam minha lista, mas suas atitudes estratégicas e sua forma coerente de pensar demonstradas no desenho fizeram mudar minha opinião. Ainda mais que ficou com duas mulheres exuberantes  a linda Shayera Hall e a provocante Vixen .

Não poderia deixar de comentar que minha raiva com John começou na HQ, Odisséia Cósmica, aonde temos a destruição do planeta Xanshi devido sua arrogância ao confiar demais no anel.

Ajax chama-o de idiota mais estava certo, porém o fato reverberou por anos na vida do herói. Em Melhores do Mundo n° 11, com roteiro de Ron Marz e arte de Darryl Banks, temos a história Vingança.

Nela Fatalidade diz ser a última sobrevivente de Xanshi e como o título diz em sua vingança atacava e por consequência matava qualquer LV que encontrasse em seu caminho. Nesse período John estava numa cadeira de rodas, mas Hal o curou quando ainda se autodenominava Parallax.

Kyle Rayner segue Fatalidade indo parar num planeta distante e com seu anel descarregado  luta instintivamente por sua vida. Esta história serviu apenas para consolidar Rayner como LV e também fazer Stewart retornar pra vida.

Confira na galeria abaixo algumas imagens de John Stewart e alguns Lanternas

0 1 2 3 4 5 6 08 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 green_lantern_john_stewart_by_patokaliandy-kubert GuyGardner Hal_Jordan_and_John_Stewart_Young_Justice katma-tui kilowog_by_rennee kyle-rayner Lanternas_Verdes_por_Ethan_Van_Sciver salaak Tomar-Re wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper 3 wallpaper 4

Deixe um comentário

Arquivado em Herói.