Arquivo da tag: mangá

Heróis Nipônicos

menino-bionico

O Menino Biônico

Criado pelo lendário Osamu Tezuka Jetter Mars (nome em inglês do anime) foi inspirado em outro anime clássico Astroboy. Além de também ser de Tezuka, Astroboy foi a primeira animação mostrando o estilo de aventura na televisão japonesa (seu sucesso originou a indústria de animação japonesa).

O anime original de Astroboy  nunca foi exibido em terra brazilis fato que foi mudado longos anos depois ao surgir na telinha uma versão mais moderna.  Quando foi veiculada pela TV Globinho no ano 2000 (e no excelente  filme de 2009).

O Menino Biônico foi exibido por aqui pela TV Record no início dos anos 80 dividindo espaço com Candy, Candy e Sawamu. Dizem as lendas que a intenção de Tezuka era  produzir uma versão colorida de Astroboy, mas não foi possível devido a crise de falência que seu estúdio enfrentava. Infelizmente alguns de seus personagens ficaram com problemas quanto a direitos autorais.

A solução foi criar um novo personagem que foi produzido pela Mushi Productions mesmo estando naquela situação. Surgiu então Jetta Marusu indo ao ar pela TV Fuji, em 1977. Como curiosidade o Menino Biônico é idêntico ao Astroboy, pois foi redesenhado para ficar com um aspecto ligeiramente “diferente” (boa parte de sua história é idêntica ao Astroboy).

Outro fato interessante é que o anime não teve um mangá produzido anteriormente sendo criado diretamente para televisão.

Na história ele foi criado por dois cientistas o Professor Yan que lhe concedeu grandes capacidades de combate e sua mente artificial foi criada pelo Doutor Sopa que lhe deu uma inteligência além do normal e um coração “quase” humano. O Dr. Sopa além de ser amigo de Yan também era seu maior rival.

O herói tinha super-força, resistência além do normal e poder de voo (combatendo as mais incríveis ameaças). Geralmente Marte tinha que escolher como usar seus poderes ou para fins destrutivos ou pacíficos.

O professor também criou outros dois androides Milly que possuía sentimentos humanos (e sofria profundamente por não se sentir uma humana completa). A parte que eu mais gostava era quando ela ensinava ao nosso herói alguma coisa útil ou importante. Além disso Milly tinha a habilidade de reparar robôs e máquinas destruídas.

Nosso herói tinha um irmãozinho, Melki, um engraçado bebê-robô que também exibia uma enorme força física.

O Menino Biônico a cada situação aprendia os conhecimentos e até sentimentos humanos demonstrando inicialmente ser desastrado. Mais com o passar do tempo consegue corrigir suas falhas e entender os seus limites.

A grande sacada dos animes de robôs era justamente essa personagens que detinham características humanas que nos conectam diretamente as aventuras.

Mesmo sendo um robô, o Menino Biônico tinha todas as características de uma criança normal (cheio de curiosidades e brincadeiras).

Algum tempo depois foi vendido uma pipoquinha doce na qual  o personagem estava ilustrado na embalagem.

No Japão o Menino Biônico não fez muito sucesso, mas ao ser exibido em outros países é lembrado e reverenciado por muitas pessoas (como o saudosista que escreveu este comentário).

Deixe um comentário

Arquivado em Heróis Nipônicos

Heróis Nipônicos

Vingadores_do_espaço

Os Vingadores do Espaço

A série tokusatsu também é conhecida como Maguma Taishi. Dizem as lendas que seu sucesso foi graças a campanha de marketing feita pelo lendário Ozamu Tezuka. Foi a primeira série colorida exibida pela TV japonesa.

Outra lenda diz que surgiu para concorrer com o sucesso de Ultraman que surgiu no mesmo ano por Eiji Tsuburaia.

Os Vingadores do Espaço surgiu primeiro no mangá criado por Tezuka sendo publicada como suplemento na revista Shonen Gahosha Magazine como “Ambassador Magma”, em 1966.

Na história o  cruel morcego espacial Rodak quer dominar a Terra utilizando vários monstros para atacar o Japão. O alienígena deseja acrescentar nosso planeta a sua vasta coleção.

Só que havia no Monte Olimpo o velho sábio Matuzen do planeta ZFS que preocupado envia para cá duas de suas principais invenções o guerreiro robô Goldar e sua esposa Silvar.

Goldar é um robô dourado com uma altura de 14 pés e pesando 20 toneladas e sua esposa Silvar de cor prateada tem as mesmas capacidades de combate de seu esposo (apesar de ter o tamanho de um ser humano comum).

O que eu achava mais interessante é que no alto de suas cabeças há antenas que emitem raios Gama. E também possuíam uma incrível capacidade de se transformar em foguetes podendo lançar mísseis através de uma abertura no tórax.

Aqui na Terra o vilão ameaçou a família do jornalista Tom Mura que infelizmente se viu envolvida nesta guerra. O menino Miko criou uma amizade especial com Goldar e foi levado ao Monte Olimpo quando chegou lá sua esposa pediu para que Matuzen criasse um filho pra eles. Surgindo assim o garoto Gam, um menino foguete .

Então para proteger Miko e sua família Matuzen lhe dá um apito para usa-lo sempre que estiver em qualquer situação de perigo. Quando Miko assoprava o apito (que tinha forma de foguete) uma vez era pra chamar Ga, duas vezes era  Silvar e três para Goldar.

O enredo mostrava geralmente amizade  e a convivência entre os robôs, mas o orçamento da produção era bem fraco debilitando as aventuras que eram mostradas.

Ao total foram 52 episódios e quando chegou nos Estados Unidos recebeu o nome de The Space Giants (tornando-se uma série cult). Como geralmente acontecia naquela época seus episódios foram redublados ganhando novos roteiros.

Em 1993 o herói e sua família tiveram um remake em OVA com 13 episódios. A animação é muito boa, mas não conseguiu fazer tanto sucesso quanto seu antigo live-action.

Goldar também é o primeiro  robô transformer da história da cultura nipônica algo que se tornaria lugar comum pouco tempo depois.

Deixe um comentário

Arquivado em Heróis Nipônicos

Heróis Nipônicos

Kamen Rider - 1971

Kamen Rider

A cultura japonesa é bastante rica tanto na literatura, poesias, filmes artes, desenhos e séries.

E pra mim existem 4 personagens que são super importantes na cultura de ficção nipônica: o primeiro é o Godzilla (que logo terá uma nova versão), o segundo é o National Kid, o terceiro é Ultraman e em quarto temos Kamen Rider (Motoqueiro Mascarado).

Não sei se é necessariamente nesta ordem, mas são os mais expressivos e que se destacam, particularmente eu colocariam em primeiro lugar o Ultraman (é lógico, pois sou fã de carteirinha assinada do herói) sendo que Hideki Goh e Sin Hayata são os meus preferidos.

Há uma enorme lista de atores que já interpretaram o gigante da família Ultra, mas em contra partida os Kamen Riders também são uma dinastia vasta. Conheça o primeiro que nunca foi mostrado aqui no Brasil.

Kamen Rider é um mangá (HQ japonesa) que foi criado pelo falecido Shotaro Ishinomori, em 1971.

kamen_rider_1_2

A Série

Takeshi Hongo, um estudante universitário de ciências e piloto de motociclismo, é sequestrado pela organização terrorista Shocker, com o intuito de transformá-lo num soldado cibernético. Antes da operação ser concluída e de sua memória ser apagada, Hongo consegue escapar e passa a combater Shocker, adotando o nome Kamen Rider.

Posteriormente, o fotógrafo free-lancer Hayato Ichimonji também é capturado e transformado num ciborgue  idêntico a Hongo, para eliminar o traidor. Hongo, no entanto, salva Ichimonji antes dele ser submetido a uma lavagem cerebral e Ichimonji passa a ocupar o lugar de Hongo como Kamen Rider, já que Hongo deixa o Japão para combater os agentes da Shocker em outras partes do mundo.

Mais tarde, com a volta de Hongo ao Japão, este passa a ser conhecido como Kamen Rider número 1, e Ichimonji, Kamen Rider número 2. É a vez de Ichimonji deixar o Japão para combater uma outra organização, Geldan. Quando Shocker e Geldan se fundem num único grupo, Gel-Shocker, Rider 2 retorna para ajudar Rider 1 a desmantelar a nova organização.

kotarominami

Kamen Rider Black

Historicamente foi a primeira série da franquia exibida em terra tupiniquim. O seriado teve até uma continuação que foi Kamen Rider Black RX (algo que comentarei num outro post).

Foi exibido na extinta Rede Manchete no programa Sessão Super Heróis, em 1991.

Kamen Rider Black (Kamen Raidā Burakku) foi produzido pela Toei Company junto com a Ishinomori Productions e transmitido pela rede MBS entre 4 de outubro de 1987 até 9 de outubro de 1988.

Numa noite, Issamu Minami (Kotaro Minami, no original) e Nobuhiko Aikizuki comemoram o aniversário de 19 anos deles (detalhe é que ambos são irmãos de criação).

Estranhamente uma nuvem de gafanhotos surge atacando a todos, mas ninguém exceto eles  notam tal fato. Foi o primeiro sinal de que algo iria acontecer.

De repente, os irmãos são transportados pra base secreta dos Gorgon, uma terrível organização que deseja enganar os humanos pra dominar o mundo.

Issamu e Nobuhiko foram escolhidos, porque nasceram no mesmo instante que se completava um eclipse solar. Deste modo através de um operação mutante eles adquirem poderes pra se transformarem em Imperadores Solares.

A intenção dos Gorgon era que os irmãos sem memória, lutassem até a morte e o vencedor seria proclamado o sucessor do Grande Rei dos Gorgon.

Mais o pai de Nobuhiko conseguiu salvar Issamu antes de sua lavagem cerebral ser concluída. Só que ele já tem no seu corpo a King Stone, a pedra responsável pela transformação.

Através destes poderes, Issamu diz a palavra “Henshin” podendo se transformar no Kamen Rider Black pra lutar contra os Gorgon e salvar nosso planeta de ser conquistado por essa organização maligna.

Ao longo dos episódios, o herói tenta libertar seu irmão que acaba se tornando seu maior arqui-inimigo o Imperador Secular Shadow Moon.

Sinceramente a melhor parte em acompanhar o seriado era sua temática diferente das demais que foram apresentadas. Havia um tom mais sério, melancólico e até sombrio em suas aventuras.

Issamu vivia numa lanchonete junto com sua irmã de criação Kyoko Akizuki e também com Satie Kida, namorada de Nobuhiko.

Auxiliando o herói em sua jornada tínhamos a Battle Hopper, uma moto orgânica que servia aos Imperadores Seculares. Tinha um instinto quase humano e também podia se auto-regenerar (caso sofresse algum dano grave). Infelizmente foi destruída por Shadow Moon no final da série, quando resistiu ao comando dele pra destruir Kamen Rider Black.

E a Lord Sector que havia sido projetada para os Gorgom, mas é dada à Black no episódio 12. Sector não tem os instintos de um ser vivo como sua predecessora, porém possui radar, computador e atinge a velocidade de 500 km/h.

Apesar de não possuir instintos de um ser vivo (como Battle Hopper), Lord Sector possui um radar, computador e pode atingir a velocidade média de 500 km/h.

Black possui várias técnicas de combate, mas aqueles que se destacam são: Golpe Insectus, Golpe Louva-a-Deus, Raio King Stone entre outros.

Kamen Rider Black apresentou uma temporada com 51 episódios no total.

É um seriado que irá deixar saudade em nossos corações.

Deixe um comentário

Arquivado em Heróis Nipônicos