Arquivo da tag: programa

Memória Brasil

tv pow

TV Powww!

Teve a incrível façanha de ser o primeiro programa interativo da TV brasileira. Hoje em dia é normal ligarmos ou mandar mensagens de e-mail para programas de TV, mas lá na década de 80 foi uma grande novidade.

Nós não sonhávamos que um dia no Brasil “quase” todo mundo iria ter  internet em  casa.

Como sempre Silvio Santos trouxe esta ideia dos Estados Unidos, onde o jogo surgiu com o nome de “Say Pow”, em 1979 (trazendo para nossa terrinha e fazendo a felicidade da criançada).

Lembro que eu era doido pra poder telefonar e tentar ganhar algum dinheiro, mas na época não tínhamos o aparelho.

No inicio TV Powww! Era apresentado por Paulo Barbosa, mas depois foi com Luis Ricardo que interpretou o palhaço Bozo, Tânia Alves, Mara Maravilha e também Sérgio Mallandro.

Não havia nada de mais no formato do game show, pois as crianças viam apenas a arma na tela e gritavam pow! Diversas vezes seguidas até acertar o alvo (é claro que erravam na maioria das vezes).

Na minha empolgação gritava assim mesmo (já fui criança tem que relevar).

TV Powww! Foi ao ar entre 1984 a 1986 virando depois um quadro do Programa do Bozo. Na verdade não tinha nada de espetacular, mas seu diferencial em podermos participar ativamente dos jogos é que tornou-o inesquecível.

Deixe um comentário

Arquivado em Memória Brasil

Memória Brasil

bozo

Bozo

O palhaço surgiu em 1946 quando uma gravadora de discos americana, a Capitol Records, lançou um disco de música com o personagem. Seu dublador era o  ator P. Colvig que  fez a primeira voz do Pateta para Disney.

Quando surgiu a TV em 1949, Bozo migrou pra telinha e  Larry Harmon foi o primeiro ator a interpretar o palhaço (ele também comprou os direitos sobre o personagem transformando-o numa franquia).

Dizem as lendas que juntou-se com alguns estilistas de Hollywood inventando o visual do personagem. Devido ao sucesso o programa do Bozo foi produzido para diversos países no mundo inteiro (e nós tivemos a nossa versão).

Alguém aí se lembra desta música: “alô criançada, o Bozo chegou trazendo alegria pra você e o vovô”.

Era o começo da diversão pra nos sentarmos diante da telinha e ficar de bobeira assistindo Popeye, Pica-Pau e principalmente Spectreman. Ou ainda ficar curtindo as estripulias daquela turma maravilhosa.

Eu me divertia com as palhaçadas do Papai Papudo (Gibe), achava carrancudo demais o  Salsi Fufu (Pedro de Lara que infelizmente faleceu), e me amarrava na gentil Vovó Mafalda (que era interpretada pelo saudoso Valentino Guzzo) e desejava ficar no lugar do Garoto Juca.

Bozo estreou aqui no Brasil em 1980, na TVS (atual SBT) e toda criança que tinha um telefone naquela época ligava pra poder participar do quadro Bozo-memória ao vivo (lembro que aqui em casa não tínhamos telefone e eu ficava triste porque não podia ligar).

Depois que atingiu um sucesso considerável o palhaço tinha alguns interpretes que se revezavam: Wandeko Pipoca (o primeiro), Luís Ricardo (o melhor de todos), Arlindo Barreto (que dizia palavrões), Décio Roberto e Marcos Pajé.

Haviam boatos que um Bozo era usuário de drogas, mas pra mim isto era só lenda. Só que ao pesquisar fiquei sabendo que a história foi verídica (e ainda bem que Arlindo Barreto superou o vício virando pastor evangélico).

Luís Ricardo continua na emissora até hoje participando do sorteio da Tele-Sena,  vende produtos eletrônicos pela telinha durante o Programa Silvio Santos.

Retirando lá do fundo baú temos a voz do Luís Ricardo cantando a versão nacional da abertura do desenho Duck Tales, Os Caçadores de Aventuras (nostalgia pura!)

O Programa do Bozo durou dez anos (indo de 1980 a 1991), mas seu sucesso foi tão grande que marcou várias gerações de crianças pelo país.

Então de repente o Yudi sumiu do Bom Dia & Cia. (o motivo de sua saída foi uma desavença com a filha do Sílvio Santos que é diretora).

E Bozo veio apresentar ao lado da Priscila o programa infantil, mas pouco tempo depois ao sábados. Tivemos uma nova turma de atores a representar os mesmos personagens de antes, pois voltaram Salsi Fufu, Vovó Mafalda e Papai Papudo (e sinceramente ficou fraco demais).

Estava soando forçado e sem graça, porque o carisma da galera anterior era tão contagiante, leve e engraçado que não dava nem pra comparar. Tanto que foi verdade que logo retiraram do ar (já que a audiência estava baixa).

E ainda tiveram a coragem de exibir aquele desenho mequetrefe do palhaço. Quando revi passei mal da qualidade ser tão ruim (não sei como eu gostava daquilo).

Seja cantando a música do chuveiro, lendo cartas das crianças ou fazendo brincadeiras o Bozo ficará guardado no coração de quem teve a alegria de vê-lo quando jovem eternamente.

Deixe um comentário

Arquivado em Memória Brasil

Memória Brasil

fofão

TV Fofão

O personagem Fofão foi criado  pelo artista plástico Orival Pessini e surgiu no saudoso programa infantil Balão Mágico, em 1983. Nosso querido amigo é um extraterrestre vindo do planeta Fofolândia.

Ele fez tanto sucesso entre a criançada que após acabar o programa Balão Mágico (Rede Globo) ganhou seu próprio programa na TV Bandeirantes (1986 a 1989).

No início ele não falava apenas emitia alguns sons que Simony traduzia e só depois ganhou voz engraçada (que aliás lembrava demais o Pateta, da Disney).

Quando terminou o programa da Globo o Fofão fazia muito sucesso rendendo até um boneco que infelizmente teve a má fama de ser amaldiçoado, porque havia uma lâmina dentro dele. Minha irmã teve um e eu não vi nada do que diziam na época.

Talvez porque fosse muito parecido com Chuck da famosa série cinematográfica Brinquedo Assassino aonde tínhamos um boneco que ganhava vida após um ritual vodu. E este sim era mais assustador e geralmente quando assistia  eu ficava com pena do garoto Andy, pois o criminoso desejava a qualquer custo transferir sua alma para o corpo dele. Lembro que o terceiro foi o melhor de todos pra mim.

Voltando, o programa contava com o patrocínio da Dizioli (“o lanche do Fofão”) e tinha o mesmo formato da maioria dos infantis com apresentação de desenhos e esquetes humorísticos. Uma curiosidade é que Sandra Annenberg, atualmente uma famosa jornalista que também esteve no elenco do programa.

Em 1989  nosso amigo estreou na telonas com Fofão e a Nave Sem Rumo. Na história uma  perigosa microcélula que contém um importante segredo é implantada no nariz de nosso amigo. Algo capaz de transferir pessoas para uma outra dimensão do universo.

Então vilões alienígenas invadem e dominam a nave da Fofolândia para conseguir roubar a tal microcélula sequestrando o Fofão e duas crianças. Fofão e suas “apatralhadas” criam uma enorme confusão que acabam por deixar a nave desgovernada. Numa rota de colisão contra um asteroide é uma aventura de ação e efeitos especiais que hoje em dia estão defasados servindo apenas para os fãs mais nostálgicos.

Fofão é um personagem que vai ficar marcado pra sempre na minha história, pois fez minha vida mais feliz e divertida.

Deixe um comentário

Arquivado em Memória Brasil

Musas de Tinta

joshep michael lisner

Mística

Raven Darkholme foi criada por Chris Claremont e Jim Mooney.  Surgindo pel primeira vez na edição Ms. Marvel #17, de 1978.

Mística é a famosa mutante que pode se transformar em qualquer pessoa copiando todos os aspectos físicos de um individuo a nível molecular.

Ela foi líder da segunda e mais marcante formação do grupo a Irmandade de Mutantes. Equipe de vilões formada por Sina (que podia prever o futuro) de quem foi amante, Blob (capaz de controlar a densidade do seu corpo), Pyro (manuseador de fogo) e Avalanche (capaz de desintegrar objetos sólidos).

Mística é uma grande manipuladora (capaz de rivalizar até com Lex Luthor) tamanha é sua persuasão e dissimulação.

A mutante é considerada uma vilã, mas infelizmente teve motivos sérios para enveredar por esta trilha. Desde pequena nasceu com este dom, no entanto convive com o ódio que a humanidade reserva aos que nasceram assim.

E por isso mudou constantemente tanto de aparência física quanto a nomes para poder manter sua integridade (fugindo da discriminação).

Mística usou seus poderes para galgar cargos em instituições governamentais secretas e de posse deste conhecimento chegar no Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Tendo assim livre acesso a armamentos de alta tecnologia e segredos militares usando-os para seu próprio benefício.

Além de seu poder transmorfo Raven  é uma excelente estrategista, uma exímia combatente, não pode se transformar em animais ou objetos, tem memória fotográfica e não reproduz poderes e habilidades especiais de quem copia (e principalmente não consegue disfarçar seu cheiro).

Ela é mãe de Noturno, Vampira e Graydon Creed (que nasceu como um ser humano normal) e acabou sendo deixado pra trás pela mãe.

O Professor X se vale de alguns agentes secretos que devem agir de maneira sigilosa e que não podem ser ligados a ele de maneira alguma (em caso de serem presos ou mortos).

A jovem Prudência era alguém assim que foi assassinada durante uma missão. Então Charles teve que recrutar a vilã. Essas histórias foram lançadas do n° 1 ao 24 na HQ Mystique, em 2003. As capas deste gibi foram feitas pelo artista Mike Mayhew.

Na série animada X-Men: Evolution ela está trabalhando como diretora na escola Bayville e descobrimos que está associada a Magneto para revelar os mutantes ao mundo..

Mística também adotou a identidade de  Mysti Wilde uma estudante para tornar-se a melhor amiga de sua filha Vampira. Isto faz parte da segunda temporada da animação. Durante o período da terceira temporada Mística está disfarçada de Charles Xavier, pois na segunda destruiu a Mansão X.

Aqui podemos notar como ela manipula tanto os integrantes da Irmandade de Mutantes quanto a sua própria filha. A única parte interessante em X-Men: Evolution é que voltaram com a intenção de mostrar os integrantes da equipe como adolescentes que descobrem seus poderes (assim como nos gibis originais dos anos 60).

E fora a introdução do vilão Apocalypse que ficou interessante esta versão perdeu crédito para Wolverine e os X-Men (2008) que trouxe uma adaptação mais adulta do universo mutante.

Neste desenho Mística teve um relacionamento com Wolverine e pelo que parece foi anterior ao Programa Arma X, pois Logan esqueceu completamente. Aqui também vemos ela demonstra ter um mimetismo animal (poder de se transformar em qualquer animal e suas habilidades).

Raven Darkholme é uma mutante que luta por si mesma e mais ninguém, pois viu o ódio e medo que a humanidade tem pelos mutantes. E mesmo assim sabendo que ela não vale nada tem uma legião de fãs que adoram suas histórias.

Confira nesta galeria abaixo algumas imagens da Mística que consegui na web

0 1 2 3 4 5 6 8 9 10

artex79 blackcat906 rudys_replacement TPollockJR

11 12 13 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 26 adam hughes argila mann arzeno bishoujo Bruce_Timm fabricadeherois godfrey escota gomitas irmandade de mutantes jamie fay joseph michael linsner 0 joseph michael linsner 1 joseph michael linsner 2 joshua middleton kid_notorious mike mayhew 1 mike mayhew 2 mike mayhew 3 mike mayhew 4 mike mayhew 5 mike mayhew 6 mística-jennifer-lawrence mística-rebecca-romijn-stamos paolo rivera pat carlucci ralph sevelius shunya-yamashita tornking wallpaper-rebecca-romijn

Deixe um comentário

Arquivado em Musas de Tinta