Arquivo da tag: sexy

Musas de Tinta

Lola Bunny

Surgiu para ser apenas um interesse amoroso do Pernalonga no filme Space Jam: O Jogo do Século que mistura de forma excelente live-action com animação (1996).

Mais desde que surgiu no filme que citei ganhou ao longo dos anos milhares de fãs ao redor do mundo.

Lola Bunny é uma mulher do tipo femme fatale, pois é sedutora, sexy e independente. Mais além disso tudo também demonstra ser inteligente, autoconfiante e uma exímia jogadora de basquete.

Em 2001, Lola reapareceu na série animada Baby Looney Tunes que mostra os personagens em versões infantis. Feita justamente para esse público havia diversas lições de como se comportar e agir.

A única adulta é a Vovó que amorosamente cuida de todos demonstrando sabedoria para lhe dar com as coisas que as crianças aprontam. Seu sobrinho, Floyd ajuda na responsabilidade de cuidar dos bebês.

Só pra constar, no desenho Lunáticos á Solta (Loonatics Unleashed, 2005) misturando ação e comédia num estilo anime temos versões dos Looney Tunes apresentados como se fossem seus descendentes.

Na trama, estamos em 2772 e um meteoro atingiu o planeta-cidade de Ametrópolis. Porém ao invés de destruí-lo tornou-se uma fonte de super-poderes.

Então, a misteriosa Zadavia convoca e supervisiona seis indivíduos formando uma equipe de super-heróis.

O grupo é composto por: Ace Bunny, Lexi Bunny, Danger Duck, Rev Runner, Tech E. Coyote e Slam Tasmanian.

Ace é descendente do Pernalonga, Lexi da Lola, Danger do Patolino, Rev do Papa-Léguas, Tech do Wile E. Coyote e Slam do Taz.

Mesmo sendo boa a série animada não durou muito, pois só teve uma temporada com esparsos 13 episódios.

Continuando, infelizmente a versão da Lola mostrada no Show dos Looney Tunes é bem diferente da primeira (que aprendemos a gostar).

Eu sinceramente não gosto desta versão dela, porque desta vez Lola está bem desequilibrada, fala demais, não consegue se decidir por algo muito simples e persegue o Pernalonga como se fosse uma doida varrida.

Mesmo com tudo contra o Pernalonga gosta dela e até já se apresentou como namorado.

Veremos se na próxima vez que adaptarem a personagem mostrem a Lola como na versão dos anos 90 (que estava infinitamente melhor).

Minerva Mink

É uma das musas que fazia parte do segmento apresentado em Animaniacs.

Minerva Mink é possuidora de uma beleza encantadora e sensualidade exacerbada que deixa em parafuso todos os homens ao seu redor.

Minerva é uma mulher decidida, extremamente vaidosa, adora moda, obcecada por beleza (e gosta de judiar dos homens que se dizem apaixonados por ela).

Sua aparições causam um verdadeiro alvoroço na cabeça dos homens (deixando-os babando ao vê-la), mas a parte engraçada é quando surge algum bonitão, porque Minerva age da mesma maneira besta dos homens.

Apesar de ser extremamente demais, Minerva não está satisfeita com sua vida e deseja apenas ter uma companhia.

Apesar de sua enorme popularidade (protagonizando apenas dois episódios), Minerva foi retirada do desenho pelos produtores que achavam-na muito sexy para ser apresentada para crianças.

Não adiantou nada, pois a quantidade de fan page dedicadas a personagem não são poucas.

Outra personagem de bastante sucesso em Animaniacs foi a Enfermeira (Hello Nurse) que trabalha no estúdio (o fato interessante é que a personagem não tem nome).

Sendo geralmente chamada de forma entusiasmada por Yakko e Wakko quando surge de: “Olááá Enfermeiraaaa!!!” pulando em seus braços (Dot faz o mesmo quando um homem atraente entra em cena).

A Enfermeira lamenta que seja respeitada só por sua beleza e não por sua inteligência, pois no episódio “Desejo de Wakko” vemos que ela tem QI de 192.

Contemple nesta postagem além da musas citas acima outra personagens de desenhos animados.

Na galeria abaixo você irá encontrar: Bettie Boop, Princesa Jujuba, Princesa de Fogo, Ramona Flowers, Geninha, Tina Russo, Jessie de Toy Story, Agente Honeydew entre diversas outras

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Musas de Tinta

Artista

z

Ebas

Eric Basaldua começou a trabalhar na Top Cow, em 2000. E sua arte chama atenção, pois nos fascina ao representar nossas personagens preferidas de um modo muito, muito  sexy.

Geralmente são olhares lânguidos, posições sugestivas, roupas provocantes e uma dose extra grande de sensualidade.

Confira na galeria abaixo o excelente trabalho de Ebas com: Feiticeira Escarlate, Mulher Maravilha, Witchblade, Psylocke, Aspen, Poderosa, Supergirl, Jean Grey entre várias outras

0 1 2 3 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 wallpaper 1 wallpaper 2

 

Deixe um comentário

Arquivado em Artista

Batman: Através dos Tempos

Batman Forever 1995 RŽal : Joel Schumacher Nicole Kidman

Batman Eternamente (Batman Forever) – Joel Schumacher (1995)

Esqueça o que havia sido bem feito por Tim Burton nos dois primeiros filmes e prepare-se pra tomar um assusto no que aconteceu neste longa.

Infelizmente Michael Keaton não quis retornar ao personagem e também Tim Burton ficou apenas como produtor. Na verdade os executivos da Warner acharam seu personagem violento, muito sombrio e pesado demais para o público infantil.

Então tomaram a decisão de reiniciar com um novo diretor só que a emenda funcionou pior do que o soneto. O que não dá pra entender se Joel Schumacher havia feito bons filmes como Tempo de Matar, Os Garotos Perdidos, Por Um Fio entre outros, porque detonou com Batman?

Pra mim posso apenas supor que os executivos da Warner realmente atrapalham quando se metem em algum filme (já que não entendem nada de super-heróis mesmo).

A introdução ao filme é até boa, pois logo nas primeiras cenas temos Bruce (Val Kilmer) vestindo o uniforme e pegando suas batquinquilharias. No momento em que anda pela caverna podemos ver a nova versão do Batmóvel. Eu detestei este carro, pois ficou colorido demais mostrando como seria a maior parte do longa.

Voltando, ao vermos Batman inteiro na tela logo aparece Alfred (Michael Gough) perguntando ao herói se queria um lanchinho.

Aliás é justamente nesta parte que tentaram demonstrar que tratava-se de uma versão diferente de Tim Burton. Gotham City estava colorida com fachadas em neon e repleta de luzes (vemos isso até no figurino de uma gangue que Dick enfrenta).

Então Batman pega seu carro e parte rápido em direção a cidade. Não entendi, porque surge de repente pulando dos céus para deter o Duas Caras que estava mantendo um refém no banco de Gotham. E ao ser recebido pelo Comissário Gordon (Pat Hingle) a Dra. Chasey Meridian (a bela Nicole Kidman), uma especialista em dupla personalidade dá descaradamente encima do Morcegão.

O herói sai de repente, deixa a moça falando sozinha e vai se engalfinhar com o vilão (vai entender). A grande diferença do Batman de Val Kilmer para o anterior é a agilidade nas cenas de combate (que sinceramente ficaram “só” um pouco melhores).

A mudança de atores quanto a Harvey Dent ficou estranha, pois antes havia o ator  Billy Dee Williams que até teve participação na série animada usando sua aparência. Sendo substituído por Tommy Lee Jones que demonstrou a dualidade do personagem mesmo o roteiro não ajudando.

Só que não dá pra aturar seus risos que parecia querer imitar o Coringa de algum modo, pois nos gibis ele não dá risadas é totalmente sério (doentio mesmo).

Quando Bruce faz uma visita de inspeção em sua empresa conhece o outro futuro vilão da trama Edward Nigma (Jim Carrey) e deu logo pra notar que era um gênio, porém intelectualmente instável.  O filme todo vemos Carrey fazendo suas caras e bocas roubando a cena do Morcego e infelizmente sua atuação cansa de tão repetitiva.

Num momento a Dr. Meridian aciona o batsinal apenas pra chamar a atenção do herói. Fato que até consegue, mas Gordon aparece pra atrapalhar o clima (ô cara chato).

Após o Duas Caras invadir o circo e fazer de reféns todos na platéia aconteceu um fato muito estranho enquanto rolava a apresentação dos Grayson Voadores.

Bruce Wayne diante de várias pessoas e tomado pelo desespero disse que era o Batman e ninguém ouviu. Não sei se pra mim o absurdo maior era ele contar abertamente sobre sua identidade secreta ou notar que “ninguém” ouviu aquilo (me deu uma raiva).

Principalmente, porque Bruce nos quadrinhos não revelaria sua identidade assim tão fácil (foi imperdoável pensarem numa besteira tão grande).

Não vou negar que a perda trágica de Dick mostrando como seus familiares morreram (a cena é até impactante). Só que nos quadrinhos o vilão era um tal gangster chamado Zucco que mandou sabotar o circo e aqui temos o Duas Caras que simplesmente atirou pro alto.

MSDBAFO EC044

A única coisa de relevante mesmo neste filme foi mostrar a queda de Bruce na caverna (fato que também temos em Batman Begins) e sua reconstituição da perda dos pais como foi vista na edição Batman: Ano Um.

Não deu pra aturar também a Dr. Chasey Meridian ficar num chove não molha entre Bruce e Batman parecendo uma cópia inferior de Lois Lane e sua antiga paixão platônica pelo Super.

É engraçado constatar que Batman pula de alturas grandes,  desce sem problema algum de lugares altos sem se machucar e não planando como vinha acontecendo na franquia de Chris Nolan.

Não consegui aturar estas mentiras brabíssimas, pois são furos que infelizmente não deu pra deixar passar estragando nossa aventura pelo filme. E pra piorar ainda teve a infelicidade de mostrar o bumbum do herói na tela, blarg!!!

Algo que havia me esquecido era presença de Drew Barrymore que participou desta canoa furada (toda sexy vestida de branco). Ela era Sugar uma das belas ajudantes do Duas Caras enquanto a outra Spice foi interpretada por Debi Mazar.

Em Batman Eternamente os vilões novamente conseguiram se sobressair mais do que o ator principal. Já que Val Kilmer não conseguiu demonstrar nenhuma expressão diferente  em todas as suas aparições.

A única salvação deste longa foi ver Nicole Kidman que estava linda e provocante sendo lançada ao estrelato de forma merecida por sua beleza.

A história é ruim por não ser consistente, os efeitos são razoáveis, porque em muitos momentos podemos notar que soam falsos e as interpretações são péssimas deixando muita saudade do que vimos anteriormente.

O resultado final é um filme horrível demonstrando que supostamente quiseram fazer uma história do Morcegão. Eu ia até me esquecendo deste detalhe Chris O’ Donnell tinha dado uma entrevista dizendo que não conhecia o Robin.

Sua participação serviu apenas pra chamar atenção do público feminino (seria melhor que nem participasse sua versão bad boy é chata pra caramba).

Se você quiser se arriscar assista por sua conta e risco (depois não diga que não avisei).

O que era ruim nesta produção só ficou pior no que veio depois Batman & Robin (dá dor de cabeça só em lembrar).

Deixe um comentário

Arquivado em Batman: Através dos Tempos

Artista

0

Al Rio

Nascido em 19 de maio de 1962 na cidade de Fortaleza, no Ceará. Seu verdadeiro nome é Alvaro Araújo Lourenço do Rio e ficou conhecido internacionalmente ao trabalhar nos títulos Gen 13 e DV8.

O artista trabalhou em quase todas as empresas de quadrinhos, pois entre algumas delas temos DC, Marvel, Dark Horse, Chaos, Image, Wildstorm, Crossgen e Vertigo.

Em início de carreira trabalhou no Rio de Janeiro ilustrando livros numa escola de inglês. Depois trabalhou em animação na divisão Disney Brasil na série animada do Alladin.

Já em meados dos anos 90 veio sua oportunidade de brilhar quando substituiu J. Scott Campbell para ilustrar Gen 13.

A principal característica de sua arte é  desenhar suas personagens de maneira extremamente sexy. Infelizmente perdemos Al Rio em janeiro de 2012 (vítima de enforcamento).

Seu trabalho ficará guardado pra sempre na memória de seus milhares de fãs. Contemple na galeria abaixo um pouco da arte de Al Rio

1 2 3 4 5.1 5 6 7 8 9 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 Black_Cat gen 13 grimm-fairy-tales 1 grimm-fairy-tales magdalena red-monika shi sorceress wallpaper 1 wallpaper 2

2 Comentários

Arquivado em Artista

Cospaly Girl

z

Mulher Gato

Além de ser linda e inacreditavelmente sexy a Mulher Gato consegue não apenas retirar as riquezas dos cofres dos poderosos de Gotham City, mas também deixar louco um tal de Homem-Morcego.

Selina Kyle age de maneira sensual roubando nossa atenção e trancafia-nos como se fossemos um de seus troféus numa estante escondida  aonde só ela sabe a localização.

E apesar de tudo isso prossegue  atiçando não somente a nossa grande imaginação, mas tomando conta de nossos corações eternamente.

Confira nesta galeria modelos cosplayer vestidas de Mulher Gato e ainda temos de quebra Hera Venenosa, Arlequina, Gata Negra, Batman e Batgirl.

beautiful0 beautiful1 beautiful3 beautiful4 beautiful5 beautiful6 beautiful7 beautiful8.0 beautiful8.1 beautiful8.2 beautiful8.3 beautiful8.4 beautiful9 beautiful10 beautiful11 beautiful13 beautiful14 cat0 cat1 cat2 cat3 cat4 cat6 cat7 cat9 cat10 cat11 cat13 cat14 cat15 cat16 cat17 cat18 cat19.1 cat19 cat20 cat21 cat22 cat23 cat24 catwoman_batman_cosplay_01 catwoman_batman_cosplay_02 catwoman_batman_cosplay_03 catwoman_batman_cosplay_05 catwoman_batman_cosplay_07 catwoman_batman_cosplay_09 mostflogged1 mostflogged2 mostflogged3 mostflogged4 mostflogged5 yaya han yaya han

Deixe um comentário

Arquivado em cosplay girl

Musas de Tinta

z

Mulher-Gato

Selina Kyle é uma linda mulher, sensual e sexy. Além disso tudo é uma ladra extremamente  habilidosa.

Catwoman foi criada pelos mestres Bob Kane e Bill Finger surgindo pela primeira vez na edição Batman # 1, em 1940.

Na distante Era de Ouro, Selina Kyle tinha uma personalidade bastante introvertida, pois era uma aeromoça que após sobreviver a um acidente de avião sofreu de amnésia. Sendo exatamente isso que despertou seu lado mais sexy e fazendo surgir The Cat, uma mulher sensual, praticamente “sem inibições”.

Só pra constar nessa época a vilã era conhecida dessa forma e algum tempo depois mudaram pra Mulher-Gato.

Essa versão com dupla personalidade de nossa ladra preferida foi abordada durante esse período várias vezes.

Então, a Mulher-Gato sempre agia manipulando a todos os homens que ousam passar pelo seu caminho, principalmente, um certo Homem-Morcego.

Enquanto o herói ás vezes mandava-a pra cadeia e outras pensava apenas em reabilita-la.

Na famosa edição Batman: Ano Um, de Frank Miller. Tivemos aquela versão muito discutida, porque mostrava, Selina retratada como uma garota de programa.

Sua origem havia sido recontada como uma prostituta que após ter sido abusada por um cafetão foi parar num hospital. E o herói Pantera lhe treinou para se defender, lutar e depois ela assume seu codinome de Mulher-Gato como criminosa.

Ainda bem que depois da complicada saga Zero Hora esse passado de nossa vilã foi jogado ralo abaixo.

Atualmente a relação entre eles é como uma enorme montanha russa que fica variando entre amor e ódio.

Durante a Saga Silêncio eles ficaram muito próximos fato que culminou na revelação da identidade secreta do Morcegão, mas a diferença entre os dois acabou rapidamente com o relacionamento.

Neste reboot da DC Selina e Bruce tiveram tórridas cenas de sexo mostradas nos quadrinhos demonstrando que esse sobe e desce dos dois perdurará por um longo tempo.

Um fato curioso é que eles foram casados na Terra 2 (uma Terra Paralela, do Universo DC Pré-Crise) e tiveram até uma filha Helena Wayne, que foi a heroína Caçadora.

No passado várias atrizes brilharam e conquistaram vários fãs ao interpretar a nossa ladra.

A primeira foi a atriz Julie Newmar no seriado dos anos 60 que demonstrava sensualidade de uma forma tão encantadora que era impossível não gostar dela.

A segunda foi a ex-Miss América Lee Meriwether que atuou no longa metragem do Homem-Morcego.

A cantora Eartha Kitt também nos presenteou ao mostrar-se como a vilã, mas sua interpretação na época não tinha agradado aos fãs (eu gostei bastante!).

Depois esperamos algumas décadas para que a Mulher-Gato retornasse para nos seduzir e tivemos a ótima atuação de Michelle Pfeiffer. Apesar de sua origem ter sido modificada. Ela conseguia misturar perversão com sensualidade de uma maneira arrebatadora, cruel e também inesquecível.

No início da década de 90 tivemos o inesquecível desenho Batman: A Série Animada comandada por Bruce Timm e Paul Dini. A série animada surgiu logo após o longa Batman – O Retorno e tivemos uma ladra muito sedutora e loira como no filme.

Eu não poderia esquecer de minha querida e belíssima Halle Berry que apesar de demonstrar ser bastante sexy (infelizmente sua versão foi uma porcaria terrível).

No péssimo seriado Birds of Prey, Selina foi interpretada pela atriz Maggie Baird e nossa musa surge apenas em flashbacks. Nessa versão mostraram a Mulher-Gato como uma meta-humana que infelizmente foi assassinada por ordem do Coringa.

A atriz Ashley Scott interpreta Helena Kyle, ela é filha da Selina com Bruce tornando-se a heroína Caçadora.

E por último temos Anne Hathaway interpretando muito bem a personagem, porém o mais interessante em Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge é que em nenhum momento Selina é chamada de Mulher Gato.

Nolan demonstrou que os vilões não se autodenominam, pois são as pessoas que põe os nomes neles.

Independente disso Selina Kyle é uma das personagens mais fascinantes do mundo dos quadrinhos, porque ela pode até agir como bad girl mais sua personalidade dúbia á torna muito interessante para mim.

Confira nesta galeria alguma imagens da nossa musa

0 1.1 1 2 3.1 3.2 Movie Roles Recast 3 4.1 4.2 4 5 8 9 10 11 12 13 15 16 17 18 20 21 22 23 25 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 adam hughes adam hughes2 adam hughes3 bruce timm bruce timm2 bruce timm3 bruce timm4 cat darwyn cooke1 darwyn cooke2 darwyn cooke3 jscottcampbell Batmans RŸckkehr wallpaper1 wallpaper3 wallpaper5 wallpaper6 wallpaper7.1 wallpaper7.2 wallpaper7.3 wallpaper7 wallpaper8.1 wallpaper8 wallpaper9

2 Comentários

Arquivado em Musas de Tinta

Musas de Tinta

Hera Venenosa

É uma das vilãs mais encantadoras e absurdamente sexy da mitologia do Morcegão.

Poison Ivy foi criada por Robert Kanigher e Sheldon Moldoff surgindo pela primeira vez na edição Batman # 181, em 1966.

Em sua origem a Dra. Pamela Lillian Isley foi seduzida  e enganada por Jason Wodrue acabou cometendo um roubo, mas depois ele envenenou-a.

Só que ao invés de morrer seu corpo desenvolveu imunidade a todo e qualquer tipo de veneno (fungos, vírus e bactérias também). Como era uma botânica resolveu começar sua carreira criminosa usando plantas venenosas como arma letal.

Depois de algum tempo, a vilã criava monstros vegetais para usar em seus crimes.

Hera Venosa é uma mulher fria, demonstrando um estranho desequilíbrio emocional, também é implacavelmente violenta e uma assassina perigosa.

A vilã pode controlar qualquer tipo de planta tanto acelerar quanto desacelerar o crescimentos delas.

Hera possui um tipo de conexão mística com as plantas através da força conhecida como o verde.

Além disso devido a seus conhecimentos também desenvolve toxinas, venenos, armadilhas entre outras coisas que utiliza contra seus inimigos.

A parte mais fascinante é o seu poder de expelir feromônios do amor que usa em seu bel-prazer em homens e mulheres (e ainda possui um beijo venenoso enloquecedor que pode matar).

Ficou famoso na web e também entre os leitores o seu relacionamento com a doida da Arlequina.

É curioso notar que Hera sente uma atração doentia pelo Homem-Morcego que mistura igualmente ódio e amor.

O famoso trio as Sereias de Gotham formado pela Mulher-Gato, Arlequina e Hera Venenosa já se aliou diversas vezes por interesses em comum.

A nossa vilã sensual surgiu pela primeira vez fora dos gibis no episódio  “Pretty Poison”, na série animada do Morcegão nos anos 90.

Na telona a atriz Uma Thurman interpretou a Hera Venonosa de uma maneira enlouquecedora naquele infame filme Batman & Robin (1997).

Nesta versão Pamela era uma botânica que estava trabalhando pra Wayne Entreprises num projeto de preservação na América do Sul.

A interpretação sexy de Thurman foi a melhor coisa mostrada naquele filme ruim. Infelizmente aquele Bane idiota foi uma das piores coisas que fizeram com o personagem.

No excelente desenho Justiça Jovem também temos uma aparição de nossa vilã. Foi durante o episódio “Revelations” (como integrante da Liga da Injustiça).

Só pra fechar, Hera Venonosa já conseguiu controlar até o Superman, colocando uma espécie de pó de Kriptonita nos lábios. Se eu fosse o Batman não iria resistir?

Confira na galeria abaixo algumas imagens da Hera Venosa uma sensual e perigosa vilã.

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 bruce timm 1 bruce timm 2 hera and harley quinn sirens 0 sirens 1 sirens 2 sirens 3 wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper 3

Fonte: Flogão e Wikipédia.

2 Comentários

Arquivado em Musas de Tinta