Arquivo da tag: stan lee

Meu Texto

X-Men-Dias-de-um-Futuro-Esquecido

X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido

Este novo filme dos mutantes que trará novamente Bryan Singer para a franquia que ajudou a consolidar acabou me lembrando o gibi de onde parte da história será adaptada de forma livre..

Os X-Men surgiram nos anos 1960 como uma metáfora para o racismo, mas seu sucesso começou realmente a partir da inclusão de um certo baixinho canadense muito invocado na equipe.

Por mais que seja louvável as ideias originais que Stan Lee e a bela arte do mestre Jack Kirby. Foi justamente a partir do trabalho criativo do roteirista Chris Claremont unido a arte do meu querido John Byrne que temos algumas das melhores e inesquecíveis sagas dos heróis.

A HQ é tão importante que aproveitara para inserir parte do seu contexto em Wolverine e os X-Men (2008) a série animada também explora o futuro sombrio dos mutantes em suas histórias.

Depois que o Instituto Xavier sofreu um ataque muito poderoso Jean aparentemente sumiu e o Professor ficou em coma nos dias atuais (enquanto sua versão futura) divide um elo telepático com Logan.

Ciclope é o líder natural da equipe só que ficou de fora, pois está mentalmente abalado pela falta de sua amada. A animação é a melhor feita com os mutantes de todas até agora. Mesmo que a versão dos anos 90 seja inesquecível sem sombra de dúvidas o nível visto aqui é totalmente superior.

Misturando diversos personagens mutantes de várias fases diferentes temos até velhos conhecidos nosso como Bishop, Mística e Dominó.

A personagem Medula da versão original do gibi volta neste desenho. Lembrando que no série animada  X-Men: Evolution (2000) a diferença esta no personagem Spyke, um sobrinho da Tempestade  que tinha os mesmos poderes da Medula.

Um fato interessante é a mal resolvida história de amor que rola entre Mística (foi a única vez que ela  demonstrou não pensar apenas em si própria) e Logan envolvidos no Projeto Arma X – que deu  ao Wolvie a famosa inserção de Adamantium em seu corpo.

As histórias se dividem entre passado com Wolverine tentando deter a morte do Senador Kelly e os acontecimentos que poderão desencadear aquela catástrofe. E futuro aonde este fatídico momento já aconteceu e Charles precisa se virar para manter-se vivo (orientando Wolverine sempre que possível).

Lembro que Logan estava relutante em assumir a liderança da equipe, porém mesmo com seu temperamento explosivo consegue desempenhar muito bem a função.

Outro fato que vale a pena comentar é que Noturno e Wanda, a linda Feiticeira Escarlate, tiveram um caso de amor que não foi em frente por causa da intervenção de Magneto (cara chato!).

hq-clássica

HQ

Foi publicada pela primeira vez aqui no  Brasil em Superaventuras Marvel #45 e 46 e também X-Men Especial #2 .

Este gibi precedeu o Exterminador do Futuro e sinceramente há várias coincidências em seus conceitos (James Cameron roteirista e diretor do filme clássico nunca determinou se teve inspiração direta no gibi).

A saga marcante pra mim deixou como legado Rachel Summers, filha de Scott e Jean desta linha temporal alternativa que depois foi inserida na continuidade normal (Terra 616).

Mostrando um futuro apocalíptico onde os mutantes eram perseguidos e ficavam presos em campos de concentração. Um feito que infelizmente lembra o período mais negro da história mundial o holocausto da Segunda Guerra Mundial.

Logo no inicio vemos uma Kitty Pride envelhecida andando por uma Nova York quase irreconhecível já que estava destroçada e repleta de escombros. Ela havia combinado de se encontrar com Logan e usava um colar inibidor de poderes mutantes.

Estamos no ano de 2018 (supostamente daqui a 4 anos apenas) e há três faixas sociais: “H”  de seres humanos normais (desprovidos de genes mutantes e que podem ter filhos), “A” de humanos anormais (pessoas comuns possuidoras de genes mutantes proibidas de ter filhos) e “M” , de mutantes a faixa mais baixa da sociedade, composta por párias e marginalizados.

A humanidade voltou praticamente ao tempo das cavernas, pois Kitty viaja num vagão conduzido por cavalos e quando desce no centro de detenção após ser revista pelo sentinela. Podemos vê-la caminhando no cemitério aonde temos as lápides de vários heróis conhecidos nossos: Kurt Wagner, Scott Summers, Charles Xavier, Reed Richards, Bem Grimm, Susan Richards entre outros.

A verdade que neste futuro assustador os robôs Sentinelas caçam e chacinam os mutantes com permissão do governo.

Restam apenas poucos mutantes: Magneto (paralítico preso numa cadeira de rodas tipo Charles), Wolverine (responsável pela Resistência Canadense), Kitty (aqui conhecida como Ninfa), seu marido Colossus e Ororo. Juntos a Franklin Richards e sua namorada Rachel – compõe o núcleo da resistência Anti-Sentinela.

Eles estavam trabalhando secretamente num bloqueador para desligar os colares desinibidores que impossibilitam o uso de seus superpoderes. Então voltamos pra 1986 na sala de treinamento nos primeiros dias de Kitty como uma X-Men.

Nesta época a equipe era liderada pela Tempestade (e Anjo, Colossus, Logan, Noturno e Ninfa completavam o time). Era a primeira sessão da Kitty na sala de perigo e estava se saindo muito bem até que desmaiou de repente.

Nesse momento a consciência de sua versão futura viaja pro passado (Kitty foi escolhida, porque nesta época não havia sido treinada pra se defender de ataques psíquicos). E quando acorda conta sobre como foi parar lá.

A Irmandade de Mutantes estava planejando assassinar o Senador Robert Kelly candidato á presidência dos Estados Unidos e tal acontecimento desencadearia o registro de mutantes e fabricação em massa dos Sentinelas (Kitty fugiu deste futuro apocalíptico pra avisar seus amigos).

Enquanto Ninfa relata sua vida atordoante voltamos a 2018 quando Colossus, Wolverine, Rachel e Tempestade estão fugindo da unidade de concentração sendo perseguidos  e atacados por Sentinelas (Franklin Richards é friamente assassinado).

É quando vemos o famoso “arremesso especial” da dupla Wolvie e Colossus. Então somos conduzidos nestes acontecimentos entre passado e futuro. O corpo inerte de Kitty no futuro não sabe dos problemas que seus amigos enfrentam para poder protege-la.

No Pentágono temos Raven Darkholme, a Mística trabalhando infiltrada no escritório do secretário de defesa. Ela é a líder da Irmandade de Mutantes composta por Sina, Avalanche, Pyro e Blob (se não me engano Mística tem um caso amoroso com a Sina nesta época).

No Senado Charles e Moira McTaggert estavam num importantíssimo debate com o Senador Kelly quando os X-Men discretamente alertam o Professor sobre o que sabem, mas a Irmandade ataca quase que imediatamente.

O confronto que se inicia é rápido e catastrófico, pois em campo Ororo gostaria que Scott continuasse liderando a equipe, mas sua atuação não é ruim. Há diversos confrontos interessantes Blob x Colossus,  Pyro x Anjo e Noturno contra ele mesmo (quer dizer a Mística disfarçada é lógico).

No final quando vamos chegando ao ápice da narrativa tudo vai se intensificando de uma maneira que nos deixa preso no que lemos.  A HQ é envolvente seja no sacrifício de Wolverine, Colossus e Ororo tentando exterminar o controle dos Sentinelas ou Kitty  detendo Sina no último momento que iria matar o Senador.

E ainda deixando suspenso no ar que “talvez” aquele futuro ainda poderia acontecer. Não é a toa que esta história é considerada uma das melhores de todos os tempos dos X-Men.

x-men-days-of-future-past

Filme

Os mutantes vivem num futuro terrível aonde são caçados e exterminados pelos Sentinelas que são robôs gigantescos criados por Bolivar Trask (Peter Dinklage).

Somente poucos sobreviventes conseguem viver escondidos (senão também serão mortos). Entre estes remanescentes temos o professor Charles Xavier (Patrick Stewart), Magneto (Ian McKellen), Tempestade (Halle Berry), Kitty Pryde (Ellen Page) e Wolverine (Hugh Jackman). Juntos eles estão buscando uma forma de evitar que todos os mutantes sejam eliminados da face da Terra.

A única forma que encontraram foi enviar a consciência de Wolverine numa viagem pelo tempo até 1970. Quando irá ocupar o seu corpo daquela época tendo que procurar Xavier (James McAvoy) e Magneto (Michael Fassbender) ainda jovens para que unidos possam impedir aquela terrível realidade.

Dia de Um Futuro Esquecido irá pras telonas em 23 de maio de 2014. Quero estar lá pra assistir comentem se gostaram desta matéria.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Meu Texto

Musas de Tinta

z

Gwen Stacy

Seu verdadeiro nome é Gwendolyne, mas todos a conhecem carinhosamente como “Gwen”. Ela foi criada por Stan Lee e Steve Ditko, surgindo pela primeira vez na edição The Amazing Spider-Man # 35, em 1965.

Gwen era considerada a garota mais linda da universidade onde Peter estudava, mas fora isso também era inteligente e estudiosa. Além de sua beleza Gwen me deixava encantado por ser muito educada.

Tudo começou quando Peter passou pra turma de amigos de Harry Osborn e assim que  avistou Gwen logo ficou interessado nela. O problema era que eles pertenciam a classes diferentes. Enquanto Peter era humilde ela vinha de uma classe mais elevada. Flash Thompson era um rival declarado na conquista, mas Gwen preferiu Peter.

E mesmo com essa diferença gritante, com problemas de grana que Peter tinha pra sair o tempo foi a favor e o amor surgiu entre eles.

Ela é filha do Capitão de Polícia George Stacy e sua mãe infelizmente havia morrido.  Nos gibis quando Peter e Gwen passaram a namorar. O Capitão aprovou o relacionamento acolhendo de braços abertos ao Peter. Eles viraram amigos (tanto que George tornou-se uma espécie de pai pra PP).

A parte mais interessante é que o Capitão descobriu a identidade secreta do herói e passou a defendê-lo quando outros acusavam. A fatalidade veio quando o George morreu num confronto entre o Homem-Aranha contra o Doutor Octopus (protegendo uma criança de morrer esmagada).

Antes de morrer o Capitão conta ao Cabeça de Teia que sabia seu segredo numa cena emocionante e marcante. O que mais me chamou atenção em Peter Parker é que sua  história de vida sempre foi marcada por tragédias que ajudam a moldar seu caráter.

A culpa da morte do Capitão foi do Octopus, mas Gwen  passou a odiar o Aracnídeo fato que nos anos 90 abriu o precedente para o escritor J. Michael Straczynski fazer o pior retcon que ninguém poderia imaginar.

Devido a este fatídico acontecimento Gwen foi morar na Europa com seus tios, mas como estava distante de Peter e fragilizada. Norman Osborn a seduziu e conseguiu engravida-la (dando a luz a duas crianças). Porém ao voltar escondeu o fato de Peter querendo um momento melhor para contar a verdade.

Então ao voltar para os Estados Unidos foi sequestrada pelo Duende Verde e jogada de uma ponte. A Noite em que Gwen Stacy Morreu é uma história chocante que me marcou de uma maneira que eu nunca havia visto antes.

O Duende Verde após sequestrar Gwen a joga do alto da ponte do Brooklyn e o Aranha  num ato de desespero a segura com sua teia. Na versão original seu pescoço quebrou por esta tentativa, mas depois refizeram contando que já estava morta (tentando diminuir a culpa do herói no acidente).

Tomado pelo ódio o Cabeça de Teia parte pra vingança e temos uma luta feroz que culmina na morte do vilão. As consequências da morte de Gwen causaram um impacto muito grande tanto na vida de PP (quanto na de seus leitores).

A história marca o fim da Era de Prata da Marvel Comics sendo considerada uma das melhores de todos os tempos da editora.

Conseguiram acabar com a mulher que PP mais amava, o relacionamento deles parecia mesmo real e depois veio aquele desastre de retcon. Jogando na lama a memória de Gwen (fiquei com ódio desta  besteira toda). Não é a toa que leitores na web criticam o herói chamando-o de corno.

No primeiro Homem-Aranha de 2002 vemos a cena da ponte novamente só que Mary Jane (Kirsten Dunst) é jogada, mas o herói consegue salva-la a tempo.

As edições “What if…?” são histórias de realidades alternativas aonde o rumo dos acontecimentos do universo 616 tradicional ficaram diferentes.  Então temos O Que Aconteceria se Gwen Stacy Não Tivesse Morrido?

Aonde o Vigia após ver  Peter tristonho pela morte de Gwen nos apresenta uma outra dimensão na qual ela está viva. Ao invés de lançar sua teia o herói pulou usando seu corpo para amortecer a queda no rio de ambos.

A expectativa ficou ao saírem do rio e após uma respiração boca a boca Gwen demorar a acordar, mas ela abre seu olhos. E se espanta com Peter vestido de uniforme já que odiava o Aranha pela morte do pai. Peter conta toda a verdade e pede Gwen em casamento.

Na trama ainda disposto a ter uma vingança contra o Duende o Aranha vai até sua cobertura na decisão de mata-lo para não revelar sua identidade ao mundo (só que Osborn havia se precavido enviando pelo correio para alguém).

Quando o Cabeça de Teia ia acabar com a raça de Osborn Harry interveio e conseguiu reverter a insanidade do pai. Só que não terminou aí instantes após se casarem J. J.Jameson invade a igreja com policiais que tentam prender Parker. Como consequência a Tia May passa mal sofrendo um ataque cardíaco (tendo que ser hospitalizada).

Robbie Robertson esculacha Jameson por ter destruído a vida do herói que já havia salvado a dele várias vezes (se demitindo e prometendo contar toda a verdade pra outro jornal).

E Peter termina sozinho, acuado e foragido sem poder voltar pra casa para pegar seu uniforme (já que a polícia e os repórteres estavam lá esperando ele). O herói fica impossibilitado ver sua esposa e tia (uma história sinistra e interessante que até eu gostaria de ver mais sobre aquele universo).

Na Telona

Em Homem-Aranha 3 surgiram com os personagens do nada (retirando da cartola como se fosse num passe de mágica). O ator James Cromwell interpreta o Capitão Stacy numa versão calcada nos quadrinhos que apoia o herói.

Enquanto a atriz Bryce Dallas Howard nos mostra uma Gwen  muito fraca e apagada. O equivoco é que não deram ênfase na personagem, pois foi apenas pra criar um triângulo amoroso (entre ela, Peter e Mary Jane).

Em O Espetacular Homem-Aranha temos Denis Leary como George Stacy que trata o herói como uma afronta as autoridades. Um vigilante que precisa ser preso (nada a ver com o que havia sido estabelecido nos quadrinhos antes). Pra mim foi uma pena terem mostrado tão rápido um personagem tão importante.

Estranho foi notar que neste filme eles são uma família normal (algo totalmente diferente dos gibis clássicos).

Emma Stone foi uma grata surpresa que parece estar conectada a querida Gwen dos anos 60 (sua atuação é leve, divertida e cativante). Na web  já estão especulando que a sequência trará sua famosa morte ( estou curioso pra ver como irão abordar isto).

Gwen Stacy aparece no desenho O Espetacular Homem-Aranha no qual o herói é um adolescente que ganhou seus poderes recentemente.

Misturando todas as versões tanto a original com a ultimate é divertido vê-lo em ação com suas piadinhas. Gwen é inteligente e trabalha no laboratório do Dr. Curt Connors junto com Peter e Eddie Brock (misturaram todos os conceitos dos quadrinhos de várias épocas diferentes nesta animação).

Na versão Ultimate é mostrada como uma adolescente rebelde. E quem morre é apenas o Capitão Stacy (vítima de alguém disfarçado de Homem-Aranha). Sua mãe Ginger não quer saber da menina que acaba indo morar com Tia May e Peter.

Mary Jane sentia ciúmes dela por morar com os Parker, mas tiveram uma conversa franca sobre o assunto deixando-a tranquila (ela nunca foi apaixonada por Peter vendo-o apenas como irmão).

Infelizmente esta Gwen também morreu pelas mãos do vilão Carnage que estava a procura de Peter.

Gwen Stacy é uma das namoradas mais importantes na vida de Peter Parker e ficará marcada pra sempre por ter uma personalidade cativante.

Veja na galeria abaixo algumas imagens da inesquecível Gwen Stacy

0 1 2 3 4 5 7 8  10 11 12 13 14 15 16 17 18 20 21 22 23 24 25 action figure adam hughes Adam-Hughes alex ross death des taylor des-taylor garett-blair gene-gonzales Gwen_Stacy_Emma-Stone Gwen-Stacy-Bryce Dallas Howard j. scott campbell 0 j.broomall Joe-Pekar Lynne-Yoshii Mary & Gwen mary and gwen-j. scott campbell paolo rivera peter-paker-and-gwen-stacy steve rude Steve-Rude 0 steve-rude 1 steve-rude 2 terry dodson terry-dodson wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper 3 wallpaper 4 wallpaper 5

2 Comentários

Arquivado em Musas de Tinta

HQ

marvel

Sergio Aragonés: Massacra a Marvel

Depois de esculachar os heróis da Distinta Concorrente a dupla dinâmica Sergio Aragones e Mark Evanier resolveram fazer o mesmo com a Marvel Comics.

Logo na página de abertura Sergio diz que conhece os personagens desde muchacho, mas segura uma revista do Batman (e pergunta qual dos heróis é o Demolidor). Desta vez a dupla foi parar no escritório da Casa de Ideias (só que não havia ninguém lá).

A zoação começa com Sergio perguntando por Stan Lee, Steve Dikto e Jack Kirby. Quando o artista lê no quadro que todas as edições estão atrasadas (e que o pessoal poderá ser despedido). Decide ajudar seus amigos de redação.

Há espaço até para citar Wally Wood e Don Heck (enquanto Mark cochila Sergio começa a trabalhar). Logo Uatu conta como cansou de ficar vigiando o universo, passou a assistir TV a cabo e por último voltou sua atenção para as tragédias na Terra.

O vilão Senar Gago Sério invade os domínios do Príncipe Namor (que faz um discurso sobre seu rabo de cavalo). Este período relembra a época em que John Byrne trabalhou com o herói.

Então Namor é congelado pelo vilão que faz uma alusão ao Capitão América. O Vigia comenta que irá ver um episódio de Arquivo X (um sensacional seriado dos anos 90 com Mulder e Scully).

Em “Contemplem … uma reles imitação!”, temos uma discussão no Edifício Baxter entre Johnny, Sue e Bem que deseja largar o grupo. Sue e Johnny estão irritados, pois também desejam abandonar o Quarteto Fantástico.

A história em si é muito engraçada (ainda mais quando Reed surge de repente), porém tinha sido dado como morto. E deveria voltar numa edição especial.  A solução é… abandonar o Quarteto Fantástico.

Isto era um fato que já havia acontecido nas edições da família de heróis e foi bem explorado neste gibi. Só que as situações absurdas não param por aí.

Além de um homem da Associação de Normas Técnicas, o Demolidor (entra estraçalhando uma janela), Homem de Ferro surge quebrando a parede (mais nem ele sabe quem está usando a armadura). Thor arrebenta o teto e todos se candidatam a membros do grupo.

Quando o Coisa reclama que teriam seis membros. Os heróis dizem em uníssono: “nós vamos abandonar o Quarteto Fantástico”.

As invasões continuam com Doutor Destino (explicando física e falando de suas milhares de aparições), Sue dizendo que ela serve apenas para enfeitar o grupo (tanto que aparece de bíquini). Também temos  até o vilão Senar Gago Sério invadindo o Edifício Baxter e abandonado o grupo. Simplesmente de longe é a melhor história de todas de tão divertida.

Em “Com Grandes Poderes, vem também um Grande Merchandising”, é a vez do Homem-Aranha ser zoado. Passeando por sua origem, morte da Tia May, casamento com Mary Jane e até o momento que deixa o uniforme numa lixeira (um momento clássico nas histórias do herói).

Peter voltar para pegar seu uniforme pensando no dinheiro que irá perder com a queda na venda de brinquedos. O herói ainda arranja tempo para enfrentar o Sexteto Sinistro e até várias versões de si mesmo de outras mídias.

Senar Gago Sério invade o ambiente levando o Cabeça de Teia citando Jim Cameron (lembrando que o diretor estava cotado pra realizar o longa do herói).

O Surfista Prateado é “O Chorão Cósmico”, confesso que na época após ler esta parte concordei com a abordagem dada ao herói, pois apesar de nobre e altruísta. O Surfista reclamava demais da condição na qual estava ( se não me engano preso pela barreira de Galactus).

O herói vaga reclamando de depressão e pede ao Dr. Estranho que lhe arranje um psiquiatra. Ele lamenta por não ter o amor de Shalla Bal, lamenta por viver assim e lamenta por Galactus não aparecer. Quando o vilão aparece (em toda cena) ficam discutindo sobre dieta.

A parte engraçada é a comparação do Surfista com um OSCAR (sinceramente lembra mesmo).

Em “Hulk, que Homem, que Músculos!” senar Gago Sério procura no deserto pelo Hulk Verde, mas encontra sua versão cinza anabolizada, inteligente e com rabo de cavalo. A sátira gira em torno dos músculos exagerados do herói (que ficavam realmente cada vez maiores).

Em, “O Hibernante que Dormir Tarde!”, temos o Capitão América sendo descongelado pelos Vingadores. A equipe era composta por Viúva Negra, Mercúrio, Hércules e Gigante. A zona começa quando Steve é novamente descongelado e reclama pelo que fizeram com ele.

Na verdade o Sentinela da Liberdade não quer viver num mundo repleto de políticos corruptos, falsos evangélicos via satélite e ricos que enriquecem cada vez mais. Quando Senar Gago Sério chega para leva-lo estão todos congelados (pra fugir das agruras deste mundo).

Ao longo da edição vemos citações ao Mágico de Oz e alguma repetições feitas de propósito como “preso num mundo que não criou.. o que nos leva a perguntar. Quem está preso num mundo que criou?”

É uma brincadeira com a realidade a qual vivemos num tipo de metáfora e de fundo existencial. O conhecimento de Mark Evanier que explora de forma detalhada várias situações sobre os heróis. Aliado ao estilo detalhista e cômico de Sergio Aragonés ajudam no tom das situações que vemos nas histórias.

Sergio Aragonés Massacra a Marvel é uma leitura leve, divertida e inteligente.

HQ: Sergio Aragonés Massacra a Marvel

Editora : Abril Jovem

Ano: 1998

Deixe um comentário

Arquivado em HQ.

Herói

 

 

2.1

Capitão América: O Primeiro Vingador

Criado por Joe Simon e Jack Kirby o bandeiroso surgiu pela primeira vez ena edição Captain America Comics #1, de 1940.

Na verdade, sinto que estou ficando mais velho e por consequência mais nostálgico a cada ano que passa, pois ao pensar no Capitão América lembro do “desenho desanimado” que reproduzia as imagens das HQs com poucos movimentos, principalmente na boca e olhos.

As imagens de movimentação eram fraquíssimas, mas as histórias eram baseadas na arte do mestre Jack Kirby. Na trama podíamos ver Steve lutando na Segunda Guerra Mundial ou vinte anos depois, recém descongelado pelos Vingadores.

Isto lembra a época do resgate do personagem feito por Stan Lee durante os anos 1960 fato crucial para revitalizá-lo, pois quando foi inserido nos Vingadores, Steve conseguiu voltar a ficar popular.

O que assisti nesta saudosa animação acabei aprendendo algum tempo depois quando conheci meu amigo JC Anjos que tinha em sua coleção uma HQ contando a origem do Capitão (até o momento em que Bucky “morreu”). Com o JC li além do Capitão, Conan e Spectreman (made in Brazil) que era azul e não dourado como na famosa série live action japonesa.

O herói já teve várias versões em desenhos animados e filmes ao longo das décadas. O primeiro serial do herói foi feito em 1944 pela Republic Pictures. Conhecido como Capitão América, o Vencedor a grande diferença é que não havia Steve Rogers.

O promotor público Grant Gardner (Dick Purcell) era identidade secreta do herói. Dizem as lendas que nas cenas arriscadas era substituído pelo dublê Dale Van Sickel.

Outra mudança drástica é que também não havia o Caveira Vermelha, pois o vilão chamava-se Escaravelho que na verdade era o curador do Museu Drummond, o Dr. Cyrus Maldor (Lionel Atwill).

Na trama o Escaravelho buscava vingança contra seus antigos colegas de uma expedição arqueológica famosa, porque enquanto eles adquiriram fama e fortuna. Ele não conseguiu nada. Tentando mata-los para adquirir suas descobertas o vilão tinha Matson como ajudante e uma arma Vibrador Dinâmico (um nome muito sugestivo numa sex shop).

O seriado tornou-se famoso em sua época por causa do falecimento do ator Dick Purcell (um veterano dos filmes B) que teve um ataque cardíaco após as filmagens.

Em 1979 a Marvel Comics estava tentando emplacar um seriado do bandeiroso (e produziu dois telefilmes). Visto que Homem-Aranha e Hulk desfilavam com relativo sucesso na telinha.  A intenção era após os telefilmes produzi-la, mas a recepção dos fãs não foi empolgante.

Como sempre adaptar os heróis naquela época não era algo tão fácil assim e houveram mudanças drásticas em relação as histórias dos gibis. O ator Reb Brown interpretou Steve Rogers que era um desenhista publicitário que sofreu um atentado provocado por terroristas.

Estando entre a vida e a morte foi salvo pela injeção do supersoro FLAG (Full Latent Ability Gain) ganhando um aumento em sua força física e habilidades.

Descobre que seu pai foi um agente secreto famoso apelidado de “Capitão América” e decide aproveitar este nome desenhando seu próprio uniforme. Ainda teve ajuda do Governo que lhe deu um furgão, uma motocicleta e seu escudo.

Infelizmente seu uniforme não era muito parecido com o dos quadrinhos, pois tinha um capacete enorme (com asas pintadas). Além de um escudo horrível feito de plástico. Esta versão atualmente serve apenas para os saudosistas de plantão feito eu, pois gostaria de rever pra notar como as produções evoluíram bastante.

Em celebração ao cinquentenário do herói em 1990 tivemos o filme Capitão América. Diferente da versão anterior esta focou numa proximidade maior das HQs, pois tudo levava ao material original.

Nesta produção Steve (Matt Salinger) retorna depois de 50 anos e salva o presidente Thomas Kimball (Ronny Cox) que foi sequestrado pelo Caveira Vermelha (Scott Paullin).

Só que desta vez pecaram no uniforme que ficou ruim demais e pra piorar tem um Caveira Vermelha italiano (na verdade o vilão é alemão). A produção é fraca, o roteiro é furado e torna-se uma perda de tempo tentar vê-lo. Lembro que odiei quando vi o Capitão fugindo de bicicleta dos capangas do Caveira (se puder não assista é por sua conta e risco).

Tivemos um episódio memorável em  X-Men Evolution  na história de Operação Renascimento mostrando que Wolvie e o Capitas se conheciam desde a Segunda Guerra .  A animação ocorre em flashback quando Logan e Steve salvam o pequeno Erik Lensherr (Magneto) do campo de concentração.

No final ficamos sabendo que o soro provocou uma degeneração celular no organismo de Steve e por isso teve que ficar em animação suspensa até ser encontrada uma cura.

Em Vingadores: Os Maiores Heróis da Terra  foi a melhor animação de todas que a Marvel já produziu. Nela mesclaram vários arcos de histórias de diferentes períodos tornando nossa viagem mais interessante.

Além de termos uma variedade enorme de vilões a origem do Capitão é mostrada como na versão original dos gibis. É uma animação memorável, mas que infelizmente deixaram de lado. Pra mim foi a única vez em que a Marvel realmente fez algo que batesse de frente as produções animadas da DC.

Não poderia deixar de comentar sobre Super Hero Squad que é feita para crianças, mas há piadas sobre as características dos heróis e até os vilões são pra lá de doidos. É tão engraçada que vale a pena dar uma conferida.

O atrativo de Steve Rogers pra mim não está em sua origem de rapaz franzino que torna-se um homem robusto e poderoso. Eu gosto de sua grande capacidade de liderança e sua visão aguçada para momentos de conflitos.

Os problemas surgem mais Steve resolve tudo rapidamente e de maneira dinâmica mostrando porque é o líder da equipe (algumas vezes é mostrado apenas como líder de campo).

Steve  é um líder natural que sempre continua firme no seus ideais, vive para praticá-los e luta fielmente por aquilo que acredita. Não importa o que as outras pessoas achem desde que, tenha certeza que tomou a melhor decisão possível, vai atrás do que pensa. Sua posição sobre tudo na vida sempre será vista desta forma e isso é algo surpreendente para mim, sendo o que mais gosto nele.

Me concentro agora no fato, porque Steve Rogers é chamado de Capitão?

Será que Steve utiliza uma patente que nunca conquistou? Rogers não ganhou patente após patente para se tornar Capitão. Nos quadrinhos não lembro de ninguém explicar sua condição de Capitão, pois inúmeras vezes foi visto como soldado.

Fora isso Steve Rogers  é  marcado como um homem fora e totalmente deslocado do seu tempo. Esta sua característica básica demonstra seus valores antigos ante a sociedade moderna.

Quando o Capitão surgiu havia um sentimento de lutar pelo que é certo, pela liberdade, por um mundo sem estar subjugado pelo nazismo. Este choque cultural  demonstra uma visão de um passado glorioso que o angustia ante as diferenças dos EUA atual.

No filme Capitão América: O Primeiro Vingador, de Joe Jonhston (2011). Eu como a maioria dos fãs estávamos apreensivos quanto a atuação de Chris Evans.

Visto que já havia interpretado outro herói da Marvel nas telonas, o esquentadinho Tocha Humana, do Quarteto Fantástico. Minha pergunta era será que Evans conseguiria ser tão emblemático quanto o herói exigiria ser?

Sim, conseguimos notar a personalidade imponente de Steve sendo transposta fielmente para as telonas.

A história se concentrava na jornada pessoal do herói e seus aliados próximos. Somos ambientados na década de 1940, durante a 2° Guerra Mundial. Melhor impossível a parte mais impactante é ver o Capitão pulando por sobre um tanque e lançando seu escudo (eu adorei é claro).

Acompanhei uma parte da saga Guerra Civil e fiquei pasmo ao final com a morte do maior ícone da Marvel, mas infelizmente ainda não li nada do material sobre o seu retorno.

Particularmente não gosto de Guerra Civil apesar de ser uma das melhores sagas da editora, pois prefiro Invasão Secreta.

Mudando de assunto Bucky foi o assistente de Steve durante a Segunda Guerra. Ele era um mascote do campo naquele período. Só que  “por um acaso” descobriu a identidade do Bandeiroso e passou a ajuda-lo sempre que precisava.

Bucky tornou-se um dos personagens mais importantes da mitologia do herói (assim como Robin é para Batman) e o momento de sua morte é uma das situações mais reprisadas que já pude constatar.

Outra personagem importante é Peggy Carter interpretada pela bela atriz Hayley Atwell. Ela era namorada do herói durante a Segunda Guerra, mas conhecida como “Agente 13”.

Pra finalizar a heroína Sonho Americano (Shannon Carter) que vive numa realidade alternativa do Universo Marvel. Usa o mesmo estilo de luta do nosso herói.

Confira na galeria abaixo alguma imagens do Capitão América

0

capitão-américa-1941

1.1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Alex Ross avengers  by jack-kirby avengers vs invaders by alex ross bruce timm bryan hitch captain america by jack kirby christopher stevens cliff chiang daniel acuña eric canete Gabrielle Dell Otto invaders by alex ross 0 invaders by alex ross 1 invaders by alex ross 2 john cassaday mike deodato jr. scott cohn steve rude super hero squad wallpaper 0 wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper 3 wallpaper 4 wallpaper 5 wallpaper 6 wallpaper 7 wallpaper 8 wallpaper 9 wallpaper 10 wallpaper 11 wallpaper 12 wallpaper avengers wallpaper by John Byrne wallpaper-by-alan davis 1 wallpaper-by-alan davis 2 wallpaper-invaders zatransis

Deixe um comentário

Arquivado em Herói.

Herói

Iron_Man

O Invencível Homem de Ferro

O Vingador Dourado é o típico herói convencional como a maioria que conhecemos um playboy milionário que usa seu tempo livre para combater o crime. No caso de Tony Stark tinhamos um agravante ele era um belicista projetando armas que vendia pro Governo.

Bem antes da franquia do cinema o herói era mais conhecido somente entre os fãs de gibis. E teve  pros mais velhos e saudosos o famoso desenho desanimado que era uma cópia fiel das histórias em quadrinhos transpostas pra telinha.

Não podemos deixar de lembrar da série animada Os Vingadores: Os Super-Heróis mais Poderosos da Terra que conseguiu explorar as características da personalidade de cada um dos integrantes do supergrupo.

Esta série animada abriu o precedente de misturar várias passagens das HQs ao longo dos anos. Pra mim foi uma das poucas vezes que a Marvel conseguiu emplacar um desenho com alto nível, pois perdia há um bom tempo para a DC neste quesito.

Infelizmente cancelaram para ter uma nova baseada no filme de Joss Whedon espero que valha a pena. Ver Tony tentando aprender a lutar com Steve foi muito engraçado ainda mais porque o Gavião e Hulk se divertiam com os sopapos que o latinha levava.

Eu tenho dois momentos marcantes do latinha uma é “O Dêmonio na Garrafa”, porque TS sucumbiu a um monstro que destrói a vida de muitas pessoas o álcool. Há anos atrás eu convivia com este problema aqui dentro de casa pela figura do meu pai.

São estes problemas do mundo real transpostos para os gibis que a Marvel consegue traduzir muito bem. E a segunda foi Guerra Civil que teve a divisão dos heróis que defendiam a Lei Anti-Registro (liderados por Tony Stark) e os que eram contra que tinham no Capitão América o seu defensor.

Guerra Civil teve como trágico desfecho  a morte de Steve Rogers apesar que tal acontecimento virou lugar comum nos quadrinhos e não dura muito hoje em dia. Passei a não gostar mais do latinha a partir de Guerra Civil, porém como nerd de carteirinha assinada não vou deixar de ver o terceiro longa do herói.

Podem me chamar de cínico, mas não vou ficar de fora deste momento histórico pros fãs de gibis que é poder ver seus super-heróis lutando na telona.

Ainda mais que Homem de Ferro 3 deverá ter alguma ligação com Os Vingadores 2. E qual fã de quadrinhos será maluco em perder isto?

Bom, a adaptação cinematográfica de Jon Favreau é totalmente fiel ao que lemos na HQ original “Nasce o Homem de Ferro”, com arte de Don Heck, argumento de Stan Lee e roteiro de seu irmão Larry Lieber sendo atualizada pra nossa época junto a elementos do Universo Ultimate.

O sucesso do Homem de Ferro se traduziu no excelente trabalho de um roteiro enxuto, uma direção competente e uma atuação ímpar e carismática de Robert Downey Jr. O fenômeno se justificou na elevação  do herói de um tremendo desconhecido do povão para o status de ícone pop.

Passamos a ter outro herói marcante para nós além do Super, de Christopher Reeve, porque ninguém consegue agora pensar em outro ator para interpretar TS além de Robert Downey Jr. Seu Tony Stark é irônico, inconveniente, engraçado, fanfarrão, mulherengo, mas um herói quando precisamos dele.

Homem de Ferro 3 começa a pavimentar o caminho para o segundo longa dos Vingadores mais aqui fica a pergunta quando veremos a quarta sequência do Vingador Dourado? Por quanto tempo será que Robert Downey Jr. aceitará continuar fazendo o herói por causa de sua idade?

0 1.0 1.1 1 4 5 6 7 10 11 12 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40

terry dodson

bruce timm chris stevens don-heck iron man-3 moebius pepper

Pepper_Potts

pepper_pots_rescue

pepper-potts 3 wallapaper Pepper-Potts wallpaper 0 wallpaper 1 wallpaper 2 wallpaper 3 wallpaper 4 wallpaper 5 wallpaper 6 wallpaper 7 wallpaper 8 wallpaper 9 wallpaper 10 wallpaper 11 wallpaper 12 wallpaper 13 Wallpaper 14

2 Comentários

Arquivado em Herói.

Meu Texto

batman

Filmes do Ano

2012 está quase chegando ao fim e será o ano que ficou marcado pelas melhores adaptações de quadrinhos que pudemos assistir. E infelizmente por uma enorme tragédia, em Denver  também. Cinema pra mim é um lugar pra diversão, entretenimento, arte e não palco para atrocidades.  Lamento muito pelo acontecido, pois são perdas inestimáveis.

Há algum tempo comento com meus amigos que estamos vivenciando uma ótima época para nós fãs de quadrinhos, porque estamos podendo ver nossos personagens tornarem-se de carne e osso em magníficas representações.

Aqui faço um retrospecto dos filmes que tornaram 2012 um dos melhores anos para os fãs de quadrinhos e cinema de todo o mundo.

Catwoman

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

O diretor Christopher Nolan conseguiu dar um novo status pro Morcegão nesta trilogia cinematográfica.

Seu Homem Morcego está no mesmo nível do Superman, de Chris Reeve, pois “tudo que vier depois” irá inevitavelmente esbarar neste paradigma.

Nolan consegue de maneira surpreendente transformar  Batman na síntese de um herói grego, pois sua tragédia pessoal o torna mais forte e determinado.

O roteiro é tenso, pois Bruce ficou quase uma década longe de ação. Ficando fora de forma e despreparado para enfrentar um inimigo perigoso.

Bane (Tom Hardy) demonstra ser um brilhante estrategista e têm uma enorme força física a seu favor, o confronto entre os dois é memorável e deixa-nos com os nervos a flor da pele.

Anne Hattaway emprestou seu lindo rosto e belo corpo para personificar a sensual ladra Mulher Gato que no filme não é chamada pela sua alcunha em nenhum momento. Mais pra ser sincero nem precisava, pois sua impressionante atuação ficará para sempre guardada no coração dos fãs.

Presenciamos uma inusitada cena engraçada Batman está falando com a Mulher Gato quando de repente ela desaparece e então ele diz: “Ah, então é essa a sensação”.  Geralmente vemos Batman sair de cena sorrateiramente deixando Gordon ou qualquer pessoa falando sozinho e desta vez provou do seu próprio veneno foi  o máximo.

Além disso temos o policial John Blake (Joseph Gordon-Levitt), que na verdade chama-se Robin, o eterno assistente do Morcegão.

Fica subentendido que mesmo se Bruce desistir de usar a máscara Gotham será protegida por um Batman. Sim, o legado do herói será eterno. E disto ninguém poderá ter dúvidas.

A franquia foi terminada com êxito e deixará saudades por demonstrar que um roteiro bem escrito e uma direção decente são exatamente o que deve ser feito para obter-se um filme de quadrinhos coerente. Isto é tudo que nós fãs queremos.

Infelizmente irão enfrentar o problema de como reiniciar o Morcego D.N. (Depois de Nolan).  Por enquanto está previsto  um longa da Liga da Justiça para 2015.

Eu espero que haja um filme decente, pois estão correndo para torna-lo realidade. Então a atuação do herói será totalmente diferente do que vimos até agora. E pra piorar quem será o ator que viverá BW/Batman? Sinceramente não irão faltar comparações e reclamações.

avengers

Os Vingadores

O filme que reuniu o Universo Cinematográfico da Marvel é a terceira maior bilheteria de todos os tempos.  Quando assisti fiquei com um sorriso estampado no rosto igual do Palhaço do Crime.

O longa retrata fielmente o colorido dos quadrinhos. E de quebra ainda temos a ótima interpretação dos atores, a ambientação de Nova York fazendo uma ligação direta com a estética que a Marvel apresenta em suas páginas.

As cenas cômicas num filme de ação tornaram o clima mais leve. A parte realmente boa é que o longa pega espectadores não iniciados nos quadrinhos que podem assistir sem problema algum.

E pros fãs os elementos característicos dos heróis são demonstrados: a liderança do Capitão, a destreza do Clint, a inteligência do Tony, a nobreza do Thor, os dardos da Viúva e principalmente o Hulk, pois Banner disse: “Eu estou sempre zangado.” Numa grande demonstração de sua fera interior, simplesmente, arrebatador.

Houve até espaço para a citação máxima da equipe: “Os Maiores Super-heróis da Terra”. O mais engraçado de tudo é que Stan Lee ridiculariza o mundo que ajudou a criar em sua participação relâmpago.

A Marvel apresentou esta maravilhosa brincadeira ao lançar  sua maior superequipe e  teve seu ápice nele, mas agora eu pergunto o que virá depois?

Quais personagens a editora trará para continuar mantendo o nível altíssimo alcançado?

Eu gostaria de ver um filme solo do Surfista Prateado, pois o herói espacial é um dos meus personagens preferidos. Talvez até contendo uma abordagem  com a participação do Galactus, porque este não poderia deixar de aparecer mesmo.

Eu pensei que iria aparecer no filme do Quarteto Fantástico mais infelizmente fiquei a ver navios.

Sei que é algo difícil de acontecer, pois o Surfista não é um herói de primeiro nível, mas vindo da Marvel tudo é possível e sonhar não custa nada.

A Casa de Ideias atingiu um patamar incrível em suas adaptações veremos em breve Thor: O Mundo Sombrio, Homem de Ferro 3, Guardiões das Galáxias e Capitão América 2: Soldado Invernal todos consolidando mais uma vez o caminho para Vingadores 2.

Ainda teremos o filme do Homem Formiga, talvez eu suponho até com a presença da minha querida Vespa. Visto que a personagem voltará dos mortos e eu nem sabia que ela havia morrido.

Concluo que estarei nos cinemas acompanhando os filmes dos heróis, porque a Marvel tem realizado um excelente trabalho.

spider_man_4

O Espetacular Homem-Aranha

Em homenagem aos 50 anos do personagem  este filme consegue mesclar a origem clássica do Cabeça de Teia, de 1962 com o Universo Ultimate, de 2000-uma releitura dos personagens da Marvel para o século 21.

Ficamos conhecendo a vida de Parker desde pequeno quando seus pais fugiram abruptamente deixando-o para morar na casa dos tios Ben (Martin Sheen) e  May (Sally Field).

Ao crescer Peter Parker (Andrew Garfield) demonstra ser um rapaz estudioso, inteligente e tímido, tipo vivendo na dele, pois é um desastre quando o assunto troca para meninas. E justamente está apaixonado pela garota mais linda da escola Gwen Stacy (Emma Stone). Depois de levar uma surra do valentão da escola ele é salvo por Gwen.

Ela é assistente do cientista Dr. Curt Connors (Rhys Iphans) um antigo parceiro do pai dele na empresa Oscorp. Após ter descoberto as anotações de seu pai, Peter visita a empresa e acaba sendo picado por uma aranha geneticamente alterada.

Peter entrega para Connors a resolução de uma equação decisiva e isto torna-se uma obsessão para o Dr. Que pensa numa evolução da raça humana. Mais ao utilizar a fórmula em si mesmo para recuperar o braço Connors desperta um monstro  furioso e incontrolável.

Nunca gostei do Lagarto nos quadrinhos, mas o roteiro focando na personalidade obscura de Connors conseguiu chamar minha atenção.  A direção de Mark Webb mostra como Peter Parker se transformou na pessoa que é.

O filme é psicológico em algumas partes, porém mostra que Parker já era um herói antes de adquirir seus poderes.  A cena em  que o Homem-Aranha balança pela cidade é extasiante lembrando o desenho antigo da década de 1960 .

Seus movimentos ficaram mais realistas sendo um deleite á parte e são feitos no estilo parkour.  O Parkour é uma atividade cujo princípio é mover-se de um ponto a outro o mais rápido e eficientemente possível, usando principalmente as habilidades do corpo humano.

Outro fato interessante é que Peter criou os lançadores de teias artificiais demonstrando sua inteligência e potencial para se tornar um brilhante cientista como nos quadrinhos.  Ainda bem que esqueceram aquela teia orgânica da franquia anterior.

O Amigão da Vizinhança é um dos heróis mais populares da Marvel e foi recriado de maneira arrebatadora tendo diversão de qualidade com direito a altas doses de emoção.

Espero ansioso para assistir a continuação da franquia. E que venha 2013.

Deixe um comentário

Arquivado em Meu Texto

HQ

Avante Vingadores! #53 – Capitão América: Um Homem Fora do seu Tempo

Esta é uma das melhores HQ que li ultimamente, pois ela define como o homem Capitão América é, age e pensa. A narrativa demonstra fatos da vida do personagem em anos diferentes desde 1945, durante 1960 (quando foi revitalizado por Stan Lee Jack Kirby) e até aos dias atuais.

Temos a noção de como Steve vê o mundo mesmo tendo perdido fatos importantes da história recente.

Em, “Giro”, Steve Rogers representa o verdadeiro espírito americano principalmente o pós 11 de setembro visto com a arte de Jason Latour.

A parte Um acontece em 1945 mostrando diferenças de quando o Capitão desperta nos dias atuais, pois no desenho dos Vingadores em Nova York há uma estátua em homenagem ao Capitão e Bucky,  como foi  visto no episódio: Lenda Viva. E nesta HQ tem outra estátua em homenagem aos Vingadores originais (aparentemente sem o Hulk) também em Nova York.

O rosto do ator Will Smith aparece na TV, mas suponho que o presidente que está no Salão Oval seja Barack Obama, porque infelizmente não quiseram desenhá-lo, talvez seja pra dar importância ao herói e não a pessoa real.

Na parte quatro o Capitão está no Cemitério Nacional de Arlington pensativo. Quando Thor chega Steve desabafa sobre Bucky não ter uma lápide esculpida em sua memória.

Então Thor fala francamente sobre morrer como um verdadeiro guerreiro e literalmente esculacha Steve Rogers é simplesmente magnífico.

Entre idas ao passado, pensamentos e divagações de uma vida que não viveu, a liderança de campo dos Vingadores. Aqui temos uma linda HQ com boas histórias do início ao fim sobre Steve Rogers, o Capitão América: Um Homem Fora do seu Tempo.

 
 
 

2 Comentários

Arquivado em HQ.