Arquivo da tag: tv bandeirantes

Memória Brasil

daniel-azulay

A Turma do Lambe-Lambe

O programa esteve no ar de 1977 a 1986, primeiro na TVE (atual Rede Brasil), e depois na TV Bandeirantes.

O apresentador era o Daniel Azulay que funcionava como um irmão mais velho nosso ensinando  desenho e a  fazer dobraduras (origami). Foi com ele que aprendi a gostar de desenhar, pois da forma como fazia tudo parecia tão simples e fácil.

A parte boa é que o programa era educativo sem ser chato, pois estimulava as crianças da época a pensar (e a importância do meio-ambiente ensinando também a reciclar).

Além disso Daniel tinha algo que me deixou impressionado, porque demonstrava ser muito inteligente transmitindo conhecimento de uma forma leve e engraçada.

Eu me divertia demais com a Turma do Lambe-Lambe que foram bonecos criados pelo apresentador: o malabarista Tristinho, o mágico Pita, a Damiana, a vaquinha vaidosa Gilda, o tímido Piparote, a Ritinha que sonhava ter um negócio. E os meus preferidos  o sábio Professor Pirajá (um cientista que conhecia praticamente de tudo) e a cozinheira Xicória que sempre mexia com minha imaginação com seus quitutes gostosos.

Os personagens migraram para os gibis que colecionei durante os anos 80 e traziam histórias que ajudavam a desenvolver ainda mais o que havia na telinha (publicação da Editora Abril).

Daniel Azulay e sua Turma do Lambe-Lambe migraram para TV Bandeirantes, no programa TV Criança, em 1981. Como curiosidade o artista foi um dos criadores da vinheta da abertura do Jornal Nacional de 1972-74.

Só pra constar, no final do anos 70, Daniel apresentou um dos quadros do programa infantil “Pirlimpimpim”, que era da TV Cultura (TVE), que fazia também parte do quadro: “Mãos Mágicas”.

Como curiosidade, em 1982 foi lançado o gibi da Turma do Lambe-Lambe pela Editora Abril foram 20 edições que terminaram 1984.

Daniel Azulay é o ídolo de uma grande geração de crianças acredito que todos que tiveram o prazer de vê-lo nunca conseguiram se esquecer do quadro das “mãos mágicas”.

Lembro que no final nosso amigo se despedia de nós dizendo: “Fui, algodão doce pra vocês” (eu ficava realmente triste quando isto acontecia).

Foi um período em que havia pessoas que se preocupavam em manter um conteúdo educativo para entreter o público infantil (algo bastante escasso atualmente). E é com carinho que agradeço ao Daniel Azulay por ter feito minha infância muito feliz ao aprender com ele sobre arte, pois era só pegar um lápis, um papel para podermos nos distrair e mesmo que não saísse perfeito (a intenção era ensinar divertindo).

Fonte de Pesquisa: Wikipédia.

Deixe um comentário

Arquivado em Memória Brasil

Desenho Antigo

amazingchanchanclan

As Aventuras de Charlie Chan

Esse pra mim é uma dos melhores desenhos da Hanna-Barbera.

Seu nome original é The Amazing Chan and the Chan Clan, a parte interessante é que seu surgimento foi inspirado no detetive chines Charlie Chan.

Dizem as lendas que seu surgimento também foi inspirado tanto em Scooby-Doo, quanto na Turma do Archie.

Na série animada acompanhamos as viagens da família ao redor do mundo. Charlie Chan é o patriarca deles um detetive famoso que sempre é convidado pra resolver algum caso misterioso.

A grande curiosidade é que Chan tem 10 filhos entre adolesccentes, pré-adolescentes e crianças que são: Henry Chan, o mais velho e líder da turma, Stanley Chan, segundo mais velho, mestre dos disfarces e mais engraçado deles, Suzie Chan, a mais velha das meninas, Alan Chan, engenheiro e mais inteligente, Anne Chan parece moleca, Tom Chan faz o tipo intelectual, Flip Chan, líder dos pequenos, Scooter Chan, mais novo e braço direito do Flip, Nancy Chan é a comilona e Mimi Chan típica menininha.

Como não poderia deixar de ser havia uma animal de estimação Chuchu, cão da família.

Qunado Charlie saia pra investigar a turma dava sempre um jeito de “ajudar” seu pai, mas na verdade o que realmente causavam era muita confusão.

Lembro que a van deles se transformava em diversos veículos diferentes usando um painel com números (tipo caminhão, bombeiro, trator entre outros).

O desenho seguia a mesma fórmula do Scooby-Doo com perseguição, aventura, investigação, correria e música, pois a garotada tinha uma banda. Só pra constar as vozes dos cantores eram da mesma banda do desenho A Turma do Archie.

Durante as piadas feitas por Stanley podíamos ouvir o artifício do som de risadas pra nos entreter.

No final de todas as aventuras Charlie surgia pra desvendar o mistério solucionando o caso.

O sucesso do desenho rendeu uma revista em quadrinhos que não durou muito, pois foram 4 edições lançadas pela Gold Key, no entanto não sei se tiveram traduções por português.

Foi produzida somente uma única temporada de As Aventuras de Charlie Chan, cada desenho tinha 30 minutos de duração, tendo 16 episódios e terminando no mesmo ano no qual começou (1972).

O desenho já foi transmitido aqui pela Rede Globo, Rede Manchete, Rede Record, Band e Boomerang.

Fonte de Pesquisa: InfanTV.

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo

Memória Brasil

fofão

TV Fofão

O personagem Fofão foi criado  pelo artista plástico Orival Pessini e surgiu no saudoso programa infantil Balão Mágico, em 1983. Nosso querido amigo é um extraterrestre vindo do planeta Fofolândia.

Ele fez tanto sucesso entre a criançada que após acabar o programa Balão Mágico (Rede Globo) ganhou seu próprio programa na TV Bandeirantes (1986 a 1989).

No início ele não falava apenas emitia alguns sons que Simony traduzia e só depois ganhou voz engraçada (que aliás lembrava demais o Pateta, da Disney).

Quando terminou o programa da Globo o Fofão fazia muito sucesso rendendo até um boneco que infelizmente teve a má fama de ser amaldiçoado, porque havia uma lâmina dentro dele. Minha irmã teve um e eu não vi nada do que diziam na época.

Talvez porque fosse muito parecido com Chuck da famosa série cinematográfica Brinquedo Assassino aonde tínhamos um boneco que ganhava vida após um ritual vodu. E este sim era mais assustador e geralmente quando assistia  eu ficava com pena do garoto Andy, pois o criminoso desejava a qualquer custo transferir sua alma para o corpo dele. Lembro que o terceiro foi o melhor de todos pra mim.

Voltando, o programa contava com o patrocínio da Dizioli (“o lanche do Fofão”) e tinha o mesmo formato da maioria dos infantis com apresentação de desenhos e esquetes humorísticos. Uma curiosidade é que Sandra Annenberg, atualmente uma famosa jornalista também esteve no elenco do programa.

Em 1989  nosso amigo estreou na telonas com Fofão e a Nave Sem Rumo. Na história uma  perigosa microcélula que contém um importante segredo é implantada no nariz de nosso amigo. Algo capaz de transferir pessoas para uma outra dimensão do universo.

Então vilões alienígenas invadem e dominam a nave da Fofolândia para conseguir roubar a tal microcélula sequestrando o Fofão e duas crianças. Fofão e suas “apatralhadas” criam uma enorme confusão que acabam por deixar a nave desgovernada. Numa rota de colisão contra um asteroide é uma aventura de ação e efeitos especiais que hoje em dia estão defasados servindo apenas para os fãs mais nostálgicos.

Fofão é um personagem que vai ficar marcado pra sempre na minha história, pois fez minha vida mais feliz e divertida.

Fonte de Pesquisa: Wikipédia.

Deixe um comentário

Arquivado em Memória Brasil