Arquivo da tag: Walt Disney

Heróis Nipônicos

astro-boy 1

Astroboy

Criado pelo lendário Ozamu Tezuka o herói surgiu primeiro na revista Shonen Magazine sendo produzido de 1952 a 1968 (seu nome original é Tetsuwan Atom).

O trabalho de Osamu Tezuka foi inspirado por Walt Disney, pois fundou seu próprio estúdio a Mushi Productions (lançando o anime a partir de 1963).

Na história o Dr. Tenma é chefe do Ministério da Ciência que perdeu seu filho Tobio num acidente automobilístico.

Devido a sua perda decidiu criar um robô a imagem e semelhança de Tobio tratando-o como se fosse o menino verdadeiro. Infelizmente Tenma descobriu que o androide nunca cresceria para ser um adulto e não substituiria sua trágica perda.

Então rejeitando Astro vendeu a Hamegg, um dono de circo (aonde a atração principal são as lutas de robôs). Algum tempo depois, o Professor Ochanomizu, que por um acaso era o novo chefe do ministério da ciência, presenciou uma apresentação de Astro no circo (convencendo Hamegg a entrega-lo pra ele).

Deste momento em diante o professor tratou Astro de maneira gentil e tornou-se seu tutor legal. Até que percebeu que Astro tinha poderes incríveis e a capacidade de expressar emoções.

No anime Astro combate crimes, a injustiça e seus inimigos são geralmente Ets invasores ou robôs que odeiam humanos.

Tetsuwan Atom foi a primeira série animada exibida na Terra do Sol Nascente  tornando-se uma referência pra todos que vieram depois (influenciando o formato dos animes como conhecemos).

Aqui nós nunca vimos o anime original, mas também criado por Ozamu Tezuka tivemos seu similar (ou genérico) O Menino Biônico exibido nos inicio dos anos 1980.

astro-boy

Astro Boy – O Filme – 2009

A cidade em que a história acontece é Metro City (que lembra a mesma de Megamente). O Professor Tenma (Nicolas Cage) é o maior cientista do mundo e trabalhando no Ministério da Ciência transformou a sociedade com o uso de robôs (infelizmente ele dá pouca atenção pro seu filho).

Metro City é uma cidade linda e flutuante, mas os robôs quando descartados são jogados na Terra. A melhor lição de Astro Boy foi que nós temos de aprender a viver em harmonia com o meio ambiente, pois a Terra virou um enorme depósito de sucata.

O Dr. Elefun (Bill Nighy) fez uma grande descoberta científica foi a energia azul, que categoricamente é boa, mas em contrapartida também temos a energia vermelha (que é ruim). Devemos lembrar que trata-se de animação infantil, mas analisando ambas evidenciam as personalidades do Doutor Elefun (azul) e do Presidente Stone (Donald Sutherland) que deseja utilizar a energia vermelha para fins bélicos (a fim de se reeleger).

Quando Tenma faz a demonstração do novo robô militar, a experiência fracassa causando uma grande confusão, seu filho Toby (Freddie Highmore) que estava assistindo escondido acaba morrendo.

Devido ao trauma o Dr. pega uma amostra de DNA numa busca obsessiva pela sua perda e pede a sua equipe que faça uma cópia robótica do seu filho. Astro Boy surge com o que há de melhor nas características humanas, mas há uma diferença enorme de personalidade.

Quando Toby era uma criança normal demonstrava uma inteligência fora do comum e sua versão robótica queria apenas se comportar como uma criança comum.

A rejeição do próprio pai causa uma grande confusão na cabeça do Toby que decide abandonar Metro City após ser caçado pelo Presidente Stone. Caindo nas mãos do Dr. Ham Egg de um ex-cientista que trabalhava pro seu pai (que conserta robôs para usá-los numa arena de luta).

Notei quando as crianças pintam o robô ZOG ouvimos a música Alright, dos anos 90 (dançante, mas chatinha pra caramba). E a parte engraçada são os robôs da Revolução (que são um bando de sucatas bastante atrapalhados).

Apesar de ter sido concebido como uma animação para crianças Astro Boy ensina muito mais do que diverte, pois quando o herói desce pra Terra.

Mesmo vivendo entre crianças sem pai Astro aprende lições entre o certo e errado. há momentos em que vemos noções de amizade, família, aceitação, companheirismo e também que nem tudo no mundo é bom.

O grande ápice está no momento em que o Presidente Stone utiliza a energia vermelha no Pacificador sendo engolido pelo mesmo que adapta tudo em que toca.

Astro volta para salvar a cidade e usa uma frase clássica do Superman: “para o alto e avante” mostrando que nasceu para ser um herói.

Astro Boy é uma daquelas aventuras bem ao estilo japonês aonde as características humanas são demonstradas pelos robôs, mas nos deixa maravilhados justamente pela sutileza em que demonstra este detalhe.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Heróis Nipônicos

Desenho Antigo

duck-tales

Duck Tales, Os Caçadores de Aventuras 

Eu já conhecia a maioria dos personagens, pois vivia lendo gibis do Tio Patinhas, Pato Donald, Peninha e Gastão.

Me amarrava na abertura cantada pelo ex-Bozo Luiz Ricardo e confesso que até hoje nunca mais esqueci sua letra.

Duck Tales foi produzido pela Walt Disney Television Animation e foi lançado por aqui em 1988.

Como curiosidade a série animada surgiu baseando-se livremente nas histórias de Carl Barks, um famoso ilustrador da Disney apelidado de O Homem dos Patos. Barks é o responsável por criar a enorme maioria dos personagens de Patópolis.

Acompanhamos as aventuras do Tio Patinhas, um velho riquíssimo e ao mesmo tempo pão duro de primeira categoria (ele passa mal quando o assunto é gastar dinheiro).

Quando precisava investir em algo lucrativo, Patinhas viajava pra qualquer lugar do mundo para conseguir o que queria. Suas expedições atrás de relíquias antigas visavam somente no quanto iria ganhar de posse dos artefatos.

Durante essas jornadas o velho ranzinza ia na companhia dos seus sobrinhos Huginho, Zezinho e Luizinho. Donald havia deixado os meninos em sua companhia tendo que servir na marinha.

Nas aventuras os meninos sempre usavam seu aprendizado como escoteiros-mirins pra resolver alguma situação embaraçosa. Pra mim o mais engraçado era o Capitão Boing, um atrapalhadíssimo piloto particular que geralmente tem problemas durante os voos.

Feito totalmente no melhor estilo Indiana Jones a trupe sempre viajava por todo planeta. Seja procurando civilizações esquecidas, florestas, povoados remotos ou ilha perdidas.

Pra atrapalhar surgia a Maga Patalógica que almejava pegar a Moedinha Número Um, Pão-Duro Mac Mônei, um milionário invejoso que queria provar ser mais rico que o Patinhas e os Irmãos Metralhas, uma quadrilha desastrada que sempre tentava roubar a caixa-forte do Patinhas.

O desenho era tão legal que havia outros personagens carismáticos como Leopoldo, mordomo do Patinhas, Madame Patilda, um tipo de governanta ajudando nos afazeres domésticos da mansão. Patrícia, sua neta que demonstrava ser muito educada.

Ainda tínhamos o Professor Pardal, um inteligente inventor que construia diversas engenhocas. E Lampadinha, seu ajudante, uma lâmpada robô com vida própria.

Só pra constar o Professor Gavião é o principal inimigo do Pardal geralmente querendo roubar suas invenções (se não me engano parece em algum episódio).

Sem contar com Asnésio, um escoteiro gordinho e enrolado amigo dos meninos e Bubba, um engraçado pato das cavernas que entrou na segunda temporada do desenho. Tootsie é um triceratops que ele trata como seu animal de estimação.

Após o termino da série animada surgiu a animação DuckTales – O Tesouro da Lâmpada Perdida. Quando estava procurando o tesouro perdido de Coli Babá no Egito a fim de exibir no clube de arqueologia (Patinhas encontra uma lâmpada mágica).

Obviamente o gênio pode realizar qualquer pedido, mas também havia Merlock, um mago ruim e Dijon seu parceiro que desejam conquistar a lâmpada pra seus objetivos mesquinhos.

Bom pra fechar, Cada episódio de Duck Tales tinha duração de 22 minutos, foram produzidas 4 temporadas num total de 100 episódios e terminando em 1990.

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Desenho Antigo